PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 | VITÓRIA DE ÁLVARO MUÑIZ E JAVIER MARTINEZ EM JORNADA DE ELEVADA INTENSIDADE

PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 – Rally de Ourense (Final)

 

VITÓRIA DE ÁLVARO MUÑIZ E JAVIER MARTINEZ EM JORNADA DE ELEVADA INTENSIDADE

 

Correu-se, entre ontem e hoje, na região da Galiza, o Rally de Ourense, prova em que Álvaro Muñiz e Javier Martínez somaram a primeira vitória da presente época da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA. Imprimindo uma fantástica dinâmica, a dupla do PEUGEOT 208 Rally4 #25 começou por dominar os acontecimentos na 1º Etapa, vencendo todos os seus quatro troços, acumulando uma vantagem que, no segundo dia lhes permitiu controlar o ímpeto dos adversários, garantindo, pelo caminho, melhores tempos em três das seis especiais de asfalto deste segundo e último dia de rali.

Para além do 1º lugar nesta que foi a primeira incursão do ano por terras de Espanha, um resultado já de si excelente, garantiram uma excelente 4ª posição à Geral do evento do Supercampeonato de Espanha de Ralis 2021, somando-lhe ainda o troféu reservado aos veículos de duas rodas motrizes. A PEUGEOT deixou, aliás, uma marca substancial no top-10 do rali, com cinco unidades do competitivo 208 Rally4, para além de ter colocado nove exemplares nos 10 mais da categoria 2WD.

Neste que foi o terceiro confronto da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, o primeiro em troços de alcatrão, o 2º lugar ficou para Alejandro Cachón / Alejandro ‘Jandrin’ Lopez, deixando para Alberto Monarri / Ángel Vela o mais baixo do pódio. Pedro Almeida e Hugo Magalhaes foram os melhores portugueses, terminando na 6ª posição.

Finda a primeira metade desta Temporada 4 da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA, uma coorganização da PEUGEOT Portugal e da PEUGEOT Espanha, Alberto Monarri (Pilotos) e Ángel Vela (Navegadores) mantêm as suas posições de líderes, frente a uma comitiva que voltará a encontrar-se no Rally Princesa de Asturias, jornada também em pisos de asfalto a ter lugar nos dias 10 e 11 de setembro próximo.

 

 

Dividido pelo final da tarde e início de noite de ontem (sexta-feira) e pela manhã e tarde de hoje, o Rally de Ourense dividiu-se, competitivamente, em dois grupos distintos de concorrentes, os quatro que discutiram entre si uma potencial vitória no rali e os restantes onze, apenas entregues a lutas por posições à geral e pelas respetivas pontuações, esperando que os homens da frente tivessem algum contratempo.

 

Os lugares da frente foram sempre discutidos pelas mesmas quatro duplas espanholas, dividindo entre si os melhores tempos nos 10 troços que compunham (XX km cronometrados), compondo-se de Álvaro Muñiz / Javier Martínez, Óscar Palomo / José Pintor, Alberto Monarri / Ángel Vela e ainda Alejandro Cachón / Alejandro ‘Jandrin’ Lopez, eles que à partida deste rali lideravam os rankings de Pilotos e Navegadores da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, posições de que não pretendiam abdicar.

 

No final do Rally de Ourense, o escalonamento acima – decorrente das posições alcançadas na ES 1 – alterava-se só um pouco, embora não ao nível da (praticamente) incontestada vitória de Muñiz / Martinez, eles que foram líderes da prova de fio a pavio e os melhores em 7 dos 10 troços disputados, acrescendo, com isso 3,5 pontos adicionais ao pecúlio de 25 pontos que lhes foi atribuído pela vitória. Logo atrás do seu PEUGEOT 208 Rally4, a batalha pelo 2º lugar mostrou-se bastante aguerrida, posição que viria a ser conquistada por Cachón / ‘Jandrin’, ficando o 3º posto para Monarri / Vela, que num último esforço conseguiu relegar, para fora do pódio, uns desconsolados adversários Palomo / Pintor.

 

Noutro contexto evoluíram os restantes 11 concorrentes da copa, com os demais conterrâneos, mais o grupo de cinco equipas portuguesas que se deslocaram à Galiza, para esta primeira prova de asfalto da copa 2021, coorganizada pela PEUGEOT Portugal e PEUGEOT Espanha e cuja logística no terreno é assegurada pela Sports & You. Foram aqui duas as equipas em destaque – Carlos Fernandes / Valter Cardoso e Pedro Almeida / Hugo Magalhães – ainda que com resultados finais diametralmente opostos, já que o então líder destacado desse grupo luso foi obrigado a desistir no final do primeiro dia, entregando o testemunho aos adversários.

 

A consagração dos vencedores fez-se ao final da tarde no Jardín del Posío, em pleno centro da cidade de Ourense, sendo naturalmente de festa a disposição dos vencedores: “Foi um rali muito bom, muito disputado por quatro equipas, pois que para além da minha vitória, quem também ganhou foi a própria copa. Foram lutas ao segundo entre todos, sem que se verificasse qualquer problema técnico com nenhum de nós, pelo que foi só andar e assegurar o espetáculo”, referiu Álvaro Muñiz, da equipa Race Seven. Quanto aos objetivos para a próxima prova, agora que o piloto ascendeu ao 2º lugar na tabela de pontos da copa, “o rali das Astúrias será bem mais difícil, pois os troços de asfalto são muito específicos e alguns como o Cachón são muito fortes lá, sendo prova a sua vitória no ano passado, pelo que vamos tentar adotar um bom ritmo, pelo menos igualar o 3º lugar que conseguimos há um ano”.

 

Por seu turno, Alejandro Cachón sublinhou: “Foi um rali muito disputado ao longo dos dois dias, em que seria melhor ter sido primeiro, objectivo que não consegui, pelo que este 2º lugar também é um bom resultado. Segue-se, em setembro, o Rali Princesa das Asturias, o nosso rali de casa, pelo que nada pode falhar aí, para  que possa repetir o 1º lugar de há um ano”.

 

Por fim, o 3º classificado Alberto Monarri “foi uma luta muito bonita, num rali em que se imprimiu um ritmo altíssimo, numa luta entre quatro pilotos. Embora pense que o 2º lugar era possível, estou contente com o resultado, que nos permitiu somar importantes pontos, numa copa que vai ser discutida em cada troço de cada rali que falta até final do ano.”

 

Aos quatro primeiros, todos espanhóis, seguiu-se um quinto, posição que Josep M Reyes / Carlos Cancela garantiu à frente de uma tripla de portugueses, composta por Pedro Almeida / Hugo Magalhães (6ºs), Miguel Campos / José Janela (7ºs) e Ricardo Sousa / Luis Marques (8ºs), separados entre si por várias mãos cheias de segundos. Kevin Guerra / Daniel Sosa e Delbin García / Hugo Varella fechavam o top-10, deixando de fora três equipas, incluindo a dupla Hugo Lopes / Tiago Neves, que regressou segundo as regras de Rally2, sem que nunca saísse da última posição, fruto do atraso e penalizações entretanto acumuladas.

 

Em complemento ao 2º lugar na copa, Alejandre Cachón conquistou a vitória na Junior Cup da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA, troféu reservado a pilotos com menos de 25 anos (nascidos em ou após 1 de janeiro de 1995), impondo-se a Óscar Palomo e a Pedro Almeida.

 

Alberto Monarri e Ángel Vela mantêm liderança da copa

Tendo em conta os resultados alcançados neste Rally de Ourense, acumulados com as duas anteriores pontuações, completa-se a primeira metade da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, situação que, em termos de pontuações, não sofra alterações face ao que se registava antes da prova, mantendo-se no comando Alberto Monarri nos Pilotos e Ángel Vela nos Navegadores, ambos somando agora 55,63 pontos, embora seja naturalmente menor o diferencial face aos restantes pretendentes aos títulos.

 

Em termos de Pilotos, esse ranking tem agora Álvaro Muñiz como vice-líder (47,5 pontos), vindo depois Alejandro Cachón (47,46) e Óscar Palomo (41,76), tripla que ultrapassou Miguel Campos (33,34 pontos), ainda que se mantenha na posição de melhor representante português. Já a copa de segundos condutores tem Alejandro ‘Jandrin’ Lopes como o 2º mais pontuado (47,46 pontos) e Javier Martinez em 3º (45,5). São, presentemente, 18 os Pilotos e 22 os Navegadores classificados, diferencial que decorre das alterações em algumas duplas, face às anteriores duas provas da copa.

 

 

 

Resumo da Etapa 1: Quatro troços, quatro vitórias para Álvaro Muñiz / Javier Martínez

Dispostos a deixar a sua marca logo desde os primeiros quilómetros, Álvaro Muñiz / Javier Martínez não fizeram por menos e conquistaram o melhor tempo em todas as 4 Especiais do primeiro dia, corrido entre o final da tarde e o início da noite. Nesses quase 70 km cronometrados (69,16 km), a dupla da Corunha esteve inatingível, pelo que os restantes lugares do pódio foram discutidos por três outras duplas espanholas: Óscar Palomo / José Pintor, Alejandro Cachón / ‘Jandrín’ e Alberto Monarri / Ángel Vela, eles que eram os líderes da copa no arranque para esta prova.

 

A tripla perfilou-se, por esta ordem, atrás do líder Muñiz quer nos 15,08 km da ES1 Amoeiro, quer nos 19,5 km da ES2 Carballiño, para depois na segunda passagem por Amoeiro ser Monarri o 2º mais rápido à frente de Cachón, ele que, por sua vez, garantiu o segundo melhor tempo em Carballiño 2, à frente de Palomo. Atrás deles registavam-se as restantes lutas entre os 208 Rally4 que dão corpo à copa, tentando não deixar fugir o póquer de ases espanhol.

 

Entre eles a dupla Carlos Fernandes / Valter Cardoso, a mais rápida entre as formações portuguesas, batendo os conterrâneos Pedro Almeida / Hugo Magalhães e Miguel Campos / José Janela. Mas o esforço da equipa #30 ruiu na ES4, na sequência de uma saída de estrada. O mesmo aconteceu a Hugo Lopes / Tiago Neves, mas logo nos primeiros quilómetros da ES1, enquanto Roberto Blach – o “Campeão” de 2018 da copa – aqui acompanhado por José Vieitez, sofria com problemas com a bomba de gasolina, ficando-se, também eles, fora de prova.

 

Findo esse primeiro dia, Álvaro Muñiz / Javier Martinez liderava entre os concorrentes da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA, com 23,8 segundos sobre Óscar Palomo / José Pintor e 27,7 segundos sobre Alejandro Cachón / ‘Jandrín’. A 5,6 segundos de um lugar desse pódio provisório estavam Alberto Monarri / Ángel Vela, que tinham atrás de si Pedro Almeida / Hugo Magalhães, os melhores portugueses, estes já com um atraso superior a 2 minutos para os líderes. Estavam, então, classificadas 14 duplas, incluindo Lopes, que regressava em Rally2, e Blach, que levou o seu 208 Rally4 até ao Parque Fechado, mas sem certeza de poder regressar no sábado. Só Carlos Fernandes estava fora do rali.

 

Resumo da Etapa 2: Líderes a controlar, adversários a atacar

Fruto da confortável margem que trazia de véspera, não foi Álvaro Muñiz / Javier Martínez a garantir o melhor tempo nos 15,35 km da ES5 – Peroxa 1, resultado garantido por Alejandro Cachón / ‘Jandrín’, à frente de Óscar Palomo / José Pintor e Alberto Monarri / Ángel Vela. Já o 5º tempo de José María Reyes / Carlos Cancela permitiu-lhes ultrapassar Miguel Campos / José Janela na classificação da copa.

 

Mas, de modo a não dar a ideia que estava a facilitar muito a tarefa aos adversários, Muñiz impôs-se nos 15,13 km do troço de Toén 1 (ES6), batendo Monarri e Cachón, conseguindo, este último, ultrapassar Palomo no acumulado de tempos. Também Reyes subiria, de novo, um lugar, ao ultrapassar Pedro Almeida / Hugo Magalhães, que se mantinha como a melhor dupla portuguesa, fazendo com que o top-5 provisório fosse exclusivamente espanhol.

 

A fechar a ronda da manhã correu-se a ES7 – Allariz (10 km), onde o melhor crono voltou a ser de Álvaro Muñiz / Javier Martínez, crescendo, de novo, para 27,6 segundos a sua vantagem para Alejandro Cachón / ‘Jandrín’. Óscar Palomo / José Pintor, que terminava a secção a 5,4 segundos do 2º lugar, ficando Alberto Monarri / Ángel Vela a apenas 3,3 segundos de uma desejada subida ao pódio.

 

Repetidas de tarde após um Reagrupamento e passagem pelo Parque de Assistência, as 3 especiais viriam a decidir o a composição final dos lugares de um pódio que parecia ter um ocupante do 1º lugar minimamente seguro, mas que era completamente indefinido em termos dos restantes arrendatários.

 

Na repetição de Peroxa, Muñiz decidiu levantar um pouco o pé e fez o 4º tempo, pelo que o melhor tempo ficou para o líder da copa, Alberto Monarri, enquanto Cachón e Palomo faziam os tempos pela ordem que ocupavam na geral de uma copa que, neste troço, não sofreu qualquer alteração de estrutura. Quanto ao troço seguinte – Toén 2 – tudo voltaria ao normal, com Muñiz a assegurar o melhor crono – o seu 7º no rali, até esta altura – à frente de um aguerrido Monarri que, com isso, ultrapassava Palomo no acumulado de tempos, roubando-lhe o 3º lugar.

 

A fechar a contenda, chegou a 10ª e última especial do Rally de Ourense, os 10 km de Allariz 2, palco onde Monarri voltou a registar o seu nome como a referência a bater, seguido de Cachón, Palomo e Almeida, a fazer aqui o melhor resultado do rali, enquanto o líder e futuro vencedor Muñiz levantou o pé, acabando com a 5ª melhor marca. Bem pior seria o final do rali para Santiago Garcia, abandonando neste último troço.

 

PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021

Rally de Ourense 2021 – Classificação Geral*

1º Álvaro Muñiz / Javier Martinez, 1h29m47,7s

2º Alejandro Cachón (1º Junior Cup) / ‘Jandrín’, a 24,8ss

3º Alberto Monarri / Ángel Vela, a 27,5s

4º Óscar Palomo (2º Junior Cup) / José Pintor, a 33,4s

5º Josep M Reyes / Carlos Cancela, a 3m33,1s;

6º Pedro Almeida (3º Junior Cup) / Hugo Magalhães, a 3m38,0s; 7º Miguel Campos / José Janela, a 4m14,2s; 8º Ricardo Sousa / Luis Marques, a 4m34,4s; 9º Delbín García (4º Junior Cup) / Hugo Varella, a 6m04,8s; 10º Santiago García (5º Junior Cup) / Nestor Casal, a 8m35,8s; 11º Kevin Guerra / Daniel Sosa, a 10m18,3s; 12º César Cid / Francisco Garcia, a 14m55,0s; 13º Hugo Lopes / Tiago Neves, a 33m51,7s (6º Junior Cup; Rally2).

 

Notas:

Todos em PEUGEOT 208 Rally4

Rally2: Não pontua nesta jornada da copa (ver Artº 3 e Artº 7 do Regulamento Desportivo da copa)

Abandonos: Carlos Fernandes / Valter Cardoso (ES4); Roberto Blach / Jose Vieitez (não saiu para a Etapa 2)

* Classificação provisória, dependente da publicação dos resultados oficiais pela organização da prova.

 

Findos os primeiros três ralis do ano – Terras d’Aboboreira, Portugal e Ourense – segue-se a segunda metade da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, a iniciar a 10 e 11 de setembro, nos troços de asfalto do Rally Princesa de Asturias. Os detalhes desta segunda jornada espanhola serão apresentados mais perto da data da sua realização.

 

Coorganizada pela PEUGEOT Portugal e pela PEUGEOT Espanha e com a gestão logística a cargo da Sports & You, a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 mantém a parceria com a Pirelli, no domínio dos pneus, entre outros apoios: Vodafone, RACC e ACP. A PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 associou-se, uma vez mais, ao ISAG – Instituto Superior de Administração e Gestão, entidade que visa ser reconhecida como a melhor escola de negócios e de turismo de Portugal e uma referência de ensino de excelência a nível internacional. Deu-se, também, continuidade à parceria com a iniciativa Race for Good, movimento dinamizado pelo treinador de futebol André Villas-Boas e que recorre ao desporto motorizado como plataforma de comunicação e promoção de ações de cariz social e humanitário.

 

INFORMAÇÕES E FOTOS:

– em http://www.peugeotrallycupiberica.com/

– no Facebook https://www.facebook.com/peugeotrallycupiberica/

– Imagens da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA para imprensa (livres de direitos editoriais) em https://aifa.smugmug.com/Motorsport/Peugeot-Rally-Cup

 

CONTACTOS:

PEUGEOT PORTUGAL – Jorge Magalhães: jorge.magalhaes@stellantis.com | + 351 96 986 16 80

SPORTS & YOU – José Pedro Fontes: jpfontes@sportsandyou.pt | + 351 91 762 55 88

GOOD NEWS – Tito Morão: tmorao@goodnews.pt | + 351 91 840 00 01

José Pinheiro: jpinheiro@goodnews.pt | + 351 91 565 32 73

PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 | 1ª ETAPA DO RALLY DE OURENSE

ÁLVARO MUÑIZ / JAVIER MARTINEZ COM TOTAL DOMÍNIO DA 1ª ETAPA

 

Finda a primeira secção competitiva do Rally de Ourense, é em espanhol que se fala em todos os lugares do pódio da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA, num escalonamento para já encimado por Álvaro Muñiz / Javier Martinez, posição conquistada depois de a dupla galega ter sido a mais rápida em todos os seus 4 troços (69,16 km cronometrados). A equipa do PEUGEOT 208 Rally4 #25 deixou os seus conterrâneos Óscar Palomo / José Pintor a uns confortáveis 23,8 segundos, surgindo depois Alejandro Cachón / ‘Jandrín’, a apenas 3,9 segundos.

 

Líderes da copa à entrada para esta prova, Alberto Monarri / Ángel Vela são 4ºs classificados, estando a 5,6 segundos da 3ª posição, à frente dos melhores portugueses, Pedro Almeida / Hugo Magalhães, estes já com um delay superior a 2 minutos para os líderes e uma vantagem de 12,7 segundos sobre Miguel Campos / José Janela.

 

Destaque-se o facto de serem nada menos do que cinco os 208 Rally4 da copa ibérica que, nesta fase, integram o top-10 da Classificação Geral desta prova também pontuável para o Supercampeonato de Espanha de Ralis 2021, o melhor dos quais – o de Muñiz / Martinez – num excelente 3º lugar, comprovativo não só do andamento imposto pela dupla, como da elevada competitividade da viatura base desta iniciativa coorganizada pelas filiais da PEUGEOT de Portugal e de Espanha, tendo no terreno a logística da estrutura da Sports & You.

 

A batalha pela vitória será retomada amanhã (sábado), a partir das 9h30, numa 2ª Etapa composta por 3 troços cumpridos por duas vezes – Peroxa (15,35 km), Toén (15,13 km) e Allariz (10 km) – de manhã (10h27, 11h25 e 12h33) e de tarde (14h58, 15h56 e 17h04), dupla ronda dividida por um Reagrupamento (12h48). O Pódio Final estará montado no Jardín del Posío, onde se fará a consagração dos vencedores, a partir das 18h00, desta que é a terceira de seis provas da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021.

 

Nota: Horas locais (menos 1h00 em Portugal Continental); Horas referenciais para o primeiro carro na estrada.

 

PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021

Rally de Ourense – Classificação após 1ª Etapa*

 

1º Álvaro Muñiz / Javier Martinez, 40m48,9s

2º Óscar Palomo / José Pintor, a 23,8s

3º Alejandro Cachón / ‘Jandrín’, a 27,7s

4º Alberto Monarri / Ángel Vela, a 33,4s

5º Pedro Almeida / Hugo Magalhães, a 2m04,9s;

6º Miguel Campos / José Janela, a 2m17,6s; 7º Josep M Reyes / Carlos Cancela, a 2m20,2s; 8º Ricardo Sousa / Luis Marques, a 2m36,2s; 9º Delbin García / Hugo Varella, a 3m26,5s; 10º Santiago García / Nestor Casal, a 5m39,0s; 11º Kevin Guerra / Daniel Sosa, a 2m53,8s; 12º César Cid / Francisco Garcia, a 7m58,9s.

 

Notas:

Todos em PEUGEOT 208 Rally4;

Abandonos: Hugo Lopes / Tiago Neves (ES1); Carlos Fernandes / Valter Cardoso (ES4); Roberto Blach / Jose Vieitez (na ligação, após ES4): Pendente o seu potencial regresso amanhã (sábado), segundo as regras de “Rally2”, o que a acontecer fará com que não possam pontuar para esta jornada da copa (ver Artº 3 e Artº 7 do Regulamento Desportivo da copa).

* Classificação provisória, dependente da publicação dos resultados oficiais pela organização da prova.

PEUGEOT 208 RALLY4 ESTREIAM-SE NOS PISOS DE ASFALTO DE OURENSE

PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 – RALLY OURENSE

 

PEUGEOT 208 RALLY4 ESTREIAM-SE NOS PISOS DE ASFALTO DE OURENSE

Corre-se neste fim de semana o Rally Ourense, terceira prova da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, evento que se estreia na competição coorganizada pela PEUGEOT Portugal e PEUGEOT Espanha, com a logística da Sports & You.

Para lá da fronteira norte de Portugal Continental, serão 15 os PEUGEOT 208 Rally4, conduzidos por 5 equipas portuguesas e 10 espanholas, num duelo que terá como palco um total de 10 especiais de classificação (150,12 km cronometrados). Será, não só a estreia da copa em Espanha nesta época, como também o primeiro rali em pisos de asfalto, após os anteriores dois ralis de terra corridos por cá (Terras d’Aboboreira e Vodafone Rally de Portugal), de um total de seis provas do calendário de 2021.

No acumulado desses dois primeiros ralis da Temporada 4, os líderes provisórios da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 são os espanhóis Alberto Monarri (Pilotos) e Ángel Vela (Navegadores), dupla que pretende alcançar uma vitória caseira para manter à distância os respetivos adversários.

No acumulado dos resultados alcançados nas duas primeiras provas desta Temporada 4 da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA (Rally Terras d’Aboboreira e Vodafone Rally de Portugal), as tabelas de pontuações apresentam Alberto Monarri (37,63 pontos), Miguel Campos (29,34 pontos) e Óscar Palomo (27,76 pontos) no ranking de Pilotos, e os respetivos co-pilotos Ángel Vela, Paulo Lopes e José Pintor no alinhamento de Navegadores. São os componentes destes dois top-3 que não só irão tentar manter-se no pódio provisório, como fazer evoluir as suas pontuações, de modo a poderem abordar, com menos pressão, a segunda metade da época 2021.

 

Desta feita serão 15 os PEUGEOT 208 Rally4 que irão alinhar no Rally Ourense, terceira prova da iniciativa coorganizada pela PEUGEOT Portugal e PEUGEOT Espanha, e explorar, nos pisos locais de asfalto, todas as potencialidades do modelo com assinatura PEUGEOT Sport, que registou elevados índices de competitividade e de fiabilidade nos troços de terra dos dois ralis já corridos este ano.

PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 – LISTA DE INSCRITOS
Rally Ourense

 

Piloto Navegador
14 Óscar Palomo (ESP) Jose Pintor (ESP)
15 Roberto Blach (ESP) José Viéitez (ESP)
16 Santiago Garcia (ESP) Nestor Casal (ESP)
18 Delbín García (ESP) Coral Barroso (ESP)
22 Alberto Monarri (ESP) Ángel Vela (ESP)
23 Miguel Campos (POR) José Janela (POR)
24 Alejandro Cachón (ESP) Alejandro Lopez (ESP)
25 Álvaro Muñiz (ESP) Diego Vasquez (ESP)
26 Hugo Lopes (POR) José Neves (POR)
27 Jose María Reyes (ESP) Carlos Cancela (ESP)
28 Pedro Almeida (POR) Hugo Magalhães (POR)
29 Ricardo Sousa (POR) Luis Marques (POR)
30 Carlos Fernandes (POR) Valter Cardoso (POR)
31 Kevin Guerra (ESP) Daniel Sosa (ESP)
32 Cesar Cid (ESP) Francisco Garcia (ESP)

 

Os detalhes do Rally Ourense em resumo

Terceira jornada da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, primeira corrida do ano em Espanha e também primeira de 2021 em pisos de asfalto, esta 54ª edição do Rally Ourense divide-se em dois dias (16 e 17 de julho), integrando um total de 10 Especiais de Classificação (150,12 km cronometrados), quatro corridas na tarde de sexta-feira e as restantes divididas pelo dia de sábado, para um percurso total de 547,74 km.

 

Após o Shakedown, que terá lugar na manhã de sexta-feira, um palco onde todas as equipas poderão confirmar e/ou fazer as derradeiras afinações aos seus PEUGEOT 208 Rally4, segue-se a secção competitiva da prova, numa 1ª Etapa cujo arranque está agendado para as 17h00, a partir do Jardin del Posío. Os concorrentes irão disputar os melhores tempos em 4 classificativas, duas corridas ao final da tarde e as restantes já noite dentro, numa dupla passagem pelas especiais de Amoeiro (15,08 km; às 18h09 e 21h30) e Carballiño (19,50 km; às 18h52 e 22h14), intervaladas por um Reagrupamento (19h42). Finda esta primeira fase do Rally Ourense, as viaturas entram em Parque Fechado, pelas 23h59.

 

Será pelas 9h30 de sábado que a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA regressa à estrada, para uma 2ª Etapa composta por mais 3 troçosPeroxa (15,35 km), Toén (15,13 km) e Allariz (10 km), repetidos de manhã e de tarde. O primeiro embate faz-se a partir das 10h27, o segundo às 11h25 e o terceiro às 12h33, a que se segue um Reagrupamento (12h48). Pela mesma ordem, os concorrentes enfrentam a última ronda de troços do rali, disputando-os a partir das 14h58, 15h56 e 17h04. O Pódio Final estará montado no Jardín del Posío, onde se fará a consagração dos vencedores, a partir das 18h00.

 

Será, assim, a terceira das seis jornadas da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, num total de três ralis em solo português, todos em terra e do Campeonato de Portugal de Ralis (CPR), e outros tantos do lado oposto da fronteira, todos em asfalto e integrantes do novo Supercampeonato de Espanha de Ralis (SCER).

 

Coorganizada pela PEUGEOT Portugal e pela PEUGEOT Espanha e com a gestão logística a cargo da Sports & You, a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 mantém a parceria com a Pirelli, no domínio dos pneus, entre outros apoios: Vodafone, RACC e ACP.

 

Acrescente-se que, à semelhança do que sucedeu nas anteriores duas jornadas da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, dar-se-á aqui em Ourense continuidade à parceria com a iniciativa Race for Good, movimento dinamizado pelo treinador de futebol André Villas-Boas e que recorre ao desporto motorizado como plataforma de comunicação e promoção de ações de cariz social e humanitário.

 

 

INFORMAÇÕES E FOTOS:

– em http://www.peugeotrallycupiberica.com/

– no Facebook https://www.facebook.com/peugeotrallycupiberica/

– Imagens da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA para imprensa (livres de direitos editoriais) em https://aifa.smugmug.com/Motorsport/PEUGEOT-Rally-Cup

 

CONTACTOS:

PEUGEOT PORTUGAL – Jorge Magalhães: jorge.magalhaes@stellantis.com | + 351 96 986 16 80

SPORTS & YOU – José Pedro Fontes: jpfontes@sportsandyou.pt | + 351 91 762 55 88

GOOD NEWS – Tito Morão: tmorao@goodnews.pt | + 351 91 840 00 01

José Pinheiro: jpinheiro@goodnews.pt | + 351 91 565 32 73

 

 

 

ANEXO: FICHA TÉCNICA – NOVO PEUGEOT 208 RALLY4

 

CHASSIS

Estrutura: Coque PEUGEOT 208, reforçada com um arco de proteção multiponto soldado

Carroçaria: Aço e plástico

MOTOR

Tipo: EB2 Turbo

Diâmetro x Curso: 75 x 90,48 mm

Cilindrada: 1.199 cm3

Potência máxima / Binário máximo: 208 cv às 5.450 rpm / 290 Nm às 3.000 rpm

Potência por litro: 175 cv/l

Distribuição: Dupla árvore de cames à cabeça acionada por um eixo, 4 válvulas por cilindro

Alimentação: Injeção direta pilotada por caixa Magnetti Marelli

TRANSMISSÂO

Tipo: Tração às rodas da frente

Embraiagem: Duplo disco de cerâmica / metálico, com diâmetro de 183 mm

Caixa de velocidades: Sequencial SADEV de 5 velocidades

Diferenciais: Mecânico com autoblocante

TRAVÕES

À frente: Discos ventilados de 330 mm (asfalto) e 290 (terra); pinças de 3 pistões

Atrás: Discos de 290 mm; pinças de 2 pistões

Travão de mão: De comando hidráulico

SUSPENSÕES

Tipo: McPherson

Amortecedores: Ohlins reguláveis, 3 vias (compressão a baixa e alta velocidade, batente)

RODAS

Jantes /Pneus: Speedline 7×17 / 19/63-17 e Speedline 6×15 / 16/64-15

DIMENSÕES, PESOS E CAPACIDADES

Comprimento x Largura x Altura: 4.052 mm x 1.738 mm x 2.553 mm

Pesos: 1.080 km (mínimo) / 1.240 kg (incluindo pilotos)

Depósito de combustível: 60 lts

[1] Nota: Horas referenciais para o primeiro carro na estrada; horas espanholas, menos 1 hora em Portugal Continental

 

VODAFONE RALLY DE PORTUGAL 17 PEUGEOT 208 RALLY4 PERFILADOS PARA VENCER A JORNADA PORTUGUESA DO WRC

PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 | VODAFONE RALLY DE PORTUGAL

17 PEUGEOT 208 RALLY4 PERFILADOS PARA VENCER A JORNADA PORTUGUESA DO WRC

 

Segunda prova da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, o Vodafone Rally de Portugal está de regresso ao calendário da iniciativa coorganizada pela PEUGEOT Portugal e PEUGEOT Espanha, com a logística da Sports & You, representando um dos pontos altos da presente Temporada 4.

Tal como no primeiro rali do ano, são 17 os PEUGEOT 208 Rally4 inscritos, pelas mãos de outros tantos ‘Leões’ que, face a uma audiência mais representativa, pretendem dar maior visibilidade às suas competências ao volante. Apostando nas características de excelência desta criação da PEUGEOT Sport, terão pela frente 122,88 km cronometrados, ao acumulado das sete exigentes especiais em terra da região de Arganil, a que se junta a SuperEspecial de Lousada.  Constituem a 1ª Etapa do nosso rali de maior importância, que serve, assim, de coluna vertebral à segunda prova da copa ibérica, num percurso total de 588,22 km que ligará Coimbra a Matosinhos. 

Candidatas à vitória serão, por isso, as mesmas dez equipas espanholas, seis portuguesas e uma britânica que, no passado Rali Terras d’Aboboreira se entregaram a um muito competitivo conjunto de batalhas, tendo saído vitoriosa a dupla espanhola Óscar Palomo / José Pintor.

Depois da competitividade demonstrada pelos 17 PEUGEOT 208 Rally4 que alinharam no Rali Terras d’Aboboreira, os concorrentes aos títulos da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 apontam, agora, baterias àquela que será a sua primeira prova mundialista, o Vodafone Rally de Portugal, que após um ano de ausência forçada pela pandemia, regressa ao calendário da Temporada 4 da iniciativa coorganizada pela PEUGEOT Portugal e PEUGEOT Espanha.

À semelhança do rali anterior voltam a ser 17 as equipas inscritas na prova lusa do WRC, todas as mesmas formações que, no triângulo entre Amarante, Baião, Marco de Canaveses, se entregaram a lutas pelos melhores tempos nos troços. No final do primeiro rali do ano, essa posição de destaque viria a ser conquistada pela dupla espanhola Óscar Palomo / José Pintor, batendo os portugueses Miguel Campos / Paulo Lopes e os seus conterrâneos Alberto Monarri / Ángel Vela por curtas margens, num demonstrativo equilíbrio registado na luta pelos lugares da frente.

Serão estas três duplas que terão, sobre si, a mira dos restantes 14 concorrentes aos títulos de Pilotos e Navegadores da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, nomeadamente os que, por esta ordem, terminaram próximos dos três lugares do pódio, no caso os regressados Hugo Lopes / Tiago Neves e Pedro Almeida / Hugo Magalhães, respetivamente os 4ºs e 5ºs classificados no final do evento. 

Perfilou-se, depois, a dupla Ruiari Bell / Gareth Parry, formação britânica que dividiu ao meio o restante plantel de pilotos e navegadores ibéricos, deixando atrás de si os estreantes Kevin Guerra / Daniel Sosa e os regulares Ricardo Sousa / Luis Marques e Carlos Fernandes / Valter Cardoso, numa classificação final deste primeiro rali do ano que se fechou com Álvaro Muñiz / Álex Noriega, Santiago García / Nestor Casal e Josep M Reyes / Carlos Cancela.

Quem quererá agora fazer bem melhor do que a exibição aí demonstrada serão Josep Bassas / Axel Coronado, a mais azarada das equipas, que se viu obrigada a abandonar o rali ainda no Shakedown, antes do mesmo ter ido para a estrada, ou os também espanhóis Alejandro Cachón / ‘Jandrín’, que foram os primeiros líderes do rali nortenho. A zero ficaram, também, Delbin García / Coral Barroso e Roberto Blach, que nesta prova tem José Murado como navegador, em substituição de José Vieitez, ou ainda a dupla Ernesto Cunha / Rui Raimundo que, no rali anterior e à última hora, abdicou da participação na copa, regressando agora ao convívio dos seus pares.

Aos comandos dos PEUGEOT 208 Rally4, máquina com assinatura PEUGEOT Sport e que regista elevados índices de competitividade e de fiabilidade, irão estar, assim, seis duplas portuguesas que, num rali em casa, quererão impor a sua regra aos cada vez mais aguerridos adversários espanhóis, dez no total, a que se soma um já experiente intruso de origem britânica.

PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 – LISTA DE INSCRITOS
Vodafone Rally de Portugal

Piloto

Navegador

77

Alejandro Cachón (ESP)

Alejandro Lopez (ESP)

78

Álvaro Muñiz (ESP)

Álex Noriega (ESP)

79

Óscar Palomo (ESP)

Jose Pintor (ESP)

80

Pedro Almeida (POR)

Hugo Magalhães (POR)

81

Roberto Blach (ESP)

José Murado (ESP)

82

Josep Bassas (ESP)

Axel Coronado (ESP)

83

Ernesto Cunha (POR)

Rui Raimundo (POR)

84

Delbín García (ESP)

Coral Barroso (ESP)

85

Jose María Reyes (ESP)

Carlos Cancela (ESP)

86

Carlos Fernandes (POR)

Valter Cardoso (POR)

87

Alberto Monarri (ESP)

Ángel Vela (ESP)

88

Miguel Campos (POR)

Paulo Lopes (POR)

89

Ruairi Bell (GBR)

Gareth Perry (GBR)

90

Ricardo Sousa (POR)

Luis Marques (POR)

91

Santiago Garcia (ESP)

Nestor Casal (ESP)

92

Hugo Lopes (POR)

José Neves (POR)

93

Kevin Guerra (ESP)

Daniel Sosa (ESP)

Os detalhes do Vodafone Rally de Portugal em resumo

Segunda jornada do Campeonato de Portugal de Ralis 2021, o Vodafone Rally de Portugal aproveita a totalidade da sua 1ª Etapa como estrutura desta segunda prova da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, dividindo-se em dois dias (20 e 21 de maio). Integra 8 Especiais de Classificação (122,88 km cronometrados) para um percurso total de 588,22 km e que ligará a cidade de Coimbra às instalações da Exponor, em Matosinhos, o centro nevrálgico do rali luso também pontuável para o Campeonato do Mundo de Ralis.

A manhã do primeiro dia (quinta-feira, 20 de maio) contempla a sessão de Shakedown, a realizar nos 4,6 km de Paredes, troço onde as equipas poderão fazer as últimas afinações aos seus PEUGEOT 208 Rally4, após a qual deverão rumar às respetivas assistências, na Exponor. Daqui sairão durante a tarde para que, a partir das 20h30 estejam na Cerimónia de Partida, a realizar no centro da Cidade dos Estudantes, seguindo-se a entrada das viaturas em Parque Fechado.

A secção competitiva iniciar-se-á, assim, na madrugada de sexta-feira (21 de maio), com os concorrentes a saírem de Coimbra a partir das 06h50, plantel que integra os 17 PEUGEOT 208 Rally4, preparando-se para a conquista dos melhores tempos nos oito troços delineados pelo ACP Motorsport. Será uma sequência de três especiais, repetidas por duas vezes – Lousã (12,35 km; às 08h08 e 12h31), Góis (19,51 km; às 09h08 e 13h31) e Arganil (18,82 km; às 10h08 e 14h31), a que se segue um reagrupamento para refuel, processo que lhes permitirá completar as duas últimas classificativas. Serão elas Mortágua (18,16 km, às 15h58), a última das especiais tradicionais de estrada, e a SuperEspecial de Lousada (3,36 km, às 19h03), na respetiva pista de rallycross, palco onde as batalhas pelos diferentes lugares na classificação final terão o seu epílogo.

Finda essa secção do rali, as equipas terão de fazer entrar em Parque Fechado os seus 208 Rally4, decidindo, entretanto, se pretendem continuar em prova no dia seguinte. Caso o façam, qualquer resultado que venham a alcançar não terá nenhuma influência em termos de pontuações para a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021.

Será, assim, esta a segunda de seis jornadas da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, de um total de três ralis em solo português, todos em terra e do Campeonato de Portugal de Ralis (CPR), e outros tantos do lado oposto da fronteira, todos em asfalto e integrantes do novo Supercampeonato de Espanha de Ralis (SCER).

Coorganizada pela PEUGEOT Portugal e pela PEUGEOT Espanha e com a gestão logística a cargo da Sports & You, a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 mantém a parceria com a Pirelli, no domínio dos pneus, entre outros apoios: Vodafone, RACC e ACP.

Acrescente-se que, uma vez mais, a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 associa-se, nesta prova, à iniciativa Race for Good, movimento dinamizado pelo treinador de futebol André Villas-Boas e que recorre ao desporto motorizado como plataforma de comunicação e promoção de ações de cariz social e humanitário.

INFORMAÇÕES E FOTOS:

– em http://www.peugeotrallycupiberica.com/ 

– no Facebook https://www.facebook.com/peugeotrallycupiberica/ 

– Imagens da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA para imprensa (livres de direitos editoriais) em https://aifa.smugmug.com/Motorsport/PEUGEOT-Rally-Cup 

CONTACTOS:

PEUGEOT PORTUGAL – Jorge Magalhães: jorge.magalhaes@stellantis.com | + 351 96 986 16 80

SPORTS & YOU – José Pedro Fontes: jpfontes@sportsandyou.pt | + 351 91 762 55 88

GOOD NEWS – Tito Morão: tmorao@goodnews.pt | + 351 91 840 00 01

            José Pinheiro: jpinheiro@goodnews.pt | + 351 91 565 32 73

ANEXO: FICHA TÉCNICA – NOVO PEUGEOT 208 RALLY4

CHASSIS

Estrutura: Coque PEUGEOT 208, reforçada com um arco de proteção multiponto soldado

Carroçaria: Aço e plástico

MOTOR

Tipo: EB2 Turbo

Diâmetro x Curso: 75 x 90,48 mm

Cilindrada: 1.199 cm3

Potência máxima / Binário máximo: 208 cv às 5.450 rpm / 290 Nm às 3.000 rpm

Potência por litro: 175 cv/l

Distribuição: Dupla árvore de cames à cabeça acionada por um eixo, 4 válvulas por cilindro

Alimentação: Injeção direta pilotada por caixa Magnetti Marelli

TRANSMISSÂO

Tipo: Tração às rodas da frente

Embraiagem: Duplo disco de cerâmica / metálico, com diâmetro de 183 mm

Caixa de velocidades: Sequencial SADEV de 5 velocidades

Diferenciais: Mecânico com autoblocante

TRAVÕES

À frente: Discos ventilados de 330 mm (asfalto) e 290 (terra); pinças de 3 pistões

Atrás: Discos de 290 mm; pinças de 2 pistões

Travão de mão: De comando hidráulico

SUSPENSÕES

Tipo: McPherson

Amortecedores: Ohlins reguláveis, 3 vias (compressão a baixa e alta velocidade, batente)

RODAS

Jantes /Pneus: Speedline 7×17 / 19/63-17 e Speedline 6×15 / 16/64-15

DIMENSÕES, PESOS E CAPACIDADES

Comprimento x Largura x Altura: 4.052 mm x 1.738 mm x 2.553 mm

Pesos: 1.080 km (mínimo) / 1.240 kg (incluindo pilotos)

Depósito de combustível: 60 lts

ÓSCAR PALOMO / JOSÉ PINTÓSCAR PALOMO / JOSÉ PINTOR EM DESTAQUE NO PRIMEIRO CONFRONTO DA TEMPORADA 4 DA PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA OR EM DESTAQUE NO PRIMEIRO CONFRONTO DA TEMPORADA 4 DA PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA

ÓSCAR PALOMO / JOSÉ PINTOR EM DESTAQUE NO PRIMEIRO CONFRONTO DA TEMPORADA 4 DA PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA

 A dupla espanhola Óscar Palomo / José Pintor impôs-se na primeira prova da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, o Rali Terras d’Aboboreira, realizado entre ontem e hoje na região de Amarante, Baião e Marco de Canavezes, iniciativa em que se registou o primeiro confronto do ano entre os PEUGEOT 208 Rally4 que serve de base a esta popular copa ibérica de ralis. 

Contabilizados os tempos de cinco das sete especiais corridas (duas foram neutralizadas) e após várias lutas ao segundo pelos lugares de topo, várias trocas de líderes e percalços para alguns dos pretendentes à vitória, esta ficou para a dupla do 208 Rally4 nº 46, impondo-se por 14,1 segundos a Miguel Campos / Paulo Lopes e por 17 segundos redondos sobre os seus conterrâneos Alberto Monarri / Ángel Vela, que subiram aos restantes lugares do pódio. 

Foram 16 os PEUGEOT 208 Rally4 que se apresentaram à partida da prova organizada pelo Clube Automóvel de Amarante, contabilizando a primeira de seis pontuações de uma época que irá ter continuidade já em meados deste mês de maio, no Vodafone Rally de Portugal, prova do WRC e de que a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA irá usar os troços da 1ª Etapa como secção competitiva. Inscritos estão 17 Peugeot 208 Rally4. 

Realizando um tempo canhão no último troço do Rali Terras d’Aboboreira – mais de 1 segundo por quilómetro ganho aos seus adversários mais diretos – a dupla espanhola Óscar Palomo / José Pintor acaba de assinar a vitória no primeiro confronto do ano da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA, impondo-se com bastante autoridade naquela que foi a primeira prova da Temporada 4 da copa coorganizada pela Peugeot Portugal e Peugeot Espanha. Num rali onde se apresentaram 16 Peugeot 208 Rally4, foi o da dupla espanhola o mais lesto a cumprir o percurso cronometrado. 

Após um conjunto de lutas intensas pelos melhores lugares, os restantes degraus do pódio ficaram para Miguel Campos / Paulo Lopes, com um bom 2º lugar do outrora Campeão Nacional de Ralis, à frente de Alberto Monarri COMUNICADO DE IMPRENSA 1 de maio de 2021 

DIREÇÃO DE COMUNICAÇÃO E RELAÇÕES INSTITUCIONAIS Rua Vasco da Gama, 20 2685-244 Portela – Loures, Portugal Tel.: + 351 21 949 78 63 

/ Ángel Vela, terminando, respetivamente a 14,1 e a 17,0 segundos do vencedor, diferenças que não espelham o estreito fosso que, quase sempre, existiu entre eles ao longo do dia de hoje. 

Na chegada ao pódio montado no final do rali amarantino, Óscar Palomo espelhava felicidade: “Estou radiante! Foi um rali fantástico, muito disputado até ao fim, em troços muito giros, com um carro que não deu quaisquer problemas. No último dei o que tinha e o que não tinha, fazendo-o a fundo para tentar ganhar e consegui”. 

Também Miguel Campos estava satisfeito com o 2º lugar, “se bem que tivesse preferido ser 1º. Na última assistência fizemos umas alterações nas molas da traseira que não resultaram, mas de qualquer modo foi muito giro lutar com um grupo de jovens que conhecem o carro muito melhor do que eu, cheios de ‘sangue na guelra’. Vamos agora pensar no Rali de Portugal”. 

Finalmente, Alberto Monarri considera ter sido “um bom resultado, com um pódio, mas queria mais, aliás, quero fazer bem melhor nas próximas provas. Foi um rali que decorreu bem, frente a uma concorrência muito forte, sem que se registassem quaisquer stresses”. 

No seu caminho para esta primeira vitória do ano, Palomo foi o mais rápido em 3 Especiais (ES2, ES5 e ES7), de 5 troços efetivamente corridos, dos 7 inicialmente previstos, já que as ES4 e ES6 foram neutralizadas devido a acidentes de outras categorias. Os restantes melhores tempos ficaram para Alejandro Cachón (ES 1) e para Miguel Campos (ES3). Em complemento, o vencedor do rali também conquistou o primeiro troféu da Junior Cup da presente época, impondo-se a Hugo Lopes e a Pedro Almeida (pilotos com menos de 25 anos, nascidos em ou após 1 de janeiro de 1995). 

Em termos de pontuações agora alcançadas, a dupla Palomo / Pintor soma a fatia maior nas Tabelas de Pilotos e Navegadores, respetivamente, conquistando os 25 pontos da vitória, acrescendo 2,13 pontos, o proporcional de 5 pontos aos 3 troços em que alcançaram os melhores tempos. Seguem-se Campos / Lopes (20 + 0,71 pontos) e Monarri / Vela (17 pontos). 

Primeira Etapa já a definir alguns andamentos 

Completou-se ontem à tarde (sexta-feira) a 1ª Etapa do Rali Terras d’Aboboreira, jornada inaugural da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, sendo que no cômputo das duas primeiras especiais – uma dupla passagem pelos 13,83 km do troço de Amarante Natureza Criativa – a classificação da copa apresentava a dupla Alejandro Cachón / Alejandro ‘Jandrin’ Lopez num provisório 1º lugar, seguida de Alberto Monarri / Ángel Vela, a 13,4 segundos, e de Óscar Palomo / José Pintor, a 14,5 segundos, ou seja, havia apenas 1,1 segundos entre os dois últimos. Logo atrás, vinham os melhores representantes lusos, Miguel Campos / Paulo Lopes, a 15,2 segundos do líder, mas a 7 décimos do 3º classificado, por sua vez batendo Hugo Lopes / Tiago Neves por 3,5 segundos. COMUNICADO DE IMPRENSA 1 de maio de 2021 

DIREÇÃO DE COMUNICAÇÃO E RELAÇÕES INSTITUCIONAIS Rua Vasco da Gama, 20 2685-244 Portela – Loures, Portugal Tel.: + 351 21 949 78 63 

Voltando ao início do rali, nos quase 13,83 km do troço de abertura da prova, o mais rápido fora o 208 Rally4 de Cachón / ‘Jandrin’, com 3,9 segundos sobre Lopes / Neves, ficando o terceiro melhor tempo para Kevin Guerra / Daniel Sosa, a 4,3 segundos do melhor crono. Cumpria-se, depois, nova passagem por esta mesma especial, com Palomo / Pintor a alcançar a melhor marca, 1,2 segundos mais rápida do que o registo dos vencedores da ES1, ficando o terceiro tempo (a 8,4 segundos) para Miguel Campos, Campeão Nacional de Ralis 2002, ele que, agora navegado por Paulo Lopes, faz aqui a sua estreia na PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA, regressando à marca cujas cores defendeu entre 2001 e 2005 como piloto oficial. 

Acrescente-se que à partida deste primeiro de seis ralis da copa de 2021 se apresentaram 16 dos 17 208 Rally4 inicialmente inscritos, pelotão que se viu desfalcado da dupla espanhola Josep Bassas / Axel Coronado, fruto de problemas na sessão de Shakedown. A título de registo, nessa sessão de testes definitiva prévia ao rali, num troço de 3,47 km (Vila Boa de Quires,) os mais rápidos já haviam sido os espanhóis Palomo / Pintor, seguidos dos seus compatriotas José María Reyes / Carlos Cancela e dos portugueses Hugo Lopes / Tiago Neves. Pelo facto de ter participado no Qualifying, quando pelo Regulamento Desportivo da copa não o poderia fazer, a dupla Ernesto Cunha / Rui Raimundo não pontuou nesta primeira jornada da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021. 

Um segundo dia bem mais intenso na luta pelo 1º lugar 

Com apenas duas especiais cumpridas, o ranking da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA estava por demais indefinido, entre os pilotos da frente e ao longo de um pelotão que, por percalços ou diferenças de andamento já se dividia em grupos, com distâncias mínimas entre si. Resolvidas nas assistências as eventuais questões e após uma noite bem dormida, todos saíram para a estrada na manhã de sábado, para os restantes troços de terra desenhados pelo Clube Automóvel de Amarante, no triângulo entre Amarante, Baião e Marco de Canaveses, tentando, com isso, evoluir na classificação. 

Neste dia Feriado de 1º de Maio, os trabalhadores dos 208 Rally4 exibiram as suas pretensões logo na primeira especial do dia, os 10,18 km do troço de Marão 1. Aqui, a dupla Miguel Campos / Paulo Lopes, com um tempo inferior ao dos seus adversários mais diretos, galgava três posições de uma assentada e ascendia à liderança do rali. Os segundos mais rápidos neste troço foram Alberto Monarri / Ángel Vela, a 3,7 segundos, e Pedro Almeida / Hugo Magalhães, a 4,2 segundos. Ao final desta especial não chegariam Alejandro Cachón / ‘Jandrin’, até então líderes do rali, nem os seus compatriotas Delbín Garcia / Coral Barroso. 

Com a neutralização do troço seguinte, Baião Vida Natural (19,17 km), devido a um acidente com um carro de outra categoria, impedindo que os pilotos da copa ibérica cumprissem o troço em corrida, os pilotos rumaram, de novo, à especial de Marão 2, onde Óscar Palomo / Jose Pintor seriam os mais rápidos, tirando nada menos do que 8 segundos ao tempo feito na primeira passagem, batendo por 3,7 segundos Monarri / Vela e por 4,2 COMUNICADO DE IMPRENSA 1 de maio de 2021 

DIREÇÃO DE COMUNICAÇÃO E RELAÇÕES INSTITUCIONAIS Rua Vasco da Gama, 20 2685-244 Portela – Loures, Portugal Tel.: + 351 21 949 78 63 

segundos Campos / Lopes, resultados que, de novo, revolucionavam os lugares da frente. Pelo caminho ficava Roberto Blach, o ‘Campeão’ da época inaugural da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA, em 2018, ele que nesta nova tentativa de revalidação do cetro é acompanhado por José Vieitez. 

À entrada do Reagrupamento, o top-5 provisório da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA contava com um novo líder, os espanhóis Palomo / Pintor – eram os 3ºs a alcançar tal posição neste rali – se bem que com uma muito magra vantagem de 0,7 segundos sobre Campos / Lopes, dupla que, por sua vez, só tinha uns curtos 1,4 segundos de avanço sobre Monarri / Vela. O 4º lugar era de Almeida / Magalhães, a 17,6 segundos do 1º lugar, eles que tinham o 208 Rally4 de Lopes / Neves a uns meros 2 segundos. Atrás, entre o 6º e o 10º classificado havia menos de 15 segundos, pelo que tudo podia acontecer na definição do restantes escalonamento do top-10. 

De facto, tudo se decidiria durante a tarde, quando os pretendentes à vitória neste Rali Terras d’Aboboreira saíram de Amarante, para cumprir uma suposta dupla passagem pelos 16,94 km do troço da Aboboreira. Só que, decorrente de novo acidente noutra categoria, a primeira tentativa ficava sem efeito, impedindo os Peugeot 208 Rally4 da copa de a percorrer em competição real, pelo que seria Aboboreira 2 a decidir a contenda: Palomo / Pintor voavam no troço e cumpriam-no em 11 minutos 21,1 segundos, batendo a dupla Lopes / Neves por 9,9 segundos e Almeida / Magalhães por 12,5 segundos, numa especial onde Miguel Campos / Paulo Lopes não foram além do 4º tempo, a 13,4 segundos da melhor marca. 

A consagração dos vencedores da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA fez-se já no cair da noite, no Pódio de Chegada montado em Amarante. 

PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 – RALI TERRAS D’ABOBOREIRA 2021 

Classificação Geral* 

1º Óscar Palomo / José Pintor, 1h10m57,9s – Vencedor da Junior Cup 

2º Miguel Campos / Paulo Lopes, a 14,1s 

3º Alberto Monarri / Ángel Vela, a 17,0s 

4º Hugo Lopes / Tiago Neves, a 29,5s – 2º da Junior Cup 

5º Pedro Almeida / Hugo Magalhães, a 30,1s – 3º da Junior Cup 

6º Ruiari Bell / Gareth Parry, a 1m12,1s (4º da Junior Cup); 7º Kevin Guerra / Daniel Sosa, a 1m15,7s; 8º Ricardo Sousa / Luis Marques, a 1m17,7s; 9º Carlos Fernandes / Valter Cardoso, a 1m20,3s; 10º Álvaro Muñiz / Álex Noriega, a 1m32,6s; 11º Santiago García / Nestor Casal, a 2m57,1s (5º da Junior Cup); 12º Josep M Reyes / Carlos Cancela, a 4m58,9s. COMUNICADO DE IMPRENSA 1 de maio de 2021 

DIREÇÃO DE COMUNICAÇÃO E RELAÇÕES INSTITUCIONAIS Rua Vasco da Gama, 20 2685-244 Portela – Loures, Portugal Tel.: + 351 21 949 78 63 

Abandonos: Josep Bassas / Axel Coronado (Shakedown); Alejandro Cachón / ‘Jandrín’ (ES3); Delbin García / Coral Barroso (ES3); Roberto Blach / José Vieitez (ES5). Embora inicialmente inscrita na copa, a dupla Ernesto Cunha / Rui Raimundo abdicou da participação neste evento, integrado na mesma. 

Notas: 

Todos em PEUGEOT 208 Rally4 

* Classificação Provisória; dependente da publicação dos resultados oficiais pela organização da prova. 

Seguir-se-á o Vodafone Rally de Portugal (20 a 23 de maio) como segunda prova da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, numa estrutura que em termos de secção pontuável para a copa irá aproveitar todos os 8 troços em terra da sua 1ª Etapa, a realizar na sexta-feira (dia 21), após o Shakedown da véspera. Estão já confirmadas as inscrições de 17 Peugeot 208 Rally 4 que competiram, neste Rali Terras d’Aboboreira. 

Coorganizada pela PEUGEOT Portugal e pela PEUGEOT Espanha e com a gestão logística a cargo da Sports & You, a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 mantém a parceria com a Pirelli, no domínio dos pneus, entre outros apoios: Vodafone, RACC e ACP. 

Recorde-se que a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 associou-se, nesta prova, à iniciativa Race for Good, movimento dinamizado pelo treinador de futebol André Villas-Boas e que recorre ao desporto motorizado como plataforma de comunicação e promoção de ações de cariz social e humanitário. 

INFORMAÇÕES E FOTOS: 

– em http://www.peugeotrallycupiberica.com/ 

– no Facebook https://www.facebook.com/peugeotrallycupiberica/ 

– Imagens da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA para imprensa (livres de direitos editoriais) em https://aifa.smugmug.com/Motorsport/Peugeot-Rally-Cup 

CONTACTOS: 

PEUGEOT PORTUGAL – Jorge Magalhães: jorge.magalhaes@stellantis.com | + 351 96 986 16 80 

SPORTS & YOU – José Pedro Fontes: jpfontes@sportsandyou.pt | + 351 91 762 55 88 

GOOD NEWS – Tito Morão: tmorao@goodnews.pt | + 351 91 840 00 01 

José Pinheiro: jpinheiro@goodnews.pt | + 351 91 565 32 73 

TEMPORADA 4 NA ESTRADA A PARTIR DE SEXTA-FEIRA

TEMPORADA 4 NA ESTRADA A PARTIR DE SEXTA-FEIRA

PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 INICIA-SE COM 17 ‘LEÕES’ NO RALI TERRAS D’ABOBOREIRA 

Tudo a postos para o arranque da Temporada 4 da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA, iniciativa que as filiais PEUGEOT de Portugal e de Espanha e a Sports & You levam a cabo desde 2018, e que este ano voltará a apostar no formato de seis ralis, corridos nos dois países da Península Ibérica. Nesta edição concentram-se em Portugal as jornadas de terra e em Espanha os ralis em pisos de asfalto.

A primeira prova vai para a estrada já neste fim-de-semana, no Rali Terras d’Aboboreira, contando-se 17 ‘Leões’ inscritos neste primeiro confronto da época, aos comandos dos PEUGEOT 208 Rally4, criação da Divisão de competição cliente da PEUGEOT Sport. Ao plantel que, nas anteriores três temporadas da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA, animou as batalhas nos troços portugueses e espanhóis, juntam-se duas equipas estreantes na copa. Contam-se 10 duplas espanholas, entre elas a do ‘Campeão’ de 2018, seis portuguesas, incluindo o Campeão de Portugal de Ralis de 2002, e ainda uma formação britânica.

Jornada inaugural do Campeonato de Portugal de Ralis 2021, num formato de dois dias (2 Etapas) e 7 Especiais (100,87 quilómetros ao cronómetro), para um percurso total de 316,22 quilómetros, o Rali Terras d’Aboboreira abrirá, assim, a batalha pelo título da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, o primeiro ‘round’ para se começarem a definir os sucessores de Pedro Antunes / Pedro Alves no Ranking dos Campeões. Esta dupla usufruirá em 2021 do Grande Prémio que conquistou há um ano e que lhe deu acesso a um programa mais completo, dividido entre os campeonatos de ralis de Portugal e dos Açores, integrado na estrutura da Sports & You e sob bandeira da STELLANTIS Motorsport.

Demonstração do sucesso que a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA regista ano após ano – em 2020, e apesar do impacto da pandemia, teve uma das suas épocas mais competitivas e indefinidas em termos de Campeões -, a Temporada 4 da copa organizada pelas filiais de Portugal e Espanha da PEUGEOT antecipa-se igualmente muito competitiva, com 17 equipas inscritas. Dominam as formações de ambos os lados da fronteira da Península Ibérica, entre muitos repetentes, vários regressos e estreias absolutas na iniciativa.

Aos comandos dos PEUGEOT 208 Rally4, máquina com assinatura PEUGEOT Sport estreada em 2020 e que registou elevados índices de competitividade e de fiabilidade, irão estar dez duplas espanholas, seis portuguesas e uma britânica, incluindo muitos nomes que, nas anteriores três temporadas da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA, animaram as batalhas pelos melhores tempos nos múltiplos troços de ralis. A estas juntam-se duas equipas estreantes absolutas na copa.

Respetivamente 2º e 3º classificados da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2020, Alejandro Cachón Rodrigues e Álvaro Muñiz Mora pretendem alcançar um título que lhes escapou por pouco na pretérita edição, algo que Óscar Palomo Ortiz (5º na copa de há um ano) também procurará para si. Do lado luso, com o ‘Campeão’ em título Pedro Antunes a abraçar um novo projeto de ralis, decorrente do Prémio Final que a conquista do título de 2020 lhe garantiu, os melhores classificados na edição de há um ano e que agora arriscam nova tentativa são Pedro Almeida (7º em 2020) e Ernesto Cunha (13º), ambos pretendem fazer bem melhor numa edição que volta a compor-se de seis provas, três em Portugal, todas em terra, outras tantas em Espanha, todas em asfalto.

Outro nome forte é o de Roberto Blach Nuñez, que se sagrou ‘Campeão’ em 2018, em 2020 tentou novo assalto ao título, terminando a época na 9º posição, e que fará, assim, a sua terceira época, algo que também acontece com três dos seus conterrâneos: Josep Bassas Mas (foi 3º em 2019 e 10º em 2020), Delbín García Alonso (12º e 18º) e José María Reyes (9º em 2019, tendo feito apenas um rali no ano passado). 

Do lote dos regressados e após um ano de ausência, contam-se o britânico Ruiari Bell, 4º classificado na edição de 2019 da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA, os portugueses Carlos Fernandes (‘Vice-Campeão’ em 2019; só fez um rali da copa 2020), Ricardo Sousa (15º) e Hugo Lopes (18º), e ainda os espanhóis Alberto Monarri (14º) e Santiago García Paz (17º). 

O grupo de 17 ‘Leões’ completa-se com duas estreias absolutas, a do português Miguel Campos, piloto de renome e com um palmarés recheado, que contempla, entre outros, o título absoluto de Campeão de Portugal em 2002 e o de Vice-Campeão Europeu no ano seguinte, ambos alcançados com a PEUGEOT, marca que representou oficialmente entre 2001 e 2005, e ainda o espanhol Kevin Guerra, Vice-Campeão em título do Campeonato das Canárias de Ralis (Terra).

PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 – LISTA DE INSCRITOS

#

Piloto

Navegador

1

Santiago Garcia (ESP)

Nestor Casal (ESP)

2

Pedro Almeida (POR)

Hugo Magalhães (POR)

3

Josep Bassas (ESP)

Axel Coronado (ESP)

4

Óscar Palomo (ESP)

Jose Pintor (ESP)

5

Delbín García (ESP)

Coral Barroso (ESP)

6

Jose María Reyes (ESP)

Carlos Cancela (ESP)

7

Alejandro Cachón (ESP)

Alejandro Lopez (ESP)

8

Roberto Blach (ESP)

José Viéitez (ESP)

9

Carlos Fernandes (POR)

Valter Cardoso (POR)

10

Ernesto Cunha (POR)

Rui Raimundo (POR)

11

Alberto Monarri (ESP)

Ángel Vela (ESP)

12

Miguel Campos (POR)

Paulo Lopes (POR)

13

Kevin Guerra (ESP)

Daniel Sosa (ESP)

14

Hugo Lopes (POR)

José Neves (POR)

15

Ruairi Bell (GBR)

Gareth Perry (GBR)

16

Ricardo Sousa (POR)

Luis Marques (POR)

17

Álvaro Muñiz (ESP)

Álex Noriega (ESP)

Os detalhes do Rali Terras d’Aboboreira em resumo

Jornada inaugural da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 e também do Campeonato de Portugal de Ralis 2021, o Rali Terras d’Aboboreira – Amarante / Baião / Marco de Canaveses tem a sua estrutura dividida em dois dias (30 de abril e 1 de maio), compondo-se de 2 Etapas, integrando 7 Especiais de Classificação (100,87 km cronometrados), para um percurso total de 316,22 km.

Baseado em Amarante, terá partida às 15h00 de sexta-feira para um único troço, a percorrer por duas vezes, Amarante Natureza Criativa (13,83 km; às 15h50 e 17h35), entrando, depois, as equipas em Parque Fechado (19h18). A 2ª Etapa arranca às 9h00 de sábado, para um percurso que, de manhã, integra duas passagens pelo troço de Marão (10,18 km; às 10h05 e 12h45), intercaladas pela especial de Baião Vida Natural (19,17 km; às 11h00), a que se segue um reagrupamento em Amarante. O rali completa-se a partir das 14h30, com uma dupla passagem pelo troço da Aboboreira (16,94 km; às 15h40 e 18h20), fazendo-se a consagração dos vencedores no Pódio de Chegada montado em Amarante, cerca das 19h00. Nota: horas referenciais para o primeiro carro na estrada.

Será esta a primeira de seis jornadas da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, num total de três ralis em solo português, todos em terra e pontuáveis para o Campeonato de Portugal de Ralis: o Vodafone Rally de Portugal, evento do WRC, o Rally Serras de Fafe e Felgueiras, prova do Europeu de Ralis (ERC); serão também três os ralis em Espanha, todos em asfalto: o Rally de Ourense e o Rally Blendio Princesa de Astúrias, do novo Supercampeonato de Espanha de Ralis (SCER), e o Rally RACC Catalunya – Rally de España, do WRC, onde cairá o pano da presente época.

CALENDÁRIO DA PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021*

30 abril a 1 maio

Rali Terras d’Aboboreira

Terra

Portugal

20 a 23 maio

Vodafone Rally de Portugal (1ª Etapa)

Terra

Portugal

16 a 17 julho

Rally de Ourense

Asfalto

Espanha

10 a 11 setembro

Rally Blendio Princesa de Astúrias

Asfalto

Espanha

24 e 25 setembro

Rally Serras de Fafe e Felgueiras (1ª Etapa)

Terra

Portugal

15 e 16 outubro

RACC Catalunya/Rally de España (1ª Etapa)

Asfalto

Espanha

* Nota: dependente das eventuais condicionantes inerentes aos “Estados de Emergência” que possam vir a ser implementados em ambos os países, decorrentes da evolução da pandemia

Coorganizada pela PEUGEOT Portugal e pela PEUGEOT Espanha e com a gestão logística a cargo da Sports & You, a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 mantém a parceria com a Pirelli, no domínio dos pneus, entre outros apoios: Vodafone, RACC e ACP.

Em cada um dos seis ralis está em jogo um atrativo pacote de 20.000 € em prémios, atribuindo-se aos três primeiros classificados 5.000, 4.000 e 3.000 € desse bolo, respetivamente, e dividindo-se o restante entre os demais integrantes do top-10. O melhor Piloto Junior (nascido em ou após 1 de janeiro de 1995) acumula 1.000 € ao seu pecúlio. Os prémios são pagos em montante monetário (50%), sendo a outra metade paga em vales de compra Peugeot Sport Racing Shop (a utilizar até dia 31 de dezembro de 2021). Em complemento, a organização atribui um galardão Ladies Trophy à melhor representante feminina, vertente para a qual, na presente edição ainda não há qualquer inscrição.

No final desta Temporada 4 da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA a equipa que se sagrar Campeã conquistará um Prémio Final de relevo, no formato de um Programa Oficial para 2022 sob a égide do STELLANTIS Group, numa de duas possibilidades: com a PEUGEOT Sport, no Europeu de Ralis (ERC), ao volante de um PEUGEOT 208 Rally4, ou com a Citroën Racing, num campeonato de ralis em Portugal ou Espanha, com um Citroën C3 Rally2.

Para terminar, acrescente-se que a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 irá associar-se à iniciativa Race for Good, movimento dinamizado pelo treinador de futebol André Villas-Boas e que recorre ao desporto motorizado como plataforma de comunicação e promoção de ações de cariz social e humanitário.

INFORMAÇÕES E FOTOS:

– em http://www.peugeotrallycupiberica.com/ 

– no Facebook https://www.facebook.com/peugeotrallycupiberica/ 

– Imagens da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA para imprensa (livres de direitos editoriais) em https://aifa.smugmug.com/Motorsport/Peugeot-Rally-Cup 

CONTACTOS:

PEUGEOT PORTUGAL – Jorge Magalhães: jorge.magalhaes@stellantis.com | + 351 96 986 16 80

SPORTS & YOU – José Pedro Fontes: jpfontes@sportsandyou.pt | + 351 91 762 55 88

GOOD NEWS – Tito Morão: tmorao@goodnews.pt | + 351 91 840 00 01

            José Pinheiro: jpinheiro@goodnews.pt | + 351 91 565 32 73

ANEXO: FICHA TÉCNICA – NOVO PEUGEOT 208 RALLY4

CHASSIS

Estrutura: Coque Peugeot 208, reforçada com um arco de proteção multiponto soldado

Carroçaria: Aço e plástico

MOTOR

Tipo: EB2 Turbo

Diâmetro x Curso: 75 x 90,48 mm

Cilindrada: 1.199 cm3

Potência máxima / Binário máximo: 208 cv às 5.450 rpm / 290 Nm às 3.000 rpm

Potência por litro: 175 cv/l

Distribuição: Dupla árvore de cames à cabeça acionada por um eixo, 4 válvulas por cilindro

Alimentação: Injeção direta pilotada por caixa Magnetti Marelli

TRANSMISSÂO

Tipo: Tração às rodas da frente

Embraiagem: Duplo disco de cerâmica / metálico, com diâmetro de 183 mm

Caixa de velocidades: Sequencial SADEV de 5 velocidades

Diferenciais: Mecânico com autoblocante

TRAVÕES

À frente: Discos ventilados de 330 mm (asfalto) e 290 (terra); pinças de 3 pistões

Atrás: Discos de 290 mm; pinças de 2 pistões

Travão de mão: De comando hidráulico

SUSPENSÕES

Tipo: McPherson

Amortecedores: Ohlins reguláveis, 3 vias (compressão a baixa e alta velocidade, batente)

RODAS

Jantes /Pneus: Speedline 7×17 / 19/63-17 e Speedline 6×15 / 16/64-15

DIMENSÕES, PESOS E CAPACIDADES

Comprimento x Largura x Altura: 4.052 mm x 1.738 mm x 2.553 mm

Pesos: 1.080 km (mínimo) / 1.240 kg (incluindo pilotos)

Depósito de combustível: 60 l

PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA LANÇA CAMPEONATO SIMRACING

TESTE AO VOLANTE DE UM PEUGEOT 208 RALLY4 É O PRÉMIO FINAL

Numa altura em que se ultimam os preparativos para a quarta temporada da PEUGEOT RALLY CUP IBÉICA, competição de ralis da responsabilidade das duas filiais ibéricas da PEUGEOT, a Sports & You e a SIMRALLY estão a preparar uma copa paralela, assente no mundo digital dos eSports.

PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA LANÇA CAMPEONATO SIMRACING

A nova PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA eSPORTS irá, assim, disputar-se nas mesmas seis provas que compõem o Calendário de 2021 da copa ibérica de ralis, criando toda uma nova ligação entre os participantes reais e os fãs do troféu, ou das competições em mundo virtual, num prolongamento do sucesso alcançado nas anteriores três temporadas do troféu real. Naturalmente, o cavalo de batalha desta versão e-Sports PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA assentará nos PEUGEOT 208 Rally4, em versão digital do carro de competição desenvolvido para a categoria ‘Rally4’ pelos ateliers da PEUGEOT Sport.

Conforme foi anunciado há um mês, a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 irá correr-se em seis eventos, três em Portugal (em terra) e três em Espanha (asfalto), incluindo duas jornadas pontuáveis para o Campeonato do Mundo de Ralis e outra do Europeu da especialidade. Mas a iniciativa não está, este ano, apenas reservada aos pilotos, navegadores e equipas que irão discutir os respetivos troféus no terreno.

A Sports & You e SIMRALLY estão a preparar outra competição paralela – PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA eSPORTS 2021– aberta a todos os fãs dos eSports, competições em universo digital. Esta passagem do real para o virtual, acontece também em sentido inverso, isto no que diz respeito ao prémio final, já que este contempla nada mais nada menos que um teste ao volante de um PEUGEOT 208 Rally4 real.

Responsável pela colocação no terreno da copa real, realizada com os novos e competitivos PEUGEOT 208 Rally4, a Sports & You inscreve, agora, esta nova copa virtual no calendário das competições do tipo eSports, recorrendo à variante digitalizada da competitiva máquina desenvolvida pela PEUGEOT Sport e com particularidade de as especiais cronometradas terem sido concebidas à imagem das especiais reais. Ou seja, os troços da Copa virtual terão o mesmo traçado dos troços reais de cada umas das seis provas.

DIREÇÃO DE COMUNICAÇÃO E RELAÇÕES INSTITUCIONAIS

Rua Vasco da Gama, 20 2685-244 Portela – Loures, Portugal

Tel.: + 351 21 949 78 63

Para uma maior envolvência com os participantes, a nova PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA eSPORTS 2021 terá como palco os mesmos 6 ralis da copa real, começando no Rali Terras d’Aboboreira, a que se seguirá o Vodafone Rali de Portugal, prova portuguesa do WRC, seguindo-se o Rally de Ourense, o Rally Princesa de Astúrias e o Rally Serras de Fafe e Felgueiras, evento que, em termos reais, é pontuável para o Europeu de Ralis, numa temporada digital que terminará no Rally RACC Catalunya – Rally de España, o segundo evento do calendário do Mundial de Ralis.

INSCREVE-TE AQUI

Para formalizarem a sua inscrição todos os candidatos deverão preencher o formulário disponível neste link. https://simrally.es/campeonato/peugeot-rally-cup-iberica-esports

CALENDÁRIO DA PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA eSPORTS 2021

25 de abril Rali Terras d’Aboboreira Terra Portugal

9 de maio Vodafone Rally de Portugal (1ª Etapa) Terra Portugal

11 de julho Rally de Ourense Asfalto Espanha

5 de setembro Rally Blendio Princesa de Astúrias Asfalto Espanha

19 de setembro Rally Serras de Fafe e Felgueiras (1ª Etapa) Terra Portugal

10 de outubro RACC Catalunya/Rally de España (1ª Etapa) Asfalto Espanha

INFORMAÇÕES E FOTOS:

– em http://www.peugeotrallycupiberica.com/

– no Facebook https://www.facebook.com/peugeotrallycupiberica/

– Imagens da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA para imprensa (livres de direitos editoriais) em

https://aifa.smugmug.com/Motorsport/Peugeot-Rally-Cup

CONTACTOS:

PEUGEOT PORTUGAL – Jorge Magalhães: jorge.magalhaes@stellantis.com | + 351 96 986 16 80

SPORTS & YOU – José Pedro Fontes: jpfontes@sportsandyou.pt | + 351 91 762 55 88

GOOD NEWS – Tito Morão: tmorao@goodnews.pt | + 351 91 840 00 01

José Pinheiro: jpinheiro@goodnews.pt | + 351 91 565 32 73

PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA REVALIDA TRUNFOS PARA A QUARTA TEMPORADA 

 PEUGEOT 208 RALLY 4 

PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA REVALIDA TRUNFOS PARA A QUARTA TEMPORADA 

Está tudo a postos para a quarta temporada da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA que promete voltar a marcar o ritmo das grandes emoções nos campeonatos de ralis em Portugal e Espanha. A competição da responsabilidade das duas filiais ibéricas da marca do leão está de regresso para seis jornadas emocionantes. 

É inegável o sucesso das anteriores três épocas desta iniciativa de ralis, algo que voltou a comprovar-se em 2020, ano em que a discussão dos títulos se prolongou até à sua derradeira jornada, após uma época atípica com quatro ralis. São, por isso, expectáveis novas lutas entre os múltiplos Peugeot 208 Rally4 que são esperados para a Temporada 4 da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA, iniciativa que voltará a dar acesso a um aliciante Prémio Final: um programa oficial, em Portugal ou Espanha, aos comandos de um carro da nova categoria ‘Rally 2’. 

Do calendário da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 fazem parte seis eventos, três em Portugal (em terra) e três em Espanha (asfalto), com a particularidade de voltar a incluir duas jornadas pontuáveis para o Mundial de Ralis e mais uma do Europeu da especialidade. 

No terreno com a logística da Sports & You, a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 iniciar-se-á, assim, no final de abril, no Rali Terras d’Aboboreira, seguindo-se o Vodafone Rali de Portugal (WRC) em maio e o Rally de Ourense, em julho. Após o interregno de Verão, a copa regressa às estradas em setembro para duas provas, o Rally Princesa de Astúrias e o Rally Serras de Fafe e Felgueiras, terminando-se a época no Rally RACC Catalunya – Rally de España. No final destes seis eventos discutidos ao volante dos competitivos Peugeot 208 Rally4 conhecer-se-ão os sucessores de Pedro Antunes / Pedro Alves, os Campeões de 2020. 

Fiéis ao objetivo de fazer eclodir os futuros talentos da disciplina, a Peugeot Portugal e a Peugeot Espanha ultimam os preparativos para levar para a estrada a Temporada 4 da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA. 

Após uma Temporada 3 atípica, afetada pelas alterações de calendário, decorrentes da situação de pandemia, a época de 2021 está a ser preparada com um desejável regresso gradual à normalidade, a começar pelo número de provas, que volta a ser seis. COMUNICADO DE IMPRENSA 10 de março de 2021 

DIREÇÃO DE COMUNICAÇÃO E RELAÇÕES INSTITUCIONAIS Rua Vasco da Gama, 20 2685-244 Portela – Loures, Portugal Tel.: + 351 21 949 78 63 

A organização da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA tem, naturalmente, em conta o contexto de pandemia que estamos a viver e que nos acompanhará nos próximos meses, estando enquadradas na realização das provas as medidas sanitárias adequadas e previstas pelas entidades oficiais para a competição automóvel como são os Ralis. 

“É com enorme satisfação que anunciamos o calendário desta que será a quarta época da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA. Esta iniciativa transporta os valores da marca PEUGEOT, tem-se revelado um enorme sucesso e tem marcado de forma indelével a modalidade rainha da competição automóvel, os ralis, na Península Ibérica. Não só o PEUGEOT 208 Rally4 se mostrou, como esperávamos, um carro vencedor – à semelhança do novo 208 de série – que entusiasma inúmeros pilotos e equipas, como a competitividade e a discussão dos títulos tem animado os Campeonatos nacionais. É claro, nestes fatores de sucesso não posso deixar de referir a contribuição para o lançamento de novos nomes nos ralis, ou para a confirmação de outros que, com esta nossa iniciativa, conseguiram implementar programas desportivos bastante sólidos,” refere Jorge Tomé, Brand Manager da PEUGEOT Portugal. 

Sob a égide das condicionantes sanitárias que terão de ser implementadas ao longo do ano, garantindo as condições de segurança dos participantes e das equipas, a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 deverá, assim, compor-se de três jornadas em solo português, todas em pisos de terra e pontuáveis para o Campeonato de Portugal de Ralis. São elas o Vodafone Rally de Portugal, a nossa prova maior e evento do calendário do Campeonato do Mundo de Ralis (WRC), o Rally Serras de Fafe e Felgueiras, prova que também integra o Campeonato da Europa de Ralis (ERC) e ainda o Rali Terras d’Aboboreira, evento que abrirá – assim se espera – a presente temporada. 

São, igualmente, três os ralis que se irão correr em Espanha, todos em asfalto, incluindo duas provas do novo Supercampeonato de Espanha de Ralis (SCER) – o Rally de Ourense e o Rally Blendio Princesa de Astúrias – e a prova maior do país vizinho, pontuável para o WRC, o Rally RACC Catalunya – Rally de España, onde cairá o pano da presente época. 

CALENDÁRIO DA PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021* 30 abril a 1 maio 

Rali Terras d’Aboboreira 

Terra 

Portugal 

20 a 23 maio 

Vodafone Rally de Portugal (1ª Etapa) 

Terra 

Portugal 

16 a 17 julho 

Rally de Ourense 

Asfalto 

Espanha 

10 a 11 setembro 

Rally Blendio Princesa de Astúrias 

Asfalto 

Espanha 

24 e 25 setembro 

Rally Serras de Fafe e Felgueiras (1ª Etapa) 

Terra 

Portugal 

15 e 16 outubro 

RACC Catalunya/Rally de España (1ª Etapa) 

Asfalto 

Espanha 

PRÉMIO FINAL DE SONHO: UM PROGRAMA OFICIAL PARA 2022 

Alicerçada em três temporadas repletas de emoção, protagonizadas pelo PEUGEOT 208, com elevados números de equipas e decisões sempre adiadas até às últimas provas, a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 mantém os seus trunfos e volta a apostar num volume significativo de prémios, com distribuição feita por prova, e que ascendem a um valor total de 120 mil euros. 

Merecedor também de destaque é o Prémio Final a atribuir ao Campeão de Pilotos, que se traduzirá num programa oficial para 2022, num campeonato de ralis em Portugal ou Espanha, aos comandos de um modelo da categoria Rally 2, viatura de competição que também terá o selo da Stellantis Motorsport. 

“Depois de a dupla portuguesa Pedro Antunes / Pedro Alves ter conquistado esse mesmo prémio na temporada de 2020, a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA irá oferecer aos seus sucessores um programa oficial em tudo semelhante, a implementar em Portugal ou em Espanha”, explica José Pedro Fontes, responsável da Sports & You. “Volto a destacar o reconhecimento desta iniciativa de ralis ibérica, reforçando a mensagem junto dos nossos clientes da Competição Cliente, de que temos uma estratégia sustentada e bem definida para os ajudarmos a alcançar o patamar de topo da modalidade. O processo inicia-se com o 208 Rally 4 da copa, integrado na categoria ‘Rally 4’, seguindo-se o prémio com um modelo da categoria ‘Rally 2’, que poderá levar a uma potencial ascensão à categoria máxima dos ralis, o futuro grupo ‘Rally 1’”. 

“Em termos de participantes, considerando o volume de viaturas já entregues, quer no ano passado, quer nesta época de defeso, contamos com listas de participantes bastante robustas. Quanto a nomes, teremos que aguardar pela definição da lista de inscritos para a primeira prova da época, o Rali Terras d’Aboboreira”, acrescentou. 

COMPROVADO PEUGEOT 208 RALLY 4 É A MÁQUINA COMUM A TODO O PLANTEL 

No centro da competição está o novo Peugeot 208 Rally 4, modelo que tem registado uma enorme aceitação e cuja validade e competitividade têm sido comprovadas quer ao nível da copa ibérica, quer nos diversos campeonatos internacionais de ralis, até se imiscuindo em lutas diretas com modelos de categorias superiores. 

Acrescente-se que, há um ano, a organização da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA foi a primeira a contar com a mais recente ‘arma’ de ralis da marca, um produto saído dos ‘ateliers’ de competição da PEUGEOT SPORT, e um carro de ralis alicerçado em fatores reconhecidos ao produto PEUGEOT, como a fiabilidade, qualidade, eficiência e, no caso dos ralis, combatividade. 

Produto de performances já comprovadas e exemplo de experiência de condução para a categoria “Rally 4”, o novo 208 Rally 4 é um modelo desenvolvido com base no novo Peugeot 208 de produção, numa evolução técnica e estética do modelo de estrada. 

No capítulo mecânico destaca-se o motor 1.2 PureTech de 3 cilindros turbo comprimido, com 208 cavalos, adaptado para a competição, através de um turbo de maiores dimensões, uma gestão eletrónica de competição Magneti Marelli e uma caixa de velocidades SADEV, entre outros elementos. O conjunto está implantado na nova plataforma CMP, tecnologia de baixo peso e dinâmica evoluída, que garante performances desportivas muito significativas. 

As encomendas para as unidades da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA deverão ser colocadas através da Sports & You, distribuidora oficial da Peugeot Citroën Racing Shop para Portugal e Espanha, num modelo que é proposto por € 66.000 (antes de impostos). 

Mais detalhes serão revelados em devido tempo, nomeadamente quando se publicarem as versões finais do Regulamento Desportivo e do Regulamento Técnico desta competição. 

INFORMAÇÕES E FOTOS: 

– em http://www.peugeotrallycupiberica.com/ 

– no Facebook https://www.facebook.com/peugeotrallycupiberica/ 

– Imagens da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA para imprensa (livres de direitos editoriais) em https://aifa.smugmug.com/Motorsport/Peugeot-Rally-Cup 

CONTACTOS: 

PEUGEOT PORTUGAL – Jorge Magalhães: jorge.magalhaes@stellantis.com | + 351 96 986 16 80 

SPORTS & YOU – José Pedro Fontes: jpfontes@sportsandyou.pt | + 351 91 762 55 88 

GOOD NEWS – Tito Morão: tmorao@goodnews.pt | + 351 91 840 00 01 

José Pinheiro: jpinheiro@goodnews.pt | + 351 91 565 32 73 

ANEXO: FICHA TÉCNICA – NOVO PEUGEOT 208 RALLY 4 

CHASSIS 

Estrutura: Coque Peugeot 208, reforçada com um arco de proteção multiponto soldado 

Carroçaria: Aço e plástico 

MOTOR 

Tipo: EB2 Turbo 

Diâmetro x Curso: 75 x 90,48 mm 

Cilindrada: 1.199 cm3 

Potência máxima / Binário máximo: 208 cv às 5.450 rpm / 290 Nm às 3.000 rpm 

Potência por litro: 175 cv/l 

Distribuição: Dupla árvore de cames à cabeça acionada por um eixo, 4 válvulas por cilindro 

Alimentação: Injeção direta pilotada por caixa Magnetti Marelli 

TRANSMISSÂO 

Tipo: Tração às rodas da frente 

Embraiagem: Duplo disco de cerâmica / metálico, com diâmetro de 183 mm 

Caixa de velocidades: Sequencial SADEV de 5 velocidades 

Diferenciais: Mecânico com autoblocante 

TRAVÕES 

À frente: Discos ventilados de 330 mm (asfalto) e 290 (terra); pinças de 3 pistões 

Atrás: Discos de 290 mm; pinças de 2 pistões 

Travão de mão: De comando hidráulico 

SUSPENSÕES 

Tipo: McPherson 

Amortecedores: Ohlins reguláveis, 3 vias (compressão a baixa e alta velocidade, batente) 

RODAS 

Jantes /Pneus: Speedline 7×17 / 19/63-17 e Speedline 6×15 / 16/64-15 

DIMENSÕES, PESOS E CAPACIDADES 

Comprimento x Largura x Altura: 4.052 mm x 1.738 mm x 2.553 mm 

Pesos: 1.080 km (mínimo) / 1.240 kg (incluindo pilotos) 

Depósito de combustível: 60 l 

Vitória para Cachón / López na festa do título de ‘Campeões’ de Antunes / Alves

PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2020 – Rally La Nucía-Mediterráneo 2

Vitória para Cachón / López na festa do título de ‘Campeões’ de Antunes / Alves

Pedro Antunes e Pedro Alves acabam de conquistar os títulos de ‘Campeões 2020’ da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA no Rally La Nucía-Mediterráneo 2, prova arduamente disputada ao segundo e que encerrou a Temporada 3 da copa ibérica de ralis, que este ano assistiu à estreia do novo Peugeot 208 Rally 4.

A dupla portuguesa foi 3ª classificada no final das 3 especiais (a 4ª e ultima foi neutralizada) de uma prova realizada entre o meio da tarde e o início desta noite, batendo na corrida aos títulos as formações compostas por Alejandro Cachón / Alejandro López, os vencedores deste rali, Álvaro Muñiz / Javier Martinez, os 2ºs classificados, e Sergí Francoli / María Salvo, com quem andaram em liça pelo último lugar do pódio e pelos títulos de 2020.

Contabilizando-se os 3 melhores resultados do ano, dos 4 ralis pontuáveis para a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA, a dupla lusa foi quem ficou com a melhor contagem final, somando 69,92 pontos válidos, batendo por 0,42 pontos os seus perseguidores mais diretos, Cachón / López, que se tiveram que contentar com a ‘medalha de prata’. O ‘bronze’ ficou para Muñiz / Javier Martinez.

Terminou, assim, em modo “alta competição” esta Temporada 3, numa iniciativa coorganizada entre a Peugeot Portugal e Peugeot Espanha, com a logística da Sports & You no terreno.

Pedro Antunes e Pedro Alves são os ‘Campeões‘ da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2020, numa decisão tirada a ferros e após um fecho de uma Temporada 3 que, por diferentes razões, assumiu uma estrutura e contornos no mínimo surpreendentes e inéditos, até na sua decisão final, encontrada no âmbito de um Rally La Nucía-Mediterráneo que, no seu todo, valeu duas pontuações distintas, um lote atribuído ao final da manhã e outro novo durante a tarde, numa espécie de 2 em 1.

Se no cômputo das 4 especiais da manhã de uma prova desenhada a norte de Benidorm, na região de Alicante, foram Pedro Antunes e Pedro Alves quem conquistou o ouro, agora na secção da tarde e início da noite coube a Alejandre Cachón / Alejandre López sublinharem as suas valências, impondo o seu 208 Rally 4 no final dos 3 tropos cronometrados efetivamente corridos, não contando com a neutralização do derradeiro troço, devido a um acidente com uma viatura de outra categoria. Só que isso não foi suficiente para que a dupla espanhola alcançasse os títulos…!

De facto, os 27,5 pontos alcançados (25 da vitória e 2,5 referentes a 2 melhores tempos em troços) foram superiores aos 17 pontos do 3º lugar da dupla portuguesa nesta prova, um total que, caso contassem todas as 4 pontuações de outros tantos ralis desta copa de 2020, garantiriam à equipa espanhola ambos os títulos de Pilotos e Navegadores. Só que o Regulamento Desportivo refere que apenas contam os 3 melhores resultados do ano, pelo que foram várias as equipas que tiveram de abrir mão de pontos somados em ralis anteriores.

Feitas as contas, para o palmarés da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA ficarão os nomes de Pedro Antunes / Pedro Alves, com conquista dos títulos de ‘Campeões’ de 2020, os primeiros para Portugal, depois de duas séries vencidas por representantes do outro lado da fronteira, Daniel Berdomás / David Rivero em 2019 e Roberto Blach / José Murado em 2018 (nota: no ano inicial da copa só se atribuiu o título de Pilotos).

“Estamos, eu e o Pedro Alves, naturalmente muito satisfeitos com os títulos que acabámos de garantir na copa 2020, alcançado com uma margem mínima e conseguido depois de uma temporada completamente atípica, decorrente da atual situação sanitária que vivemos”, referiu no final da prova um visivelmente satisfeito Pedro Antunes, o novo ‘Campeão’ da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA. “É sempre bom obter bons resultados em ralis espanhóis, onde estamos, em parte, em desvantagem face aos nossos adversários locais, dado o seu maior conhecimento do terreno, mas provámos que também conseguimos vencer deste lado da fronteira, assegurando o 1º lugar no Rally La Nucía 1 desta manhã, em que somámos preciosos pontos. No La Nucía 2 desta tarde estávamos simultaneamente a atacar e, também, a controlar o ritmo dos nossos adversários, sabendo que poderíamos não ter de vencer para chegar aos títulos. E foi, de facto, assim que aconteceu, pois um 3º lugar bastou-nos para alcançar os nossos objetivos de 2020, num resultado de conjunto que dedicamos a todos os elementos da nossa equipa PT Racing, aos familiares e amigos que, muitas vezes à distância, nos apoiaram ao longo da época, e aos fãs que nos seguem nas redes sociais e nos incentivam nos troços, quando tal é possível”, concluiu.

Naturalmente menos efusivo, apesar da vitória acabada de conquistar, estava Alejandro Cachón. “Chegamos a este Rali la Nucía-Mediterráneo com uma enorme vontade de assegurar a vitória na copa, nomeadamente no rali desta tarde, lutando até final pelos títulos. Tentámos assegurar isso no final mas também dependíamos das posições relativas dos nossos adversários, em especial do Pedro Antunes, e o facto do último troço ter sido neutralizado impediu-nos de conseguir melhor. De qualquer modo, estou muito orgulhoso da temporada que fizemos”, referiu o vencedor desta última prova da época.

OS 4 ÚLTIMOS PALCOS DO ANO EM RESUMO

As hostilidades iniciaram-se nos 13,79 km da especial de Bolulla/ Coll de Rates, onde Sergi Francolí / María Salvo, primeiros na estrada, estabeleceram o tempo de referência, marca que seria, logo depois, batida por Alejandro Cachón / Alejandro López e também por Pedro Antunes / Pedro Alves, com uma vantagem de meio segundo para a dupla cujo piloto é oriundo das Astúrias.

Confirmava-se, assim, a renovação da acérrima luta entre as equipas que ocupavam, à altura, os lugares de topo das Tabelas de Pontuações da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2020, havendo depois que aguardar cerca de 2 horas para a retoma de uma prova de resultado final que se mostrava imprevisível, tal como era a indecisão sobre quem iria erguer os cetros de ‘Campeões’.

A ansiedade estava, por isso, em crescendo entre os concorrentes que, no interior dos pequenos 208 Rally 4, tentavam manter a calma possível, ao mesmo tempo que aguardavam que nenhum percalço extra os afetasse. Quem seguia a prova de fora, vivia a conclusão desta época sem igual em modo distanciamento, fruto da invulgar realidade que todos estamos a viver, num terceiro ano desta copa coorganizada pelas representantes nacionais da Peugeot de Portugal e Espanha, com o apoio logístico no terreno dos profissionais da Sports & You.

Findo esse Reagrupamento e com a noite a chegar, os competitivos 208 Rally 4 saíam equipados com as rampas de faróis adicionais montadas nos seus capôs, aprestando-se a enfrentar os restantes 3 troços da tarde, a começar nos 18,67 km da especial de Pego / Petracos. Aqui destacou-se a excelente prestação de Álvaro Muñiz / Javier Martinez, com um tempo que os fez galgar duas posições até ao 2º lugar, ficando a uns meros 1,2 segundos da liderança. Esta mantinha-se na posse de Alejandro Cachón / Alejandro López, equipa que, por seu turno, deixou Sergi Francolí / María Salvo a 1,9 segundos e Pedro Antunes / Pedro Alves a 3,1 segundos, eles que caiam para um 3º lugar ex-aequo (com o mesmo tempo acumulado ao centésimo de segundo) que não lhes servia de todo em termos de contas para a copa.

Com uma marga margem de 3,3 segundos a separar o top-4 deste mini-rali La Nucía-Mediterráneo 2, uma prova quase do tipo sprint, seguiu-se o mais pequeno troço da prova, Tarbena / Coll de Rates (6,85 km), onde os mais rápidos foram… Cachón / López, suplantando Antunes / Alves por 3 décimos de segundo, Muñiz / Martinez por 9 décimos e Francolí / Salvo por 2,2 segundos.

Contava-se que a contenda terminasse com repetição do troço de Pego / Petracose, último palco da época, mantendo-se tudo indefinido em termos de lugares da frente. À partida para este troço, Alejandro Cachón / Alejandro López tinham uma vantagem de 2,1 segundos sobre Álvaro Muñiz / Javier Martinez e de 4,8 segundos sobre Pedro Antunes / Pedro Alves, dupla lusa que tinha, logo atrás de si, a apenas 1,9 segundos, Sergi Francolí / María Salvo.

Só que, também aqui se deu nova reviravolta nas expetativas, já que o troço se viu neutralizado antes da entrada em cena dos pilotos da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA, devido a um acidente com uma viatura de outra categoria. Assim, essas diferenças não sofriam quaisquer alterações e tornar-se-iam definitivas em termos de classificação final da copa e atribuição dos títulos.

PONTUAÇÕES: QUEM DE 4 TIRA 1…

Feitas as contas ao máximo de 3 resultados possíveis de contabilizar, do total de 4 provas da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2020 – #1 Alto Tâmega, #2 Princesa de Asturias, #3 La Núcia-Mediterráneo 1 e #4 La Núcia-Mediterráneo 2 – as Tabelas de Pontuações ficaram com a seguinte estrutura:

– No grupo dos Pilotos, Pedro Antunes totaliza 69,92 pontos válidos e sagra-se ‘Campeão’, deixando atrás de si Alejandro Cachón (69,5 pontos), com Álvaro Muniz (55,25 pontos) a garantir o ‘bronze’. Sergi Francolí assegurou o 4º lugar, à frente de Óscar Palomo, Daniel Berdomás e Pedro Antunes. O top-10 da copa completou-se com Alejandro Martin, Roberto Black e Josep Bassas, tendo ficado classificados 20 pilotos;

– Nos Navegadores os festejos foram de Pedro Alves, batendo na corrida ao galardão os espanhóis Alejandro López (69,5 pontos) e Javier Martinez (55,25 pontos), todos com os mesmos pontos dos pilotos a quem cantaram notas ao longo da presente época Classificaram-se 22 co-pilotos;

– Nas Equipas, a GC Motorsport – a única formação que formalizou a inscrição na copa no início do ano, condição obrigatória para somar pontos – garantiu o respetivo troféu;

– O melhor piloto Junior (nascido após 1 de Janeiro de 1994) foi Alejandro Cacón, ele que alcançou o 2º lugar absoluto entre os Pilotos no cômputo da copa;

– Já o troféu da Ladies Cup ficou por atribuir, já que em 2020 não houve qualquer inscrição de uma Piloto feminina. É de salientar a participação de nada menos do que 5 Navegadoras na copa, destacando-se María Salvo como a melhor representante feminina, alcançando o 4º lugar final entre os seus pares no cômputo da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2020.

Nota: Informações adicionais no Quadro de Pontuações anexo a este Comunicado de Imprensa;

Classificação Geral (provisória) do Rali La Nucía-Mediterráneo 2
4º prova da
PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2020

1º Alejandro Cachón (1º Junior) / Alejandro López, 25m 09,5s (Alvemaco Sport)

2º Álvaro Muñiz / Javier Martinez, a 2,1s (Race Seven)

3º Pedro Antunes / Pedro Alves, a 4,8s (PT Racing) – ‘CAMPEÃO 2020’

4º Sergí Francoli (2º Junior) / Maria Salvo, a 6,7s (Mavisa Sport)

5º Daniel Berdomás / Brais Mirón, a 30,2s (GC Motorsport)

6º José María Reyes / Diego SanJuan, a 47,6s (-)

7º Alejandro Martin (3º Junior) / Pedro Dominguez, a 49,5s (TRS)

8º Pedro Almeida / Hugo Magalhães (4º Junior), a 1m 03,9s (The Racing Factory)

9º Óscar Palomo (5º Junior) / José Pintor, a 1m 17,4s (Mavisa Sport)

10º Roberto Blach (6º Junior) / Alain Peña, a 1m 18,9s (TRS)

Nota 1: Todos em Peugeot 208 Rally 4

Nota: As classificações dos dois ralis corridos hoje (La Nucía-Mediterráneo 1 e 2) e as inerentes pontuações são provisórias até à publicação oficial dos resultados definitivos por parte da organização da prova (Club Automóvil AIA), e das respetivas federações (FPAK e RFEdA).

Coorganizada pela Peugeot Portugal e pela Peugeot Espanha e com a gestão logística a cargo da Sports & You, a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2020 conta com parcerias com a Pirelli, no domínio dos pneus, e com a Total, nos combustíveis e lubrificantes, entre outros apoios: Huawei, Vodafone, RACC e ACP.

INFORMAÇÕES E FOTOS:

– em http://www.peugeotrallycupiberica.com/

– no Facebook https://www.facebook.com/peugeotrallycupiberica/

– Imagens da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA para imprensa (livres de direitos editoriais) em https://aifa.smugmug.com/Motorsport/Peugeot-Rally-Cup

CONTACTOS:

PEUGEOT PORTUGAL – Jorge Magalhães: jorge.magalhaes@mpsa.com | + 351 96 986 16 80

SPORTS & YOU – José Pedro Fontes: jpfontes@sportsandyou.pt | + 351 91 762 55 88

GOOD NEWS – Tito Morão: tmorao@goodnews.pt | + 351 91 840 00 01

  José Pinheiro: jpinheiro@goodnews.pt | + 351 91 565 32 73

ANEXO
FICHA TÉCNICA – NOVO PEUGEOT 208 RALLY 4

CHASSIS

Estrutura: Coque Peugeot 208, reforçada com um arco de proteção multiponto soldado

Carroçaria: Aço e plástico

MOTOR

Tipo: EB2 Turbo

Diâmetro x Curso: 75 x 90,48 mm

Cilindrada: 1.199 cm3

Potência máxima / Binário máximo: 208 cv às 5.450 rpm / 290 Nm às 3.000 rpm

Potência por litro: 175 cv/l

Distribuição: Dupla árvore de cames à cabeça acionada por um eixo, 4 válvulas por cilindro

Alimentação: Injeção direta pilotada por caixa Magnetti Marelli

TRANSMISSÂO

Tipo: Tração às rodas da frente

Embraiagem: Duplo disco de cerâmica / metálico, com diâmetro de 183 mm

Caixa de velocidades: Sequencial SADEV de 5 velocidades

Diferenciais: Mecânico com autoblocante

TRAVÕES

À frente: Discos ventilados de 330 mm (asfalto) e 290 (terra); pinças de 3 pistões

Atrás: Discos de 290 mm; pinças de 2 pistões

Travão de mão: De comando hidráulico

SUSPENSÕES

Tipo: McPherson

Amortecedores: Ohlins reguláveis, 3 vias (compressão a baixa e alta velocidade, batente)

RODAS

Jantes /Pneus: Speedline 7×17 / 19/63-17 e Speedline 6×15 / 16/64-15

DIMENSÕES, PESOS E CAPACIDADES

Comprimento x Largura x Altura: 4.052 mm x 1.738 mm x 2.553 mm

Pesos: 1.080 km (mínimo) / 1.240 kg (incluindo pilotos)

Depósito de combustível: 60 l

Pedro Antunes / Pedro Alves vencem primeira parte, adiando para a tarde a decisão dos títulos

PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2020 – Rally La Nucía-Mediterráneo 1

Pedro Antunes / Pedro Alves vencem primeira parte, adiando para a tarde a decisão dos títulos

Mostrando-se a mais rápida no cômputo das 4 primeiras especiais do Rally La Nucía-Mediterráneo 1, corridas esta manhã, a dupla Pedro Antunes / Pedro Alves sagrou-se vencedora da 3ª prova da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2020, impondo-se aos adversários Daniel Berdomás / Brais Mirón e Álvaro Muñiz / Javier Martinez, respetivamente 2ºs e 3ºs classificados, por 10,6 e 17,8 segundos.

Com estes resultados e dado o 5º lugar da dupla Alejandro Cachón / Alejandro López, que esta manhã partiu como líder provisório da copa, a atribuição dos títulos de 2020 fica adiada para os troços da tarde, que no seu conjunto irão compor o 4º e derradeiro confronto da iniciativa que tem no novo Peugeot 208 Rally 4 o cavalo de batalha do pelotão de leões.

Serão, de novo, 10 as equipas à partida da segunda parte deste rali de asfalto, sendo que Alejandro Cachón / Alejandro López (54,83 pontos) viram reduzir-se para apenas 1,28 pontos a sua vantagem pontual para Pedro Antunes / Pedro Alves (53,55 pontos), tendo no seu encalço Sergí Francoli / María Salvo (44,25 pontos), os ocupantes provisórios dos lugares de topo da copa, e os mais prováveis pretendentes aos títulos de 2020.

Correu-se na manhã deste sábado a terceira prova da Temporada 3 da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA, compondo-se dos 4 troços cronometrados das duas primeiras secções do Rally La Nucía-Mediterráneo 2020. Um total de 70,1 km que a dupla portuguesa Pedro Antunes / Pedro Alves foi a mais lesta a cumprir, garantindo, com isso, os 25 pontos correspondentes à vitória, somando ainda 1,25 pontos pelo facto de terem sido os mais rápidos numa dessas especiais.

Com isso e também pelo facto do restante pódio ter-se composto de Daniel Berdomás / Brais Mirón e Álvaro Muñiz / Javier Martinez, respetivamente 2ºs e 3ºs classificados, deixando atrás de si Sergí Francoli / María Salvo (4ºs classificados) e Alejandro Cachón / Alejandro López (5º lugar), a decisão pelos títulos da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA fica adiada para a secção da tarde da prova, organizada na região de Alicante pelo Automóvil Club AIA.

Feitas as contas aos 3 resultados já acumulados – Alto Tâmega, Princesa de Asturias e este La Núcia-Mediterráneo 1 – a copa de Pilotos mantém Alejandro Cachón no topo da tabela, somando 54,83 pontos, seguindo de Pedro Antunes (53,55 pontos), Sérgi Francolí (44,25 pontos), Pedro Almeida (32 pontos), Álvaro Muñiz (31 pontos) e Óscar Palomo (30,83pontos). Nos Navegadores o escalonamento é em tudo semelhante, com os mesmos diferenciais de pontos entre Alejandro Lopéz, que se mantém no 1º lugar provisório, seguido de Pedro Alves e de María Salvo.

Note-se ainda que para as contas finais da copa e conforme o Regulamento Desportivo, no final da temporada apenas se contabilizam as 3 melhores pontuações conquistadas, do total de 4 ralis corridos, pelo que no final do Rally La Nucía-Mediterráneo 2, desta tarde, poderá haver resultados para deitar fora, em alguns casos um conjunto de pontos valiosos que poderão complicar a contabilidade dos títulos.

Acrescente-se que José María Reyes / Diego SanJuan, que acabaram de alcançar um 6º lugar na copa, não pontua nem rouba pontos aos seus adversários, pelo que todas as equipas classificadas atrás de si recebem os pontos correspondentes ao lugar imediatamente acima. Segundo o Regulamento Desportivo, quem se inscreva no último rali da época não pontua para a copa (no presente caso tal é duplamente válido para este duplo Rally La Núcia-Mediterráneo (1 e 2).

Nota: Informações adicionais no Quadro de Pontuações anexo a este Comunicado de Imprensa

PEDRO ANTUNES / PEDRO ALVES ENTRAM LOGO AO ATAQUE

Demonstrativo do facto de que se mantêm na luta pelo título e apesar de correrem fora de portas, a Pedro Antunes / Pedro Alves iniciaram logo ao ataque a primeira secção do rali, registando o tempo mais rápido no troço de Alcoleja / Penáguila (20,88 km), batendo os rivais galegos Daniel Berdomás / Brais Mirón por 9,9 segundos e a dupla espanhola Óscar Palomo / José Pintor por 15,4 segundos. A dupla portuguesa viu-se ainda beneficiada pelo facto de ambos os seus adversários terem sofrido uma penalização de 10 segundos, por um atropelo ao regulamento, contribuindo para incrementar a sua vantagem.

Seguiram-se os 14,17 km do troço de Benasau / Tomás Ortiz, palco da ES2 e onde, desta feita, os mais rápidos foram Sérgi Francolí / María Salvo, com 8,1 segundos sobre o Peugeot 208 Rally 4 de Antunes / Alves e 10,1 segundos sobre Berdomás / Mirón. Destaque-se o facto de Palomo / Pintor terem sofrido um percalço na ES2 e, com isso, verem-se relegados do 3º lugar para a 10ª e última posição entre os concorrentes da copa ibérica de ralis.

Feitas as contas aos dois primeiros troços do dia, Pedro Antunes / Pedro Alves alcançaram uma vantagem de 20,6 segundos sobre Sérgi Francolí / María Salvo, que por sua vez tinham Daniel Berdomás / Brais Mirón a uns magros 2 segundos. À espreita de um lugar no pódio, se bem que a uns 24,7 segundos estavam Álvaro Muñiz / Javier Martinez, tendo 5,9 segundos atrás de si Alejandro Cachón / Alejandro López, encontrando-se, nesta fase, a mais de 50 segundos do lugar de topo. Quem também ficou para trás foi o ‘Campeão’ de 2018 da copa, Roberto Blach, fruto de uma penalização de 2 minutos sofrida logo no troço de abertura.

ALEJANDRO CACHÓN / ALEJANDRO LÓPEZ AO ATAQUE

Após um intervalo de cerca de 3 horas, iniciou-se a segunda ronda por estes mesmos 2 troços – Alcoleja / Penáguila (20,88 km) e Benasau / Tomás Ortiz (14,17 km) – onde a luta entre os endiabrados Peugeot 208 Rally 4 continuou a dar um brilho especial a esta jornada também pontuável para o Campeonato de Espanha de Ralis de Asfalto.

Tentando recuperar o atraso inicial, Alejandro Cachón / Alejandro López deram tudo o que tinham e levaram de vencida a ES3, impondo-se a Álvaro Muñiz / Javier Martinez, por 1,6 segundos, e a Daniel Berdomás / Brais Mirón por 2 segundos adicionais. Já Pedro Antunes / Pedro Alves registavam apenas o 5º tempo, perdendo 11,1 segundos para a dupla vencedora do troço e vendo aproximar-se o Campeão de 2019 da copa.

O mesmo aconteceu em Benasau / Tomás Ortiz, a última especial da manhã, com Cachón / López a imporem-se por 1,1 segundos à dupla Muñiz / Martinez, deixando Berdomás / Mirón a 3,3 segundos, troço em que os líderes Antunes / Alves não foram além de 4ºs, resultado que, ainda assim, lhes permitiu manter o 1º lugar e levar de vencida este Rally La Nucía-Mediterráneo 1.

Contabilizando-se os tempos dos 4 troços que compuseram esta muito reduzida 3ª prova da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2020, totalizando 70,1 km cronometrados, o escalonamento final (provisório) é o seguinte:

Classificação Geral (provisória) do Rali La Nucía-Mediterráneo
3º prova da
PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2020

1º Pedro Antunes / Pedro Alves, 45m 08,5s (PT Racing)

2º Daniel Berdomás / Brais Mirón, a 10,6s (GC Motorsport)

3º Álvaro Muñiz / Javier Martinez, a 28,4s (Race Seven)

4º Sergí Francoli (1º Junior) / Maria Salvo, a 31,1s (Mavisa Sport)

5º Alejandro Cachón (2º Junior) / Alejandro López, a 31,5s (Alvemaco Sport)

6º José María Reyes / Diego SanJuan, a 1m42,5s (-)

7º Pedro Almeida / Hugo Magalhães (3º Junior), a 1m 59,4s (The Racing Factory)

8º Alejandro Martin (4º Junior) / Pedro Dominguez, a 2m 48,5s (TRS)

9º Óscar Palomo (5º Junior) / José Pintor, a 3m 34,8s (Mavisa Sport)

10º Roberto Blach (6º Junior) / Alain Peña, a 3m35,3s (TRS)

Nota 1: Todos em Peugeot 208 Rally 4

ANTECIPA-SE UMA SEGUNDA PARTE DO RALI LA NUCÍA MUITO QUENTE

A partir das 15h30 corre-se segunda parte da prova de Alicante, no que será um novo rali, assumindo-se como a 4ª e última jornada da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2020. Os contadores de tempos serão, assim e agora, recolocados a zero, passando apenas a contar o acumulado de tempos registados nos 57,98 km dos 4 tropos cronometrados da tarde: a abrir os 13,79 km da especial de Bolulla/ Coll de Rates, seguindo-se Pego / Petracos (18,67 km) e Tarbena / Coll de Rates (6,85 km), fechando-se a contenda com a repetição do troço de Pego / Petracos.

Recorde-se que estão por atribuir 25 pontos correspondentes à vitória, mais 20 pontos de um 2º lugar e 17 pontos de um 3º, num leque de pontuações que se prolonga pelo top-10 (14, 12, 10, 8, 6, 4 e 2 pontos, respetivamente, do 4º ao 10º classificados). Há ainda a ter em conta o proporcional de 5 pontos a distribuir pelos mais rápidos nas 4 Especiais deste rali que, tal como no da manhã, deu um bónus adicional de 1,25 pontos a cada melhor tempo em troços. Há, também, uma pontuação a descontar, do total de 4 acumuladas ao longo do ano, conforme expresso no Regulamento Desportivo da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA.

Uma vez estabelecida a derradeira Classificação Final do presente ano, ficar-se-ão a conhecer os Campeões de 2020 da inédita copa ibérica de ralis, divididos por Portugal e Espanha. Decorrente da situação de pandemia que, entre outros, afeta ambos os países e, que obrigou a múltiplas alterações de calendário, a edição deste ano correu-se única e exclusivamente em troços de asfalto.

Lista de Inscritos do Rally La Nucía-Mediterráneo 2
4ª prova da
PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2020

Nº Equipa Piloto Navegador

26 Mavisa Sport Sergi Francoli Maria Salvo

27 Mavisa Sport Oscar Palomo Jose Pintor

28 TRS Roberto Blach Alain Peña

29 Alvemaco Sport Alejandro Cachon Alejandro Lopez

30 TRS Alejandro Martin Pedro Dominguez

32 PT Racing Pedro Antunes Pedro Alves

33 The Racing Factory Pedro Almeida Hugo Magalhães

34 Race Seven Álvaro Muñiz Javier Martinez

35 GC Motorsport Daniel Berdomas Brais Miron

36 – Jose Maria Reyes Diego SanJuan

Programa do do Rally La Nucía-Mediterráneo 2
4ª prova da
PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2020

– Sábado, 7 de novembro

15h31 – Partida

15h58 – ES 5 Bolulla/ Coll de Rates (13,79 km)

16h53 – Reagrupamento em Pego (35 min.) e Refuelling

17h56 – ES 6 Pego / Petracos (18,67 km).

19h16 – ES 7 Tarbena / Coll de Rates (6,85 km)

20h00 – ES 8 Pego / Petracos (18,67 km).

21h00 Chegada a La Nucía (30 min.) – Final da 4ª e última prova da copa

Coorganizada pela Peugeot Portugal e pela Peugeot Espanha e com a gestão logística a cargo da Sports & You, a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2020 conta com parcerias com a Pirelli, no domínio dos pneus, e com a Total, nos combustíveis e lubrificantes, entre outros apoios: Huawei, Vodafone, RACC e ACP.

INFORMAÇÕES E FOTOS:

– em http://www.peugeotrallycupiberica.com/

– no Facebook https://www.facebook.com/peugeotrallycupiberica/

– Imagens da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA para imprensa (livres de direitos editoriais) em https://aifa.smugmug.com/Motorsport/Peugeot-Rally-Cup

CONTACTOS:

PEUGEOT PORTUGAL – Jorge Magalhães: jorge.magalhaes@mpsa.com | + 351 96 986 16 80

SPORTS & YOU – José Pedro Fontes: jpfontes@sportsandyou.pt | + 351 91 762 55 88

GOOD NEWS – Tito Morão: tmorao@goodnews.pt | + 351 91 840 00 01

  José Pinheiro: jpinheiro@goodnews.pt | + 351 91 565 32 73

ANEXO
FICHA TÉCNICA – NOVO PEUGEOT 208 RALLY 4

CHASSIS

Estrutura: Coque Peugeot 208, reforçada com um arco de proteção multiponto soldado

Carroçaria: Aço e plástico

MOTOR

Tipo: EB2 Turbo

Diâmetro x Curso: 75 x 90,48 mm

Cilindrada: 1.199 cm3

Potência máxima / Binário máximo: 208 cv às 5.450 rpm / 290 Nm às 3.000 rpm

Potência por litro: 175 cv/l

Distribuição: Dupla árvore de cames à cabeça acionada por um eixo, 4 válvulas por cilindro

Alimentação: Injeção direta pilotada por caixa Magnetti Marelli

TRANSMISSÂO

Tipo: Tração às rodas da frente

Embraiagem: Duplo disco de cerâmica / metálico, com diâmetro de 183 mm

Caixa de velocidades: Sequencial SADEV de 5 velocidades

Diferenciais: Mecânico com autoblocante

TRAVÕES

À frente: Discos ventilados de 330 mm (asfalto) e 290 (terra); pinças de 3 pistões

Atrás: Discos de 290 mm; pinças de 2 pistões

Travão de mão: De comando hidráulico

SUSPENSÕES

Tipo: McPherson

Amortecedores: Ohlins reguláveis, 3 vias (compressão a baixa e alta velocidade, batente)

RODAS

Jantes /Pneus: Speedline 7×17 / 19/63-17 e Speedline 6×15 / 16/64-15

DIMENSÕES, PESOS E CAPACIDADES

Comprimento x Largura x Altura: 4.052 mm x 1.738 mm x 2.553 mm

Pesos: 1.080 km (mínimo) / 1.240 kg (incluindo pilotos)

Depósito de combustível: 60 l