Alejandro Cachón / ‘Jandrin’ sagram-se “Campeões” da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021

Alejandro Cachón / Alejandro ‘Jandrin’ Lopez são os “Campeões” da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, títulos que apenas garantiram no derradeiro rali de uma copa que, de há quatro anos para cá, se corre nos mais diferentes palcos da Península Ibérica, numa coorganização entre a Peugeot Portugal e a Peugeot Espanha.

Foi uma decisão tirada a ferros, que apenas se tornou definitiva no final das 6 Especiais em asfalto que serviram de palco ao sexto e último confronto do ano, com vantagem para os novos “Campeões” que, assim, se impuseram a Alberto Monarri / Ángel Vela, dupla que apesar de ter vencido este Rally RACC Catalunya – foi a sua primeira vitória do ano – apenas logrou os louros de Vice-Campeões.

Outra das duplas em destaque nesta prova que encerra a Temporada 4 da copa ibérica da Peugeot foi a dos “Campeões” de 2018, Roberto Blach / José Murado, num sólido 2º lugar final, logo à frente dos agora “Campeões” de 2021 Cachón / ‘Jandrin’, num rali que teve no final sete exemplares do 208 Rally4, cumprindo os 112,02 quilómetros cronometrados de troços.

Vêm das Astúrias os “Campeões” desta Temporada 4, que terão a sua consagração oficial na Cerimónia de Entrega de Prémios da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, evento a realizar em data e local a anunciar. Aí estarão em destaque os laureados, mas também todo o conjunto de mais de 20 pilotos, cerca de 30 navegadores e respetivas estruturas que adotaram os competitivos PEUGEOT 208 Rally4 como cavalo de batalha e contribuíram para mais uma época de enorme e saudável competitividade, em que a discussão dos títulos se prolongou até à derradeira prova.

 

Realizou-se hoje a sexta e última prova da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, tendo como palco as seis Especiais da 1ª Etapa do Rally RACC Catalunya – Costa Daurada, rali que foi, também, o segundo da época integrado no calendário do Mundial de Ralis (WRC), depois do Vodafone Rally de Portugal, em maio. Foram duas sequências de três troços de suster a respiração, pois estava em jogo não só a vitória no rali catalão, como a própria atribuição dos títulos de “Campeões” da iniciativa coorganizada há quatro anos pela Peugeot Portugal e Peugeot Espanha, assente na estrutura logística da Sports & You.

 

Em luta pelos títulos de 2021 estiveram Alejandro Cachón / ‘Jandrín’ e Alberto Monarri / Ángel Vela, os únicos que, à partida deste rali, podiam almejar tal resultado, após uma época de seis provas, divididas entre Portugal e Espanha. Ambos enfrentaram os 112,02 quilómetros cronometrados deste rali, juntamente com seis outros adversários, igualmente espanhóis e aos comandos dos seus Peugeot 208 Rally4.

 

Finda a contenda, coube a Alberto Monarri e Ángel Vela subir, pela primeira vez este ano, ao lugar mais alto do pódio para o champanhe da vitória numa prova da copa, mas a festa maior fazia-se entre os elementos da equipa adversária, fruto da conquista de uns muito suados títulos de “Campeões” por parte de Alejandro Cachón / ‘Jandrín’. A dupla das Astúrias apenas somou os 17 pontos do 3º lugar, resultado que, somado à vantagem que trazia, se revelou mais do que suficiente para bater os adversários Monarri / Vela, eles que garantiram os 25 pontos da vitória e um adicional de 4,15 pontos pelos cinco melhores tempos em troços (da ES2 à ES6; o melhor tempo na ES1 foi de Roberto Blach / José Murado).

 

Descontado o pior resultado do ano do pecúlio de cada um (segundo o Regulamento Desportivo, apenas se contabilizam as melhores 5 pontuações da época, do total de 6 ralis), Cachón / ‘Jandrín’ terminam a época com 112,9 pontos válidos, impondo-se por 6,77 pontos e sagrando-se, assim, “Campeões” da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021.

 

Importante referir que associado a esses títulos, Alejandro Cachón e Alejandro ‘Jandrín’ Lopez garantem o acesso ao valioso Prémio Final, que se traduz num Programa Oficial em 2022, em Portugal ou Espanha, aos comandos de um carro da categoria “Rally2”, de entre as propostas do catálogo da Stellantis Motorsport, e na estrutura de ralis da Sports & You.

 

A palavra aos protagonistas

São naturalmente grandes os festejos em redor dos novos “Campeões”, entre os elementos da equipa RaceSeven, familiares e amigos. Entre abraços e muitos “enhorabuenas y felicitaciones”, Alejandro Cachón resumiu, assim, a época agora terminada e os objetivos nela alcançados: “Estamos muito muito felizes! Foi um ano difícil, em que nos propusemos conquistar um título que nos escapou por muito pouco no ano passado. Conseguimo-lo num rali complicado de gerir, pois estamos habituados a atacar e a lutar pelos melhores tempos e não a gerir o andamento em função dos adversários, aqui controlando o do Monarri, que connosco lutava pelo título. No final, o nosso 3º lugar foi suficiente para somar os pontos que precisávamos e, assim, eu e o ‘Jandrin’ somos os ‘Campeões’ da copa 2021”.

 

Apesar da vitória nesta última prova do ano, o título fugiu a Alberto Monarri, piloto da Mavisa Sport: “Estamos contentes com esta vitória. Fizemos o que pudemos, fomos os mais rápidos em 5 das 6 Especiais e vencemos um rali que, infelizmente, foi pouco participado, complicando-nos um pouco as contas. Lutámos pela copa até final, mas o Alejandro fez o que lhe competia, sem falhar, garantindo, assim, o título. Os meus parabéns para eles. Agradeço, ainda, a toda a minha equipa por esta vitória”.

 

Fora dessa luta particular pelo título, mas discutindo os lugares do pódio neste rali, esteve o “Campeão” de 2018, Roberto Blach, que resumiu, assim, o dia: “Foi um bom rali, em que vimos logo no primeiro troço que podíamos lutar pela vitória, mas depois os que se seguiram começaram a ficar muito sujos e escorregadios, pelo que decidimos reduzir um pouco e conservar a segunda posição. Acabamos o ano satisfeitos e vendo que temos ritmo para lutar pelos lugares da frente”. Acrescente-se que para além deste 2º lugar, Blach conquistou o troféu da Junior Cup, galardão que se atribui em cada rali ao melhor de entre os pilotos com menos de 25 anos (nascidos em ou após 1 de janeiro de 1995).

 

O Rally RACC Catalunha em resumo

Uma primeira sequência por três troços aguardava os oito PEUGEOT 208 Rally4 que ontem (quinta-feira) se haviam apresentado em Salou, na Cerimónia de Partida deste Rally RACC Catalunya, última jornada da Temporada 4 da copa ibérica, traçado competitivo que se repetiria na íntegra à tarde.

 

Curiosidade é o facto de os três mais rápidos em (quase) todas as 6 Especiais terem sido (quase) sempre Alberto Monarri / Ángel Vela, Alejandro Cachón / Alejandro ‘Jandrín’ Lopez e Roberto Blach / José Murado, ainda que o seu ordenamento variasse (mas não muito) de troço para troço. Apenas os rookies Iago Gabeiras / Brais Mirón e os bem mais experientes Óscar Palomo / Alberto Chamorro vieram desarrumar, cada um deles por uma vez, essa lógica, na ronda da tarde.

 

Começando por Villaplana 1, o primeiro melhor tempo ficou na posse de Blach, sendo, nos seus 20 km, meio segundo mais rápido do que Monarri, que, por seu turno, ganhou 13,8 segundos a Cachón. Depois, nos 21,8 km de La Granadella 1, seria Monarri a impor-se, ganhando 11,3 segundos a Blach (ascendendo ao 1º lugar) e 18,4 segundos a Cachón, piloto que, por estratégia, preferia não arriscar, mantendo-se atento à posição do seu rival. Ao final do troço não chegariam Delbín Garcia, (transmissão). A fechar a manhã estavam os 14,21 km de Riba-Roja 1, onde Monarri garantia, de novo, o melhor crono, batendo Blach e Cachón por 5,9 e 6,7 segundos, respetivamente.

 

No final desta ronda, a classificação da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA apresentava Monarri / Vela como líderes provisórios, posição de destaque que não era suficiente para lhes assegurar o título, em face do 3º lugar ocupado por Cachón / ‘Jandrín’. Entre eles estavam Blach / Murado, a 16,7 segundos dos madrilenos e com uma vantagem de 22,2 segundos sobre a dupla das Astúrias. Palomo / Chamorro eram 4ºs, a 3,9 segundos do pódio e com uma vantagem de 31,6 segundos sobre os rookies Gabeiras / Mirón. Atrás deles, separados por 9,2 segundos e em luta pelo 6º lugar, vinham os também estreantes Adrià Serratosa / Eric Bellver e os bem mais experientes Santiago García / Nestor Casal, equipa que não teve uma manhã isenta de dificuldades.

 

À tarde repetiam-se esses mesmos troços, começando por Villaplana 2, onde Monarri tirou 5 segundos ao tempo que fizera de manhã, com isso batendo Blach e Cachón, asturiano que continuava a manter uma cadência mais controlada, que lhe garantisse os objetivos. No polo oposto, Serratosa perdia quase 5 minutos neste troço. Depois, em La Granadella 2, Monarri voltava a vencer, seguido de Blach, para um top-3 em que, pela primeira vez, surgia Gabeiras, sendo que Cachón fazia o 4º melhor tempo. A fechar esta época de 2021, o troço de Riba-Roja 2 mais não serviu do que para se cumprir o alinhamento, garantindo Monarri o quinto melhor tempo em seis troços, à frente de Blach e Palomo. Já Cachón ficaria, de novo, com o quarto melhor tempo, mas sem que se mostrasse preocupado, pois o rali chegava ao fim e era hora de festejar, com os títulos de “Campeões” da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 alcançados por si e por ‘Jandrin’, o seu companheiro de notas.

 

 

PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 (6ª e última prova)

Rally RACC Catalunya – Costa Daurada – Classificação Final*

1º Alberto Monarri / Ángel Vela, a 1h10m56,2s

2º Roberto Blach (1º Junior Cup) / José Murado, a 34,0s

3º Alejandro Cachón (2º Junior Cup) / Alejandro ‘Jandrín’ Lopez, a 1m06,9s

4º Óscar Palomo / Alberto Chamorro, a 1m19,3s

5º Iago Gabeiras (3º Junior Cup) / Brais Mirón, a 2m02,5s

6º Santiago García (4º Junior Cup) / Nestor Casal, a 3m45,9s

7º Adrià Serratosa / Eric Bellver, a 7m34,4s

 

Todos em PEUGEOT 208 Rally4

 

Abandonos: Álvaro Muñiz / Javier Martinez, Hugo Lopes / Tiago Neves e Kevin Guerra / Aitor Cambeiro (falta às Verificações); Delbin García / Coral Barroso (ES2).

 

 

Os rankings finais da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 ficaram assim…

Fechadas as contas da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, o agora “Campeão” de Pilotos Alejandro Cachón totalizou 112,9 pontos válidos, impondo-se a Alberto Monarri (106,13), a Óscar Palomo (55,76) e a Roberto Blach (49,83) pontos, pilotos que ultrapassaram Álvaro Muñiz (48,40), um dos ausentes da prova catalã. No sexto lugar deste ranking e na posição de “Melhor Português” termina Pedro Almeida (39,63 pontos), frente a Miguel Campos (37,34) e Ricardo Sousa (32,0), fechando-se o top-10 com Santiago García (30,0) e José Maria Reyes (27,0). Classificaram-se 21 Pilotos. Mais detalhes na Tabela de Pontuações em anexo.

 

No que se refere aos Navegadores, atrás de Alejandro ‘Jandrin’ Lopez (112,9 pontos) e de Ángel Vela (106,13) ficaram Javier Martinez (46,4), Axel Coronado (43,26) e José Pintor (41,76). Hugo Magalhães (36,63 pontos) terminou a época na 6ª posição à geral e melhor co-piloto luso, impondo-se a Luis Marques (32,0). Pontuaram 26 dos 29 Navegadores que alinharam na copa 2021. Mais detalhes na Tabela de Pontuações em anexo.

 

A dupla das Astúrias Alejandro Cachón e Alejandro ‘Jandrín’ Lopez escreve, assim, os seus nomes no Palmarés de “Campeões” da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA, sucedendo aos portugueses Pedro Antunes / Pedro Alves (2020) e aos galegos Daniel Berdomás / David Rivero (2019) e Robert Blach (2018; no primeiro ano da copa apenas se atribuiu o título de Pilotos; José Murado foi, também nesse ano, o seu co-piloto).

 

Seguir-se-á, em data a anunciar, a Cerimónia Oficial de Entrega de Prémios da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, aos “Campeões” e a todo o conjunto de pilotos, navegadores e equipas que, com empenho e dedicação, contribuíram para uma Temporada 4 de sucesso nesta iniciativa, batalhando entre si aos comandos dos fiáveis e competitivos Peugeot 208 Rally4 nas cerca de 50 Especiais que, no seu conjunto, se dividiram pelos seis ralis que, este ano, se realizaram em Portugal (três em pisos de terra) e Espanha (três em asfalto).

 

Coorganizada pela PEUGEOT Portugal e pela PEUGEOT Espanha e com a gestão logística a cargo da Sports & You, a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 tem a parceria da Pirelli, no domínio dos pneus, entre outros apoios: Vodafone, RACC e ACP. Destaque, também, para a associação de imagem ao ISAG – Instituto Superior de Administração e Gestão e à iniciativa Race for Good.

 

* Classificação provisória, dependente da publicação dos resultados oficiais pela organização da prova. Os resultados desta sexta prova da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 são contabilizados ao final da 1ª Etapa do Rally RACC Catalunha. As equipas que o entenderem poderão continuar em prova, mas qualquer resultado que venham a alcançar, à geral ou no grupo, neste rali do WRC, não terá influência nas pontuações da copa.

 

 

 

INFORMAÇÕES E FOTOS:

– em http://www.peugeotrallycupiberica.com/

– no Facebook https://www.facebook.com/peugeotrallycupiberica/

– Imagens da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA para imprensa (livres de direitos editoriais) em https://aifa.smugmug.com/Motorsport/PEUGEOT-Rally-Cup

 

CONTACTOS:

PEUGEOT PORTUGAL – Jorge Magalhães: jorge.magalhaes@stellantis.com | + 351 96 986 16 80

SPORTS & YOU – José Pedro Fontes: jpfontes@sportsandyou.pt | + 351 91 762 55 88

GOOD NEWS – Tito Morão: tmorao@goodnews.pt | + 351 91 840 00 01

José Pinheiro: jpinheiro@goodnews.pt | + 351 91 565 32 73

ALEJANDRO CACHÓN OU ALBERTO MONARRI: UM DELES SERÁ O PILOTO “CAMPEÃO” DA PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021

À entrada para o último rali da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, a dúvida subsiste sobre o nome dos “Campeões” da Temporada 4 da copa coorganizada pela PEUGEOT Portugal e PEUGEOT Espanha. O tira teimas mantém-se em discussão entre as duplas Alejandro Cachon / Alejandro ‘Jandrín’ López, os atuais líderes da contenda, e Alberto Monarri / Ángel Vela, os únicos que lhes podem retirar esse sonho.

As dúvidas ficarão esclarecidas ao início da noite deste sábado (16 de outubro), após um percurso de 660,59 quilómetros referente à 1ª Etapa deste RACC Rally Catalunya / Costa Daurada – Rally de España 2021, que serve de base à sexta prova da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021. É parte do rali de três dias organizado pelo Real Automóvil Club de Catalunya e que, na sua totalidade, pontua para o Mundial de Ralis (WRC).

A estas duas equipas do país vizinho irão juntar-se, neste rali, nove outras formações que, aos comandos dos competitivos PEUGEOT 208 Rally4, irão bater-se pelos melhores tempos nas seis Especiais – num total de 112,02 quilómetros cronometrados – em pisos de asfalto, definindo o último top-10 do ano.

Recorde-se que contabilizadas as pontuações dos cinco anteriores ralis da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, Alejandro Cachón / ‘Jandrín’ chegam à Catalunha com uma vantagem de 18,37 pontos sobre os conterrâneos Alberto Monarri / Ángel Vela, havendo, aquando da contabilidade final, que deitar fora um resultado. Ou seja, os primeiros dependem de si para manter essa liderança e, assim, assegurar o título; já os adversários terão, de preferência, que garantir a vitória ou no mínimo uns sólidos 20 pontos, e esperar que a concorrência fique abaixo do top-5. Será, decerto, um final de época de tirar o fôlego, em que até os proporcionais de pontos dos melhores tempos nas seis Especiais deste último rali do ano poderão fazer a diferença.

 

À partida do RACC Rally Catalunya / Costa Daurada – Rally de España existe ainda indefinição sobre o nome dos “Campeões” da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, que ficarão decididos no final deste evento também pontuável para o Mundial de Ralis (WRC), e cuja 1ª Etapa é palco da sexta e última prova desta Temporada 4. São espanholas as duas únicas equipas que podem alcançar os principais troféus de Pilotos e Navegadores, Alejandro Cachón e Alejandro ‘Jandrin’ Lopes, que há cerca de duas semanas, após o Rally Serras de Fafe e Felgueiras, conseguiram ultrapassar Alberto Monarri e Ángel Vela nas tabelas de pontos, garantindo, para já, uma confortável vantagem de 18,37 pontos, no acumulado dos cinco ralis já corridos. A melhor dupla garantirá, também, o Grande Prémio Final, traduzido numa temporada de ralis em 2022 com uma viatura Rally2, num dos campeonatos a realizar nos territórios de um dos dois países.

 

Em resumo e até à data, Cachón e Jandrin contabilizam duas vitórias, no Vodafone Rally de Portugal e no Rallye Princesa de Astúrias, e dois segundos lugares, em Ourense e no Serras de Fafe e Felgueiras, registando uma única desistência, no Rali Terras d’Aboboreira. Por seu lado, Monarri e Vela, somaram dois 2ºs lugares (Portugal e Asturias) e dois 3ºs (Aboboreira e Ourense), resultados que lhes permitiram ser líderes da copa até Fafe, rali onde abandonaram, perdendo, com isso, valiosos pontos e essa posição para os seus adversários.

 

Com essa diferença de 18,37 pontos entre eles, à entrada deste último rali do ano, o Rally de Catalunya coloca em jogo 25 pontos de uma vitória, 20 pontos de um 2º lugar ou 17 de um 3º, sem esquecer os 5 pontos complementares que há para dividir, proporcionalmente, entre os que fizerem os melhores tempos nos seus 6 troços (0,83 pontos por melhor tempo). Outra particularidade é o facto de que, nas contas finais, ambas as equipas terão que descontar o pior resultado da época do seu total de pontos, já que apenas se contabilizam os 5 melhores scores do ano, descontos que, à data, não são significativos, mas que até podem fazer a diferença nas contas finais: 0,71 pontos no caso de Cachón / ‘Jandrin’ e 1,25 pontos no caso de Monarri / Vela.

 

Em face do descrito e na assunção de que ambos se manterão em prova até ao final do rali catalão, os atuais líderes Cachón / ‘Jandrin’ dependem quase de si próprios, tendo de controlar o andamento dos seus adversários, mas sem passos em falso na tentativa de chegar a um dos lugares do pódio. Já Monarri / Vela têm uma tarefa mais difícil, sendo que o ideal seria vencer, ou garantir uma vantagem de pelo menos 20 pontos, esperando que os seus conterrâneos fiquem abaixo do 5º lugar.

 

Onze PEUGEOT 208 Rally4 no derradeiro confronto do ano

Mas esta última prova da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 não viverá apenas desta luta particular pelos títulos entre aqueles dois candidatos, havendo nove outras formações inscritas na prova catalã. Elevam-se, assim, a 11 os PEUGEOT 208 Rally4 que, saindo no Port Aventura, em Salou, nas imediações de Barcelona, tentarão alcançar um bom resultado que lhes enriqueça o palmarés, contribuindo para baralhar a contabilidade.

 

Do lado espanhol contam-se os nomes de Álvaro Muñiz e Óscar Palomo, Roberto Blach (o “Campeão” de 2018); Delbin García, Kevin Guerra e Santiago Garcia, para além de Iago Gabeiras e Adrià Serratosa, ambos estreantes nesta copa de 2021. A única inscrição portuguesa é a de Hugo Lopes.

 

 

PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 – LISTA DE INSCRITOS
Rally de Catalunya / Costa Daurada 2021

 

Piloto Navegador
63 Alberto Monarri (ESP) Ángel Vela (ESP)
64 Alejandro Cachón (ESP) Alejandro ‘Jandrin’ Lopez (ESP)
65 Álvaro Muñiz (ESP) Javier Martinez (ESP)
66 Óscar Palomo (ESP) Jose Pintor (ESP)
67 Roberto Blach (ESP) José Murado (ESP)
68 Hugo Lopes (POR) Tiago Neves (POR)
70 Delbín García (ESP) Coral Barroso (ESP)
71 Kevin Guerra (ESP) Aitor Cambeiro (ESP)
72 Santiago Garcia (ESP) Nestor Casal (ESP)
73 Iago Gabeiras (ESP) Brais Mirón (ESP)
79 Adrià Serratosa (ESP) Eric Bellver (ESP)

 

 

Os detalhes do Rally de Catalunya / Costa Daurada – Rally de España[1]

Sexta e última prova da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, terceira em asfalto e também terceira em Espanha, o Rally de Catalunya / Costa Daurada – Rally de España divide-se pelos dias 14 e 15 de outubro, concentrando a luta ao cronómetro ao longo de todo o dia de sexta-feira. Essa 1ª Etapa – a que conta para efeitos da copa ibérica – integra 6 Especiais (três troços corridos em dupla ronda), com um acumulado de 112,02 quilómetros cronometrados, para um percurso total de 660,59 quilómetros.

 

A quinta-feira (dia 14) contará com o Shakedown, fazendo-se as últimas afinações aos set-ups dos PEUGEOT 208 Rally4 a partir das 9h01 nos 4,31 km do troço de Coll de la Teixeta. Às 19h00 terá lugar a Cerimónia de Partida no Pódio montado em Salou, antes da entrada dos concorrentes no Parque de Assistência.

 

Em termos competitivos, a batalha pelo título da presente copa ibérica iniciar-se-á a partir das 08h00 de sexta-feira, com uma primeira sequência de três troços: ES1 – Villaplana 1 (20 km, às 08h43), ES2 – La Granadella 1 (21,80 km, às 10h21) e ES3 – Riba-Roja 1 (14,21 km, às 11h42), com um refuel antes da ES1 e outro entre a ES2 e a ES3. Finda esta primeira ronda, as equipas irão fazer um Reagrupamento (13h17) e depois passar pelo Parque de Assistência (13h37/14h17), preparando-se para a segunda ronda com uma estrutura em tudo semelhante. ES4 – Villaplana 2 às 15h00, ES5 – La Granadella 2 às 15h38) e, a fechar a época, a ES6 – Riba-Roja 2 às 17h59, aí se definindo o escalonamento final do rali e da copa ibérica, com a consagração dos melhores no Pódio em Salou.

 

Acrescente-se que as equipas que o entenderem poderão continuar em prova – este rali pontuável para o WRC prolongar-se-á para sábado e domingo (16 e 17 outubro), sendo que qualquer resultado que venham a alcançar, à geral ou no agrupamento, não terá qualquer influência nas pontuações da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021.

 

Coorganizada pela PEUGEOT Portugal e pela PEUGEOT Espanha e com a gestão logística a cargo da Sports & You, a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 tem a parceria da Pirelli, no domínio dos pneus, entre outros apoios: Vodafone, RACC e ACP.  Esta que é a sua Temporada 4 compôs-se de seis jornadas: três ralis em solo luso, todos em terra, integrantes do Campeonato de Portugal de Ralis (CPR), e três outros do lado de lá da fronteira, todos em pisos de asfalto e integrantes do Supercampeonato de Espanha de Ralis (SCER).

 

À semelhança dos anteriores, será dada continuidade a associação ao ISAG – Instituto Superior de Administração e Gestão, entidade que visa o reconhecimento como melhor escola de negócios e de turismo de Portugal, e a parceria com a Race for Good, movimento dinamizado pelo treinador de futebol André Villas-Boas, recorrendo ao motorsport como plataforma de comunicação e promoção de ações de cariz social e humanitário.

 

 

INFORMAÇÕES E FOTOS:

– em http://www.peugeotrallycupiberica.com/

– no Facebook https://www.facebook.com/peugeotrallycupiberica/

– Imagens da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA para imprensa (livres de direitos editoriais) em https://aifa.smugmug.com/Motorsport/PEUGEOT-Rally-Cup

 

 

CONTACTOS:

PEUGEOT PORTUGAL – Jorge Magalhães: jorge.magalhaes@stellantis.com | + 351 96 986 16 80

SPORTS & YOU – José Pedro Fontes: jpfontes@sportsandyou.pt | + 351 91 762 55 88

GOOD NEWS – Tito Morão: tmorao@goodnews.pt | + 351 91 840 00 01

José Pinheiro: jpinheiro@goodnews.pt | + 351 91 565 32 73

[1] Nota: Horas referenciais para o primeiro carro na estrada; horas locais (menos 1 hora em Portugal Continental)

Josep Bassas / Axel Coronado no lugar mais alto do pódio; Títulos de 2021 da copa adiados para a Catalunha || PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 – Rally Serras de Fafe e Felgueiras 2021 (Final).

A dupla Josep Bassas / Axel Coronado venceu o Rally Serras de Fafe e Felgueiras, quinta prova da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021. A dupla do Rally Team Spain impôs-se num rali corrido sob condições atmosféricas muito adversas, num palco onde dois outros adversários se entregaram à sua luta particular pelos títulos de 2021, alcançando resultados muito díspares.

Depois de um percalço na secção da tarde, Alejandro Cachón / Alejandro ‘Jandrin’ Lopez ainda terminaram no 2º lugar, beneficiando do abandono de Alberto Monarri / Ángel Vela, num conjunto de resultados que adia a decisão dos títulos para o RACC Rally de Catalunya. A vantagem pontual é agora dos primeiros, sendo 18,98 os pontos que os separam, quando estão em discussão 25 pontos de uma potencial vitória, fora os proporcionais de pontos das vitórias em troços.

Neste rali há ainda a destacar o 3º lugar dos regressados Pedro Almeida / Hugo Magalhães, eles que se têm dividido entre a copa ibérica e a PEUGEOT Cup francesa, num difícil rali que delapidou parte do plantel que se apresentou, esta manhã, à partida.

Todas as decisões da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 ficam, assim, adiadas para os troços de asfalto da 1ª Etapa do Rally RACC / Catalunya (15 e 16 outubro), jornada do WRC, culminando uma época que se está a mostrar muito disputada, levando até final a indefinição dos títulos de Pilotos e Navegadores.

Aproveitando a totalidade da 1ª Etapa do Rally Serras de Fafe e Felgueiras, correu-se ao longo de todo o dia de hoje (sábado) a quinta e penúltima prova da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 como palco de um conjunto de novas batalhas pelos títulos desta que é a Temporada 4 da copa coorganizada pela Peugeot Portugal e Peugeot Espanha, assente na estrutura logística da Sports & You.

 

Fruto das difíceis condições atmosféricas registadas ao longo de todo o dia de hoje na região, que tiveram um grande impacto no terreno de jogo, colocou-se à prova, não só a robustez de um dos mais apetecíveis produtos da Peugeot Sport desenhado para a formação (ou confirmação) de novos valores para a categoria dos ralis, o 208 Rally4, como a própria resiliência das equipas em lidar com essas e outras condições.

 

Foram, assim, 12 as duplas que esta manhã se perfilaram no centro de Fafe apostadas na conquista de uma vitória neste rali que é, ainda, pontuável para o Campeonato de Portugal e Europeu de Ralis (CPR e ERC). Entre elas destacavam-se as duas equipas – Alejandro Cachón / ‘Jandrín’ e Alberto Monarri / Ángel Vela – que se encontravam mais perto de alcançar os objetivos definidos para esta época, traduzidos nos títulos de 2021, eles que, no arranque deste rali tinham uns mínimos 2,27 pontos a separá-los.

 

Não surpreendeu, por isso, que fossem eles quem, com mais garra, partiu à conquista dos melhores tempos das 8 Especiais (113,42 km cronometrados) que serviram de palco às batalhas desta prova organizada pela Demoporto – Clube de Desportos Motorizados do Porto. Composto pelos troços de Luílhas (12,1 km), Sra da Fé/Anjos (18,06 km), Agra/Zebral (11,25 km) e Boticas (15,20 km), este terceiro rali do ano em pisos de terra e também terceiro (e último) em Portugal, dividiu-se por uma ronda matinal, repetida da parte da tarde com a particularidade de haver um fator extra em jogo: as condições atmosféricas, com chuva e nevoeiro a complicarem o estado revolto dos pisos, resultante das passagem de todos os carros de quatro rodas motrizes das categorias superiores, antes do plantel da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA.

 

Cachón / ‘Jandrin’ seriam os mais rápidos em três desses oito troços (ES3, ES5 e ES7), ficando para Monarri / Vela (ES1 e ES4), Bassas / Coronado (ES2 e ES6) e Almeida / Magalhães (ES8) os melhores tempos nos restantes, somando-se os respetivos proporcionais (0,63 pontos por cada melhor tempo; 5 pontos a dividir por 8 especiais) às pontuações alcançados no rali: a vitória de Bassas / Coronado valeu-lhes 25 pontos, ainda que pouco servissem em termos de luta pelos títulos, de que já estavam arredados antes do início do rali; Cachón / ‘Jandrin’ somavam os 20 pontos do 2º lugar e ascendiam à posição de líderes provisórios da copa; Monarri saía em branco, após abandono ao início da tarde, perdendo essa liderança e vendo o seu adversário ganhar um avanço pontual significativo; e os 17 pontos do 3º lugar ficavam, assim, para Pedro Almeida / Hugo Magalhães, os melhores portugueses entre as cinco equipas lusas inicialmente inscritas. Acrescente-se que ao 2º lugar Cachón somou a vitória na Junior Cup, troféu atribuído em cada rali a pilotos com menos de 25 anos (nascidos em ou após 1 de janeiro de 1995).

 

A palavra aos 3 primeiros

A consagração dos vencedores fez-se ao início da noite no centro de Fafe, sendo natural a satisfação de Josep Bassas: “Estamos muito contentes com a vitória na copa, embora os nossos objetivos estejam mais direcionados para a categoria RC4 do Europeu de Ralis, campeonato que estamos a disputar, e não tanto para a copa em si, de cuja luta pelos títulos já estávamos arredados. Quanto ao rali, está a ser muito difícil, não só pelos troços muito técnicos de Fafe, como pelas condições atmosféricas que enfrentámos”. note-se que Bassas irá continuar amanhã em prova, sendo o atual líder da categoria ERC/RC4 do Europeu de Ralis e um dos mais fortes candidatos ao assalto a esse título FIA. O resultado que eventualmente venha a alcançar amanhã, no final do Rally de Fale e Felgueiras, não terá impacto na pontuação da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA.

 

Alejandro Cachón pretendia aqui alcançar uma vitória que reforçasse as suas pretensões ao título, tal como referiu no final: “Estivemos sempre na luta pela vitória mas tivemos aquele percalço na ES6 que nos impediu de atingir em pleno os nossos objetivos”, situação que só não teve um pior resultado porque Alberto Monarri, o seu maior adversário ao título, abandonou. “Assim, tudo fica adiado para a Catalunha”, acrescentou.

 

O 3º lugar viria a ser assegurado por Pedro Almeida, que resumiu, assim, esta prova: “Foi um rali muito difícil, desde o início, com condições a que não estávamos habituados, fruto da muita chuva e nevoeiro. O furo que sofremos no último troço da manhã fez-nos perder muito tempo, pelo que este resultado é resultado da regularidade e, também, de termos conseguido ultrapassar com sucesso as diferentes condicionantes do percurso.”

 

Decisões dos títulos adiadas para o RACC Rally de Catalunya, dentro de 15 dias

Somando-se os pontos conquistados neste Rally Serras de Fafe e Felgueiras ao acumulado dos quatro anteriores encontros e a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 passa a ter como novos líderes Alejandro Cachón (Pilotos) e Alejandro ‘Jandrin’ Lopes (Navegadores), eles que com os resultados aqui alcançados – o 2º lugar e o melhor tempo em três dos oito troços – passam a somar 96,60 pontos. Para o efeito aproveitaram o abandono dos seus adversários ao título Alberto Monarri e Ángel Vela, que aqui apenas somam 1,25 pontos, referente aos proporcionais dos melhores tempos registados em dois troços, passando a somar 78,23 pontos.

 

A diferença entre os únicos dois candidatos aos títulos desta Temporada 4 da copa ibérica passa, assim, a ser de 18,37 pontos, ficando tudo adiado para o derradeiro rali da época, o RACC Rally de Catalunya / Rally de España, a correr-se nos troços de asfalto da 1ª Etapa desta prova do WRC, dentro de duas semanas (sábado, dia 16 de outubro). Uma particularidade: no final dessa que será a sexta e última prova da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 contabilizando-se apenas os 5 melhores scores do ano as equipas terão de deitar fora o seu pior resultado,: 0,71 pontos no caso de Cachón / ‘Jandrin’ (alcançados no Terras d’Aboboreira) e 1,25 pontos no caso de Monarri / Vela (o acumulado Fafe). Em face do atrás descrito, os novos líderes dependem quase de si próprios, não podendo dar passos em falso na tentativa de garantir um bom resultado; já os adversários têm obrigatoriamente de vencer e esperar que os seus conterrâneos não subam ao pódio!

 

Atrás deles, sem quaisquer pretensões aos títulos perfilam-se, no ranking dos Pilotos, Álvaro Muñiz (48,40), Óscar Palomo (41,76) e Pedro Almeida (39,00), que com o resultado de Fafe ascende ao 5º posto. Seguem-se Miguel Campos (37,34), Ricardo Sousa (32,0), Roberto Blach (29,0) e José Maria Reyes (27,0), fechando-se o top-10 com o vencedor deste rali, Josep Bassas (26,25 pontos). No que se refere aos Navegadores, atrás de ‘Jandrin’ (96,60) e de Vela (78,23) vêm Javier Martinez (46,40), Axel Coronado (43,25) e José Pintor (41,76), sendo Hugo Magalhães (36,63) como o melhor co-piloto luso (ver detalhe na Tabela de Pontuações em anexo).

 

Importante salientar que no final da próxima prova da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 – o RACC Rally de Catalunya / Rally de España, uma vez contabilizadas essas sextas pontuações, Pilotos e Navegadores terão de descontar o seu pior resultado do ano, um facto regulamentar que provocará, decerto, alterações nos respetivos escalonamentos finais, até mesmo ao nível da definição dos “Campeões” desta Temporada 4 da copa. Há, assim, que aguardar pelo segundo fim de semana de outubro para se fechar essa contabilidade.

 

Nevoeiro foi adversário de respeito nos troços da manhã

Entrando nas especiais após todo o plantel do ERC e do CPR as ter revolvido, uma realidade sempre esperada em ralis de terra, que coloca uma dificuldade adicional à evolução dos carros de duas rodas motrizes, o plantel da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 deparou-se, também, com alguma lama, decorrente da chuva que, entretanto, caíra, e bastante nevoeiro, principalmente presente nos troços da manhã.

 

Nos 12,1 km de Luílhas 1 e sem surpresas, Alberto Monarri / Ángel Vela e Alejandro Cachón / Alejandro ‘Jandrín’ Lopez surgiam no topo da tabela de tempos, com os primeiros a garantirem uma vantagem de 5,3 segundos sobre os seus principais adversários aos títulos de “Campeões” da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021. Delbin García / Hugo Varella foram os terceiros mais lestos, à frente de Josep Bassas / Axel Coronado. Seguiram-se-lhes os melhores dos portugueses, Pedro Almeida / Hugo Magalhães que bateram Carlos Fernandes / Bruno Abreu por 4,9 segundos e Ricardo Sousa / Jorge Carvalho por 1,5 segundos adicionais. Óscar Palomo / Borja Rozada foram as primeiras baixas do rali, abandonando devido a saída de estrada.

 

Já arredado da luta pelo título de Pilotos, devido à diminuta pontuação acumulada nas anteriores quatro jornadas da copa, Bassas não deixou de se impor nos 18,06 km de Sra da Fé/Anjos 1 e, contornando as difíceis condições atmosféricas, bateu Cachón por 1,4 segundos e Monarri por 8,6 segundos. O domínio espanhol neste troço foi marcante, pois Almeida, o melhor dos representantes lusos, perdeu quase 23 segundos para Bassas. No campo oposto, registe-se o furo sofrido por Kevin Guerra / Aitor Cambeiro e uma saída de estrada para Delbin García / Hugo Varella, abandonando ambos o rali.

 

Com Cachón no 1º lugar provisório e Monarri a cair para 3º, seguia-se Agra/Zebral 1. Cachón foi o mais rápido nos seus 11,25 km, deixando Monarri a 2,8 segundos, pelo que a diferença entre ambos ficava nos 4,7 segundos. Bateram Carlos Fernandes / Bruno Abreu por 7,4 segundos, eles que ficavam a apenas 1,2 segundos do 4º lugar à geral, então na posse de Almeida. Espelho de um terreno muito enlameado e traiçoeiro, Álvaro Muñiz / Javier Martinez saiam de estrada, deitando por terra as remotas pretensões aos títulos que ainda tinham, à partida desta penúltima prova da Temporada 4 da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA.

 

Após um refuel cumpriu-se o restante traçado dessa ronda matinal, com os 15,20 km de Boticas 1, onde Monarri suplantou Bassas por 4,6 segundos e Cachón por 6,4 segundos. Já Almeida viu-se afastado da luta particular entre os portugueses, após perder mais de um minuto e meio com um furo, num troço onde Fernandes foi o mais rápido desse grupo luso.

 

Findas essas quatro primeiras especiais do demolidor Rally Serras de Fafe e Felgueiras, palcos onde a chuva e o nevoeiro reforçaram as dificuldades, Alberto Monarri / Ángel Vela e Alejandro Cachón / ‘Jandrín’ – as duas principais candidatas aos títulos de 2021 da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA – mantinham-se na frente, tendo 1,7 segundos a separá-las. Os restantes Peugeot 208 Rally4 batiam-se quer pelo mais baixo lugar do pódio, à altura na posse de Josep Bassas / Axel Coronado, quer para o de melhores portugueses, grupo que então tinha Carlos Fernandes / Bruno Abreu à frente de Ricardo Sousa / Jorge Carvalho, separados por uma dezena de segundos. Ernesto Cunha / Rui Raimundo tinha 0,3 segundos de vantagem sobre Pedro Almeida / Hugo Magalhães, fechando-se a contagem com Santiago Garcia / Nestor Casal (8ºs), numa lista em que já não constam as quatro outras equipas da copa ibérica que, durante a manhã, caíram nas diversas ratoeiras provocadas pelas condições climatéricas e do piso.

 

Do volte-face da ES6 à vitória merecida de ‘Pep’ Bassas

Começando por Luílhas 2, depois de Alberto Monarri ali ter sido o mais rápido de manhã, coube, dessa feita, a Alejandro Cachón alcançar o melhor crono, batendo o seu conterrâneo por 9 segundos. Longe, a mais de 20 segundos dessa luta particular, ficou Ricardo Sousa, ele que se viu livre da pressão de Carlos Fernandes, que também capitulou.

 

Mas seria em Sra da Fé/Anjos 2 que as classificações da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA sofreriam um enorme volte-face, fruto dos contratempos dos líderes provisórios do rali e candidatos aos títulos: Monarri desistiu após saída de estrada e Cachón perdeu mais de minuto e meio para Josep Bassas que, com isso, alcançava a liderança provisória da copa, à frente dos restantes cinco sobreviventes: Alejandro Cachón, já a 1 minuto e 3,4 segundos do líder, Ricardo Sousa e Pedro Almeida, que estão separados por apenas 5 segundos, Ernesto Cunha, estando a quase 5 minutos e, finalmente, Santiago García, com um prejuízo na ordem dos 23 minutos, depois de neste troço ter, também ele, passado por algumas dificuldades.

 

Recuperando do desaire do troço anterior, Cachón garantiu o melhor tempo em Agra/Zebral 2, com isso somado mais um proporcional de pontos, sem que o tempo ganho a Bassas lhe dê para alcançar com uma potencial vitória, a não ser que houvesse mais algum contratempo. Já Almeida bateu Sousa por 17,3 segundos, ultrapassando-o em termos de geral, tendo agora uma vantagem de 12,3 segundos. Em face das dificuldades, Cunha e García limitaram-se a cumprir calendário e atingir o final deste penúltimo troço.

 

A fechar a contenda deste Rally Serras de Fafe e Felgueiras, quinta e penúltima prova da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, correu-se a especial de Boticas 2, onde Almeida garantiu o melhor tempo, 6,1 segundos à frente de Bassas e com menos 28,6 segundos do que Cachón, que preferiu levantar o pé, não pondo em risco este suado 2º lugar.

 

PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 (5ª prova de 6)

Rally Serras de Fafe e Felgueiras – Classificação Final*

1º Josep Bassas / Axel Coronado, a 1h35m26,8s

Alejandro Cachón (1º Junior Cup) / Alejandro ‘Jandrín’ Lopez, a 1m16,4s

3º Pedro Almeida (2º Junior Cup) / Hugo Magalhães, a 2m58,6s

4º Ernesto Cunha / Rui Raimundo, a 6m49,4s

5º Santiago García (3º Junior Cup) / Nestor Casal, a 27m35,6s

 

Todos em PEUGEOT 208 Rally4

 

Abandonos: Óscar Palomo / Borja Rozada (ES1); Kevin Guerra / Aitor Cambeiro (ES2); Delbin García / Hugo Varella (ES2); Álvaro Muñiz / Javier Martinez (ES3); Carlos Fernandes / Bruno Abreu (ES5); Alberto Monarri / Ángel Vela (ES6); Ricardo Sousa / Jorge Carvalho (ES8).

 

* Classificação provisória, dependente da publicação dos resultados oficiais pela organização da prova.

 

A PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 terminará, assim, no RACC Rally de Catalunya / Rallye de España, jornada em pisos de asfalto e também pontuável para o Campeonato do Mundo de Ralis. Correndo-se entre os dias 15 e 17 de outubro, para efeitos desta copa ibérica contará apenas a sua 1ª Etapa, num total de 6 troços (112,02 km cronometrados). Os detalhes deste último rali do ano serão apresentados mais perto da data da sua realização.

 

Coorganizada pela PEUGEOT Portugal e pela PEUGEOT Espanha e com a gestão logística a cargo da Sports & You, a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 tem a parceria da Pirelli, no domínio dos pneus, entre outros apoios: Vodafone, RACC e ACP. Destaque, também, para a associação de imagem ao ISAG – Instituto Superior de Administração e Gestão e à iniciativa Race for Good.

 

 

INFORMAÇÕES E FOTOS:

– em http://www.peugeotrallycupiberica.com/

– no Facebook https://www.facebook.com/peugeotrallycupiberica/

– Imagens da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA para imprensa (livres de direitos editoriais) em https://aifa.smugmug.com/Motorsport/PEUGEOT-Rally-Cup

 

CONTACTOS:

PEUGEOT PORTUGAL – Jorge Magalhães: jorge.magalhaes@stellantis.com | + 351 96 986 16 80

SPORTS & YOU – José Pedro Fontes: jpfontes@sportsandyou.pt | + 351 91 762 55 88

GOOD NEWS – Tito Morão: tmorao@goodnews.pt | + 351 91 840 00 01

José Pinheiro: jpinheiro@goodnews.pt | + 351 91 565 32 73

CERRADA BATALHA PELA VITÓRIA NO NEVOEIRO DE FAFE || PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 – Rally Serras de Fafe e Felgueiras 2021

Cumpridas as quatro primeiras especiais de um demolidor Rally Serras de Fafe e Felgueiras 2021, com a chuva e o nevoeiro a trazerem dificuldades adicionais aos troços da região, mantém-se cerrada a luta entre as duas principais equipas candidatas aos títulos de 2021, Alberto Monarri / Ángel Vela e Alejandro Cachón / ‘Jandrín’, ocupantes, por esta ordem, dos dois primeiros lugares da geral provisória da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA, com apenas 1,7 segundos a separá-los.

Atrás deles e somados os tempos desses troços, outras batalhas têm lugar entre os demais Peugeot 208 Rally4 inscritos, quer pelo mais baixo lugar do pódio, neste momento na posse de Josep Bassas / Axel Coronado, como para o de melhor dupla portuguesa, numa batalha que, neste momento, opõe Carlos Fernandes / Bruno Abreu a Ricardo Sousa / Jorge Carvalho, com uma dezena de segundos a separá-los. Pedro Almeida / Hugo Magalhães, que também estiveram nesse lote, caíram para o 7º posto, estando a 0,3 segundos de Ernesto Cunha / Rui Raimundo. A fechar a contagem, Santiago Garcia / Nestor Casal ocupa o 8º lugar, numa lista em que já não constam quatro outras equipas da copa ibérica, tendo caído nas ratoeiras provocadas pelas condições climatéricas e do piso.

Esta que é a quinta e penúltima jornada da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, copa coorganizada pela PEUGEOT Portugal e PEUGEOT Espanha, prolongar-se-á durante a tarde de hoje (sábado), com a repetição das mesmas 4 Especiais da manhã – Luílhas 2 (12,1 km, às 15h00), Sra da Fé/Anjos 2 (18,06 km, às 15h55) e Agra/Zebral 2 (11,25 km, às 16h30) e Boticas 2 (15,20 km, às 17h50) – percursos que estarão, decerto, ainda mais difíceis de transpor, fator que contribuirá, igualmente, para a indefinição quanto aos vencedores do rali e estrutura das demais posições.

PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021
Rally Serras de Fafe e Felgueiras – Classificação após a secção da manhã

1º Alberto Monarri / Ángel Vela, a 45,08,6s

1º Alejandro Cachón / ‘Jandrín’, 1,7s

3º Josep Bassas / Axel Coronado, a 13,2s

4º Carlos Fernandes / Bruno Abreu, a 1m03,6s

5º Ricardo Sousa / Jorge Carvalho, a 1m14,1s

6º Ernesto Cunha / Rui Raimundo, a 2m18,1s

7º Pedro Almeida / Hugo Magalhães, a 2m18,4s

8º Santiago Garcia / Nestor Casal, a 4m56,2s.

Todos em PEUGEOT 208 Rally4.

PENÚLTIMA PROVA DA PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 PODERÁ SER DECISIVA PARA A ATRIBUIÇÃO DOS TÍTULOS

Será nos troços de terra da Serra de Fafe que se irá correr a quinta e penúltima jornada da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, copa coorganizada pela PEUGEOT Portugal e PEUGEOT Espanha. Serão, desta feita, 12 as equipas que irão alinhar no Rally Serras de Fafe e Felgueiras, prova organizada pelo Demoporto e que integra, não só a copa ibérica, como pontua para os Campeonatos de Portugal e Europeu de Ralis (CPR e ERC).

Numa altura em que a luta pelos títulos de 2021 da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA está ao rubro, registar-se-á, desta feita, um maior equilíbrio de forças, sendo quatro os PEUGEOT 208 Rally4 com as cores nacionais e que, a correr em casa pretendem defender o cerco que as oito máquinas espanholas lhes irão fazer, em especial os que já se perfilam como potenciais ‘Campeões’ da Temporada 4 da copa ibérica.

Todos irão defrontar-se no sábado (2 de outubro) ao longo dos 113,42 km cronometrados das oito Especiais desenhadas naquela região icónica dos ralis nacionais, ao longo de uma única Etapa que totaliza 353,43 km.

Contabilizadas as pontuações das quatro provas já realizadas, Alberto Monarri (Pilotos) e Ángel Vela (Navegadores) mantêm a liderança da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, tendo uma vantagem muito reduzida, de apenas 2,27 pontos, sobre os seus conterrâneos e principais adversários ao título, Alejandro Cachón / ‘Jandrín’, pelo que se antevê um final de época emocionante.

A PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 prepara-se para aquela que será a quinta de seis provas da presente Temporada, num Rally Serras de Fafe e Felgueiras que se corre apenas três semanas após a anterior jornada desta copa. Dividido entre os próximos dias 1 e 2 de outubro, o rali terá a sua secção competitiva concentrada ao longo de todo o dia de sábado, tendo os concorrentes pela frente duas rondas por quatro Especiais, num total de 113,42 km cronometrados divididos pela manhã e tarde.

 

São 12 os PEUGEOT 208 Rally4 da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA inscritos no Rally Serras de Fafe e Felgueiras, que, à semelhança das quatro provas anteriores, se revestirá de uma enorme adrenalina, sobretudo quando, neste momento, a discussão pelos títulos de 2021 se faz quase ponto a ponto, quer entre os Pilotos, quer entre os Navegadores.

 

No conjunto, estas 12 equipas, todas aos comandos dos 208 Rally4, fiáveis e competitivas máquinas desenvolvidas pela PEUGEOT Sport, prometem garantidamente abrilhantar a prova organizada pelo Demoporto – Clube de Desportos Motorizados do Porto.

 

Tendo em conta o acumulado de pontuações dos quatro ralis já realizados – Terras d’Aboboreira, Vodafone Rally de Portugal, Ourense e Princesa de Asturias – a liderança está presa por 2,27 pontos, que separam os líderes Alberto Monarri (Pilotos) e Ángel Vela (Navegadores) de Alejandro Cachón e Alejandro ‘Jandrin’ Lopes, os seus mais diretos adversários, numa luta que, decerto, se mostrará muito quente nos icónicos troços em pisos de terra da região serrana de Fafe.

 

Alberto Monarri (76,98 pontos) é, assim, o atual líder do ranking de Pilotos, seguido de perto por Alejandro Cachón (74,71). Já mais longe estão os seus conterrâneos Álvaro Muñiz (48,40) e Óscar Palomo (41,76), seguindo-se em 5º o melhor representante luso, Miguel Campos (37,34), ele que estará ausente da contenda, pelo que será o seu compatriota Ricardo Sousa (32,0) quem poderá suplantá-lo após esta prova. O atual top-10 completa-se com Roberto Blach (29,0), José Maria Reyes (27,0) e Hugo Lopes (25,25), um trio que também estará em Fafe, pelo que serão Delbin Garcia (22,0) e Pedro Almeida (22,0), atualmente empatados no 10º lugar, a poder tirar partido das ausências e subir na geral da copa. No escalonamento dos Navegadores, Ángel Vela (76,98 pontos) tem Alejandro ‘Jandrin’ Lopes (74,71) muito perto, mas já uma confortável vantagem para os restantes, grupo composto por Javier Martinez (46,40) e José Pintor (41,76), sendo Luis Marques (32,0) o melhor segundo condutor português, posição que não deverá perder.

 

Recorde-se que o Regulamento Desportivo da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA atribui 25 pontos à equipa vencedora de cada rali, 20 pontos aos 2ºs classificados e 17 pontos à dupla que termine na 3ª posição, pontuações válidas para Pilotos e Navegadores. Os restantes somam 14 pontos (4º classificado), 12 (5º) e depois sucessivamente 10, 8, 6, 4 e 2 pontos para as posições entre o 6º e o 10º lugar, atribuindo-se 1 ponto a todos os que terminem para lá do top-10. Em complemento, é atribuído um proporcional de pontos às equipas que registem o melhor tempo nas especiais cronometradas. Neste Rally de Fafe e Felgueiras cada registo desses valerá 0,63 pontos adicionais (5 pontos a dividir por 8 Especiais) nas contas finais.

 

O mesmo raciocínio será, igualmente, válido para o que será o sexto e último rali desta Temporada 4 da copa ibérica – o RACC Rally Catalunya / Rally de España (15 e 16 de outubro) – mas para apimentar a contabilidade final da copa, todos terão de descontar o seu pior resultado da época. Ou seja, está tudo em aberto nas lutas pelos títulos da copa 2021, pelo que este Rally Serras de Fafe e Felgueiras irá, decerto, deixar as contas mais (in)definidas.

 

Acrescente-se que são, presentemente, 19 os Pilotos e 24 os Navegadores classificados (ver detalhe na Tabela de Pontuações em anexo), todos aos comandos dos 208 Rally4, fiáveis e competitivas máquinas com assinatura da PEUGEOT Sport e que contam com uma excelente preparação por parte das estruturas técnicas portuguesas e espanholas, que, ao longo das diferentes épocas da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA, têm proporcionado lutas intensas e ao segundo nos ralis que a compõem.

 

PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 – LISTA DE INSCRITOS
Rally Serras de Fafe e Felgueiras 2021

 

Piloto Navegador
31 Josep Bassas (ESP) Axel Coronado (ESP)
34 Pedro Almeida (POR) Hugo Magalhães (POR)
35 Ernesto Cunha (POR) Rui Raimundo (POR)
56 Alberto Monarri (ESP) Ángel Vela (ESP)
57 Álvaro Muñiz (ESP) A indicar
58 Alejandro Cachón (ESP) Alejandro ‘Jandrin’ Lopez (ESP)
59 Óscar Palomo (ESP) Jose Pintor (ESP)
60 Ricardo Sousa (POR) Luis Marques (POR)
61 Delbín García (ESP) Coral Barroso (ESP)
62 Kevin Guerra (ESP) Aitor Cambeiro (ESP)
63 Carlos Fernandes (POR) Bruno Abreu (POR)
64 Santiago Garcia (ESP) Nestor Casal (ESP)

 

 

Os detalhes do Rally Serras de Fafe e Felgueiras[1]

Quinta prova da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, terceira em pisos de terra e também terceira (e última) em Portugal, o Rally Serras de Fafe e Felgueiras divide-se pelos dias 1 e 2 de outubro, concentrando a luta ao cronómetro ao longo de todo o dia de sábado. Essa Etapa única integra 8 Especiais, quatro troços corridos em dupla ronda (113,42 quilómetros cronometrados) para um percurso total de 353,43 quilómetros.

 

A sexta-feira está reservada às sessões de Treinos Livres (13h30/15h30) e de Shakedown (16h30/18h00), a realizar nos 3,25 km do troço de Monte, onde se permitem as últimas afinações aos set-ups dos PEUGEOT 208 Rally4. A intercalá-las, realizar-se-á o Qualifying (15h32), reservado a um lote pré-definido de equipas.

 

Em termos competitivos, os PEUGEOT 208 Rally4 da copa ibérica sairão para a estrada a partir das 08h00, numa partida dada na Praça Mártires do Fascismo (Feira Velha), em Fafe. Esperam-nos uma primeira sequência de três troços: Luílhas 1 (12,1 km, às 09h00), Sra da Fé/Anjos 1 (18,06 km, às 09h50) e Agra/Zebral 1 (11,25 km, às 10h25). Seguir-se-á um refuel que permitirá, depois, cumprir o restante traçado da ronda matinal, a completar com o troço de Boticas 1 (15,20 km, às 11h45).

 

Dali as equipas irão apontar ao Parque de Assistência (13h48/14h18), preparando-se para as novas batalhas a realizar nesses mesmos quatro troços. Os primeiros três estão agendados para as 14h55, 15h55 e 16h20, respetivamente, seguindo-se novo refuel e a repetição da especial de Boticas, às 17h40, aí ficando definido o escalonamento final da copa ibérica, realizando-se em Fafe à cerimónia particular do pódio.

 

Acrescente-se que as equipas que o entenderem poderão continuar em prova no dia seguinte – o rali continuará no domingo (3 outubro), só pontuando para os Campeonatos de Portugal e Europeu de Ralis (CPR e ERC), sendo que qualquer resultado que venham a alcançar, à geral ou no agrupamento, não terá nenhuma influência em termos de pontuações para a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021.

 

Coorganizada pela PEUGEOT Portugal e pela PEUGEOT Espanha e com a gestão logística a cargo da Sports & You, a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 tem a parceria da Pirelli, no domínio dos pneus, entre outros apoios: Vodafone, RACC e ACP.  Esta que é a sua Temporada 4 compõe-se de seis jornadas: três ralis em solo luso, todos em terra, integrantes do Campeonato de Portugal de Ralis (CPR), e três outros do lado de lá da fronteira, todos em pisos de asfalto e integrantes do Supercampeonato de Espanha de Ralis (SCER).

 

À semelhança das jornadas anteriores, terá continuidade a associação ao ISAG – Instituto Superior de Administração e Gestão, entidade que visa ser reconhecida como a melhor escola de negócios e de turismo de Portugal, e a parceria com a Race for Good, movimento dinamizado pelo treinador de futebol André Villas-Boas, recorrendo ao motorsport como plataforma de comunicação e promoção de ações de cariz social e humanitário.

 

INFORMAÇÕES E FOTOS:

– em http://www.peugeotrallycupiberica.com/

– no Facebook https://www.facebook.com/peugeotrallycupiberica/

– Imagens da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA para imprensa (livres de direitos editoriais) em https://aifa.smugmug.com/Motorsport/PEUGEOT-Rally-Cup

 

 

 

CONTACTOS:

PEUGEOT PORTUGAL – Jorge Magalhães: jorge.magalhaes@stellantis.com | + 351 96 986 16 80

SPORTS & YOU – José Pedro Fontes: jpfontes@sportsandyou.pt | + 351 91 762 55 88

GOOD NEWS – Tito Morão: tmorao@goodnews.pt | + 351 91 840 00 01

José Pinheiro: jpinheiro@goodnews.pt | + 351 91 565 32 73

[1] Nota: Horas referenciais para o primeiro carro na estrada; horas em Portugal Continental

DOMINADORES NAS ESPECIAIS DE OVIEDO ALEJANDRO CACHÓN / ‘JANDRIN’ BISAM VITÓRIA

A envolvente de Oviedo foi palco, entre ontem e hoje, do Rally Princesa de Asturias, quarta prova da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, onde Alejandro Cachón e Alejandro ‘Jandrin’ Lopez somaram a segunda vitória da presente época. Começando por se impor em dois dos quatro troços da 1ª Etapa, a dupla das Asturias alargou, depois e gradualmente, a sua vantagem, de modo a impedir que qualquer dos seus adversários a demovesse do lugar mais alto do pódio, repetindo o resultado também aqui alcançado há um ano.

Foram quatro as outras duplas espanholas a apontar a esse objetivo, mas apenas conseguiram lutar pelo 2º lugar, posição que no final dos 10 troços cronometrados (dos 11 inicialmente previstos), ficou para Alberto Monarri / Ángel Vela, batendo os conterrâneos Roberto Blach / Axel Coronado. Os melhores portugueses viriam a ser Ricardo Sousa / Luis Marques, herdeiros do 4º lugar quando dois outros pretendentes aos lugares do pódio ficaram pelo caminho.

Em complemento a esta vitória na copa, Cachón e ‘Jandrin’ alcançaram uma excelente 5ª posição à geral do evento do Supercampeonato de Espanha de Ralis 2021, bem como os troféus das 2 Rodas Motrizes e da categoria Rally4. Aliás, a PEUGEOT voltou a ser a marca mais representada no top-10 deste rali, com quatro unidades do 208 Rally4, e ocupando os três degraus do pódio na categoria 2WD.

Contabilizadas as pontuações desta quarta prova (de um total de seis) da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, Alberto Monarri (Pilotos) e Ángel Vela (Navegadores) mantêm a liderança da copa, mas agora com uma vantagem reduzida a 2,27 pontos sobre os vencedores do rali, Alejandro Cachón / ‘Jandrín’, pelo que se antevê um final de época emocionante.

Coorganizada pela PEUGEOT Portugal e PEUGEOT Espanha, com a logística da Sports & You, a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA terá continuação em menos de três semanas, nos troços de terra do Rally Serras de Fafe e Felgueiras (1 a 3 de outubro), fechando-se a época duas semanas depois no alcatrão do Rally RACC / Catalunya (14 a 17 outubro).

Dividido pelo final da tarde de ontem (sexta-feira) e pelo dia de hoje, o Rally Princesa de Asturias voltou a demonstrar uma enorme competitividade e luta pelos lugares da frente da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA, chegando-se a perfilar nada menos do que cinco duplas como potenciais vencedoras desta quarta prova da Temporada 4, segunda em Espanha e também segunda em pisos de asfalto.

 

Apesar do rali ter tido um único líder, essa posição nunca esteve assegurada a 100 por cento, dadas as reduzidas diferenças com que os pretendentes à vitória acabavam os diferentes troços. Ainda assim, os asturianos Alejandro Cachón / ‘Jandrín’ conseguiram manter à distância os seus adversários, terminando a contenda com 11,9 segundos de vantagem sobre Alberto Monarri / Ángel Vela e 1 minuto e 4 décimos de segundo sobre Roberto Blach / Axel Coronado. Outros pretendentes à vitória foram Óscar Palomo / José Pintor e Álvaro Muñiz / Javier Martinez, mas ambos ficariam pelo caminho.

 

Atrás deles rodou sempre um segundo grupo de concorrentes encabeçado pelos portugueses Ricardo Sousa / Luis Marques, valorosos lusos que não conseguiram ultrapassar essas duplas espanholas, mais conhecedoras do terreno de jogo. O leque de onze inscritos nesta jornada completou-se com os PEUGEOT 208 Rally4 de Miquel Socias / Alain Peña, Hugo Lopes / Tiago Neves, Delbin García / Hugo Varela, Kevin Guerra / Aitor Cambeiro e Santiago Garcia / Nestor Casal, os quais viriam a terminar por esta ordem.

 

Os lugares da frente foram, assim, sempre discutidos pelas mesmas cinco duplas, sendo que três delas dividiram os melhores tempos nos 10 troços e 136,53 km cronometrados deste Rally Princesa de Astúrias (inicialmente eram 11 Especiais, mas a ES5 foi neutralizada): Cachón / ‘Jandrin’ foram os mais rápidos nas ES1, ES2, ES6, ES7 e ES9, acrescendo, com isso 2,25 pontos adicionais ao pecúlio de 25 pontos que lhes foi atribuído pela vitória; Muniz / Martinez venceram as ES3 e ES4 e Monarri / Vela as ES8, ES10 e ES 11. Cachón alcançou, também, nova vitória na Junior Cup da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA, troféu reservado a pilotos com menos de 25 anos (nascidos em ou após 1 de janeiro de 1995), aqui impondo-se a Roberto Blach e a Míquel Socias.

 

A palavra aos 3 primeiros classificados

A consagração dos vencedores fez-se ao final da tarde no centro de Oviedo, onde a dupla vencedora festejou com júbilo: “Alcançámos a vitória, que era o resultado que tínhamos definido como objetivo, repetindo o resultado de há um ano, pelo que tudo está bem quando acaba bem”, referiu Alejandro Cachón. “Foi um rali muito duro, onde os nossos adversários nunca facilitaram, mas conseguimos os nossos intentos. Foi perfeito! Vamos agora olhar para as pontuações da copa e para os dois ralis que faltam”.

 

Segundo classificado no rali, Alberto Monarri sublinhou: “Estou contente com o 2º lugar, posição que nos permite continuar na luta pelos títulos de 2021. Tentámos tudo para apanhar o Cachón, mas ele esteve inalcançável. Mas é um bom resultado em termos de copa. Continuamos lá à frente, na luta, e vamos agora olhar para a próxima prova, em Fafe, onde vamos continuar a lutar pelos nossos objetivos”.

 

Finalmente, o 3º classificado, Roberto Blach resumia assim o seu rali: “Andámos sempre lá na frente, na luta pelo 2º lugar, mas depois das desistências do Palomo e do Muñiz baixei um pouco o ritmo, deixando para o Cachón e o Monarri a luta pela vitória”. Demonstrando um excelente desportivismo, acrescentou: “São eles que estão lá na frente da copa a discutir os títulos, pelo que acho ter sido o mais correto a fazer, dado que a minha atual pontuação na copa já não me permite sequer pensar nesse objetivo.”

 

Alberto Monarri e Ángel Vela ainda lideram copa, mas com reduzida vantagem pontual

Tendo em conta os resultados alcançados no Rally Princesa de Asturias, acumulados com as três anteriores pontuações, a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 mantém os mesmos líderes que tinha, Alberto Monarri nos Pilotos e Ángel Vela nos Navegadores, mas agora com uma diferença quase marginal – de apenas 2,27 pontos – para os vencedores do rali, Alejandro Cachón e Alejandro ‘Jandrin’ Lopes,

 

Particularizando o top-10 na copa de Pilotos, Alberto Monarri (76,98 pontos) mantém a liderança, seguido por Alejandro Cachón (74,71). Desistente neste rali, Álvaro Muñiz (48,40) soma apenas o proporcional de vitórias em troços, enquanto Óscar Palomo (41,76), que também sai em branco, mantém os pontos que já tinha. Ausente do rali, Miguel Campos (37,34) continua a ser 5º e o melhor português, passando a ter Ricardo Sousa (32,0) e Roberto Blach (29,0) muito mais perto. Seguem-se José Maria Reyes (27,0) e Hugo Lopes (25,25), dividindo-se o 10º lugar entre Delbin Garcia e Pedro Almeida, somando ambos 22,0 pontos.

 

No ranking de Navegadores, Ángel Vela soma agora 76,98 pontos, seguido de perto por Alejandro ‘Jandrin’ Lopes (74,71). Seguem-se Javier Martinez (46,40), José Pintor (41,76) e Luis Marques (32,0).

 

Com mais este rali, passaram a ser 19 os Pilotos e 24 os Navegadores classificados na PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 (ver detalhe na Tabela de Pontuações em anexo).

 

Classificações da 1ª Etapa foram corrigidas

Ainda voltando ao final do primeiro dia do Rally Princesa de Astúrias, a organização da prova, a cargo do Automóvil Club Principado de Asturias, decidiu, já noite dentro, rever os tempos atribuídos aos 11 pilotos da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA na ES5, que se cumpriu em ligação, decidindo-se pela atribuição de um mesmo tempo, revertendo a decisão anterior, onde lhes atribuíra tempos ponderados, em função da sua prestação no rali até ali.

 

A classificação provisória sofria, assim, alterações, nomeadamente nos ocupantes dos lugares mais baixos do pódio provisório. Se Alejandro Cachón e ‘Jandrín’ mantinham o 1º lugar, viam a sua vantagem reduzida para 6,9 segundos sobre a dupla Roberto Blach / Axel Coronado, recolocada no 2º lugar, relegando Alberto Monarri / Ángel Vela para o 3º posto, por 7 décimos de segundo. Óscar Palomo / José Pintor passavam a ser 4ºs classificados, a 7 décimos do lugar mais baixo do pódio e com uma vantagem de 6,7 segundos para os compatriotas Álvaro Muñiz / Javier Martinez, os 5ºs. Este top-5, todo ele com formações espanholas, estava contido em apenas 15 segundos.

 

Atrás surgiam os melhores portugueses, Ricardo Sousa / Luis Marques mantendo-se em 6º, já a 1 minuto e 3,7 segundos da liderança. A classificação da copa no final dessa 1ª Etapa completava-se com Delbin García / Hugo Varela (a 1m56,6s dos líderes), Miquel Socias / Alain Peña (a 1m57,0s), Hugo Lopes / Tiago Neves (a 2m23,8s), Kevin Guerra / Aitor Cambeiro (a 2m34,8s) e Santiago Garcia / Nestor Casal (a 2m44,9s).

 

Cachón / ‘Jandrin’ duplicam vantagem na ronda matinal da 2ª Etapa

Foi com essas novas diferenças de tempos que se iniciou hoje (sábado) de manhã a 2ª Etapa composta por 3 Especiais – Santa Bárbara (14,44 km), Nava (15,15 km) e Sariego (13,42 km) – desenhadas a oeste de Oviedo e a cumprir em dupla ronda: uma de manhã e a segunda à tarde num total de 86,02 km cronometrados.

 

Começando por Santa Bárbara 1, Cachón iniciava o dia como havia feito na véspera e ganhava a classificativa, impondo-se a Muñiz por 1,4 segundos e a Blach por 1,5. Já Monarri perdia 2,2 segundos nestes 14,44 quilómetros, ficando Palomo a 2,9 segundos. Mais atrás, o tempo alcançado por Socias permitiu-lhe subir uma posição na geral, passando a ser 7ºs, por troca com D García. Seguiu-se o troço de Nava 1, onde os líderes da copa voltavam a demonstrar não querer ser surpreendidos, ali alcançando nova melhor marca, com a particularidade de ter sido a 3ª melhor à geral na classificativa, considerando todos as categorias participantes! Já Monarri cedia 3,4 segundos e Muñiz 4,1 segundos, mas ascendendo ao 4º lugar, por troca com Palomo, os 5ºs mais rápidos, aqui perdendo 13,7 segundos de uma assentada e, com isso, as pretensões a uma vitória. Blach fazia o 4º tempo, limitando o prejuízo aos 5,1 segundos. A fechar a ronda matinal, o melhor tempo no troço de Sariego 1 ficaria para Monarri, o ainda líder da copa que recuperava 1,2 segundos ao seu adversário Cachón e o dobro a Blach. Nesta especial registavam-se as primeiras baixas entre os concorrentes da copa, já que Muñiz e Palomo abandonavam após ambos terem saído de estrada.

 

Tudo somado e o top-5 da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA passava a ter estas características:  Alejandro Cachón / ‘Jandrín’ viam a liderança reforçada, tendo Alberto Monarri / Ángel Vela a 13,5 segundos e Roberto Blach / Axel Coronado a 14,7 segundos. Os portugueses Ricardo Sousa / Luis Marques subiam ao 4º lugar, seguidos, já a mais de um minuto, pelos restantes cinco concorrentes ainda em prova. Neste grupo destacava-se a luta entre Miquel Socias / Alain Peña e Delbín García / Hugo Varela pela então 5ª posição.

 

Passo a passo, rumo à segunda vitória do ano

Faltavam ainda 43,01 km cronometrados, repetindo-se os mesmos 3 troços da manhã para definir o escalonamento final desta competitiva jornada, de resultados imprevisíveis dadas as intensas lutas que se travavam no seio da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA nos troços desenhados a oeste de Oviedo.

 

Começando por Santa Bárbara 2 (14,44 km), Cachón era o primeiro na estrada e a atingir o final do troço, estabelecendo a marca de referência, tirando nada menos do que 10 segundos à sua primeira passagem. Mas o destaque foi para o muito tempo que ganhou a Monarri (14 segundos) e a Blach (uns significativos 20,2 segundos). A batalha prosseguia nos 15,15 km de Nava 2, onde, com um avanço mais confortável de quase meio minuto, Cachón levantava ligeiramente o pé, deixando o melhor tempo no troço para Monarri, que recuperava 5,5 segundos e batia Blach por mais 22 segundos. Neste troço, Lopes ultrapassaria D Garcia no ranking da copa, passando a ser 6º. A fechar o rali, a repetição dos 13,42 km de Sariego, à entrada do qual as posições relativas estavam já quase definidas: Cachón entrou no troço com 22 segundos de avanço sobre Monarri, tendo este, por sua vez, 29,4 segundos sobre Blach. Só algum imponderável alteraria a composição do pódio da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA neste Rally Princesa de Asturias, mas tal não sucedeu, ficando para os registos novo melhor tempo de Monarri, ao mesmo tempo que se confirmava a vitória da dupla Alejandro Cachón / ‘Jandrín’, a segunda da época, depois de semelhante resultado alcançado no Vodafone Rally de Portugal.

 

Em complemento a esta vitória no âmbito da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA, Cachón e ‘Jandrin’ elevaram o seu Peugeot 208 Rally 4 a um excelente 5º lugar à geral desta 58ª edição do Rally Princesa de Asturias, somando-lhe, ainda, os troféus reservados aos veículos de 2 Rodas Motrizes e da categoria Rally4. Quanto à PEUGEOT e tal como o havia feito no Rally de Ourense, voltou a ser a marca mais representada no top-10 do rali, integrando-lhe quatro unidades do competitivo 208 Rally4, colocando ainda cinco exemplares nos “10 mais” da categoria 2WD. Terminaram 9 dos 11 exemplares que alinharam à partida do rali.

 

 

PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021

Rally Blendio Princesa de Asturias – Ciudad de Oviedo 2021

Classificação Final, após 2ª Etapa*

1º Alejandro Cachón (1º Junior Cup) / Alejandro ‘Jandrín’ Lopez, 1h44m47,0Xs

2º Alberto Monarri / Ángel Vela, a 11,9s

3º Roberto Blach (2º Junior Cup) / Axel Coronado, a 1m00,4s

4º Ricardo Sousa / Luis Marques, a 3m00,9s;

5º Miquel Socias (3º Junior Cup) / Alain Peña, a 4m12,8s;

6º Hugo Lopes (4º Junior Cup) / Tiago Neves, a 4m35,4s; 7º Delbin García (5º Junior Cup) / Hugo Varella, a 5m03,3s 8º Kevin Guerra / Aitor Cambeiro, a 5m47,2s; 9º Santiago García (6º Junior Cup) / Nestor Casal, a 6m46,1s.

 

Todos em PEUGEOT 208 Rally4;

Abandonos:
Óscar Palomo / José Pintor (saída de estrada na ES8); Álvaro Muñiz / Javier Martinez (saída de estrada na ES8).

 

* Classificação provisória, dependente da publicação dos resultados oficiais pela organização da prova.

 

No calendário da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 segue-se o Rally Serras de Fafe e Felgueiras, jornada em pisos de terra também pontuável para o Campeonato da Europa de Ralis e que decorrerá de 1 a 3 de outubro. Note-se, no entanto, que apenas o conjunto de 8 troços da 1ª Etapa (2 outubro) irão contar para a contabilidade da copa ibérica. Os detalhes desta terceira e última prova corrida em solo nacional serão apresentados mais perto da data da sua realização.

 

Coorganizada pela PEUGEOT Portugal e pela PEUGEOT Espanha e com a gestão logística a cargo da Sports & You, a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 tem a parceria da Pirelli, no domínio dos pneus, entre outros apoios: Vodafone, RACC e ACP. Destaque, também, para a associação de imagem ao ISAG – Instituto Superior de Administração e Gestão e à iniciativa Race for Good.

 

 

INFORMAÇÕES E FOTOS:

– em http://www.peugeotrallycupiberica.com/

– no Facebook https://www.facebook.com/peugeotrallycupiberica/

– Imagens da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA para imprensa (livres de direitos editoriais) em https://aifa.smugmug.com/Motorsport/PEUGEOT-Rally-Cup

 

CONTACTOS:

PEUGEOT PORTUGAL – Jorge Magalhães: jorge.magalhaes@stellantis.com | + 351 96 986 16 80

SPORTS & YOU – José Pedro Fontes: jpfontes@sportsandyou.pt | + 351 91 762 55 88

GOOD NEWS – Tito Morão: tmorao@goodnews.pt | + 351 91 840 00 01

José Pinheiro: jpinheiro@goodnews.pt | + 351 91 565 32 73

ASFALTO DE OVIEDO A ABRIR A SEGUNDA METADE DA PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 | Rally Blendio Princesa de Asturias 2021

Jornada regular nas diferentes temporadas da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA, o Rally Princesa de Asturias é, este ano, a 4ª prova da copa coorganizada pela PEUGEOT Portugal e PEUGEOT Espanha, com a logística da Sports & You.

Onze equipas, em outros tantos PEUGEOT 208 Rally 4, irão defrontar-se a partir da tarde de hoje, nos 152,51 km cronometrados das 11 Especiais desenhadas em redor de Oviedo, ao longo das 2 Etapas que compõem a prova (10 e 11 de setembro). Desta feita são apenas duas as formações portuguesas a fazer frente a nove duplas espanholas, que estarão a correr em casa.

Os líderes provisórios das tabelas de Pilotos e Navegadores da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 são, respetivamente, os espanhóis Alberto Monarri e Ángel Vela, com uma diminuta vantagem pontual para os principais adversários, pelo que se antevê um rali muito competitivo.

A PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 está de volta à estrada, correndo-se, na tarde de hoje e ao longo de todo o dia de sábado, o Rally Blendio Princesa de Asturias – Ciudad de Oviedo 2021. Será o quarto palco de batalhas desta Temporada 4, sendo de destacar a regularidade da prova de Oviedo, rali que nestes quatro anos da iniciativa coorganizada pela PEUGEOT Portugal e PEUGEOT Espanha apenas não fez parte do calendário de 2019.

 

São 11 os PEUGEOT 208 Rally4 inscritos na prova do Automóvil Club Principado de Asturias, antevendo-se um rali de enorme adrenalina e muitas indefinições sobre quem poderão ser os mais rápidos nos troços, ou no que se refere ao posicionamento final entre as equipas que apostam nas fiáveis e competitivas máquinas com assinatura da PEUGEOT Sport. Pela frente, os candidatos aos títulos de 2021 terão um acumulado de 152,51 quilómetros cronometrados, divididos por 11 Especiais em asfalto, que a organização desenhou para a presente edição da sua prova.

 

Particularizando e tendo em conta os resultados acumulados dos três primeiros ralis da época – Terras d’Aboboreira, Portugal e Ourense – Alberto Monarri (Pilotos) e Ángel Vela (Navegadores) apresentam-se, uma vez mais, como os líderes provisórios da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, somando um total de 55,63 pontos, sendo, assim, os alvos preferenciais dos seus adversários. Na posição de vice-líder entre os condutores, Álvaro Muñiz (47,5 pontos) é o que mais próximo se encontra de poder assumir a liderança da copa, objetivo que Alejandro Cachón (47,46 pontos) e Óscar Palomo (41,76 pontos) também pretendem. Já a copa de segundos condutores tem Alejandro ‘Jandrin’ Lopes como o 2º mais pontuado (47,46 pontos) e Javier Martinez no 3º lugar (45,5 pontos).

 

Quanto aos portugueses, grupo que voltará em força no próximo rali, em Fafe, tem duas duplas inscritas nesta segunda de três jornadas espanholas da copa em 2021: Ricardo Sousa (18 pontos), o atual 8º classificado no ranking de Pilotos, e Hugo Lopes (15,25 pontos), 9º nessa mesma tabela. Terão, respetivamente, como navegadores Luis Marques e Tiago Neves, que em termos de classificações ocupam as mesmas posições relativas e somam as mesmas pontuações dos seus condutores. Na ausência de muitos dos seus habituais adversários, ambos pretendem somar importantes pontos que lhes permitam subir nas respetivas tabelas.

 

São, presentemente, 18 os Pilotos e 22 os Navegadores classificados nesta Temporada 4 da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA (ver detalhe na Tabela de Pontuações em anexo).

 

PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 – LISTA DE INSCRITOS
Rally Blendio Princesa de Asturias – Ciudad de Oviedo 2021

 

Piloto Navegador
22 Óscar Palomo (ESP) Jose Pintor (ESP)
23 Santiago Garcia (ESP) Nestor Casal (ESP)
24 Roberto Blach (ESP) Axel Coronado (ESP)
26 Delbín García (ESP) Hugo Varela (ESP)
28 Alberto Monarri (ESP) Ángel Vela (ESP)
29 Álvaro Muñiz (ESP) Javier Martinez (ESP)
30 Alejandro Cachón (ESP) Alejandro ‘Jandrin’ Lopez (ESP)
31 Ricardo Sousa (POR) Luis Marques (POR)
32 Hugo Lopes (POR) Tiago Neves (POR)
33 Kevin Guerra (ESP) Aitor Cambeiro (ESP)
34 Míguel Socias (ESP) Alain Peña (ESP)

 

 

 

Os detalhes do Rally Princesa de Asturias[1]

Quarta jornada da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, segunda corrida em Espanha e também segunda em pisos de asfalto, este 58º Rally Blendio Princesa de Asturias – Ciudad de Oviedo divide-se por dois dias (10 e 11 de setembro), num rali que terá um percurso total de 576,52 km. A 1ª Etapa (sexta-feira) integra 5 Especiais e a 2ª Etapa (sábado) as restantes 6 Especiais, num acumulado de 152,51 quilómetros cronometrados.

 

Nesta manhã de sexta-feira, tendo como palco os 2,7 km do troço de Gijón, os pilotos poderão confirmar e/ou fazer as derradeiras afinações aos seus PEUGEOT 208 Rally4 na sessão de Treinos Livres (09h30/10h00) e no Shakedown (11h00/12h30), sessões intercaladas pelo Qualifying (10h18; reservado a um lote pré-definido de equipas).

 

Em termos competitivos, o Rally Princesa de Asturias sairá depois para a estrada às 14h30 a partir de La Manjoya, numa 1ª Etapa que contempla 5 Especiais, incluindo uma dupla passagem por Morcín (16,2 km; às 14h58 e 19h02) e Llanera (15,98 km; às 16h06 e 20h10), intervaladas pelo troço-espetáculo de Oviedo (2,13 km; às 17h04). Findo este primeiro dia de competição e após um Flexi-Service (21h25/22h10), as viaturas entram em Parque Fechado (22h10). A luta pela vitória e restantes posições será depois retomada no sábado (9h00), para uma 2ª Etapa que se compõe de 3 troçosSanta Bárbara (14,44 km), Nava (15,15 km) e Sariego (13,42 km) – repetidos de manhã (10h03, das 11h01 e das 12h00) e de tarde (15h10, 16h08 e 17h47), intervalados por Reagrupamentos e passagens pelo Parque de Assistências (13h52/14h22). O Pódio Final estará montado em Oviedo, na Av. de Los Ferroviários, para a consagração dos vencedores, a partir das 19h45.

 

Será, assim, a quarta das seis jornadas da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, num total de três ralis em solo português, todos em terra e do Campeonato de Portugal de Ralis (CPR), e outros tantos do lado oposto da fronteira, todos em pisos de asfalto e integrantes do Supercampeonato de Espanha de Ralis (SCER).

 

Coorganizada pela PEUGEOT Portugal e pela PEUGEOT Espanha e com a gestão logística a cargo da Sports & You, a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 tem a parceria da Pirelli, no domínio dos pneus, entre outros apoios: Vodafone, RACC e ACP.

 

À semelhança do que tem sucedido nas jornadas anteriores, dar-se-á aqui continuidade à associação ao ISAG – Instituto Superior de Administração e Gestão, entidade que visa ser reconhecida como a melhor escola de negócios e de turismo de Portugal, bem como à parceria com a iniciativa Race for Good, movimento dinamizado pelo treinador de futebol André Villas-Boas e que recorre ao desporto motorizado como plataforma de comunicação e promoção de ações de cariz social e humanitário.

 

 

INFORMAÇÕES E FOTOS:

– em http://www.peugeotrallycupiberica.com/

– no Facebook https://www.facebook.com/peugeotrallycupiberica/

– Imagens da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA para imprensa (livres de direitos editoriais) em https://aifa.smugmug.com/Motorsport/PEUGEOT-Rally-Cup

 

 

CONTACTOS:

PEUGEOT PORTUGAL – Jorge Magalhães: jorge.magalhaes@stellantis.com | + 351 96 986 16 80

SPORTS & YOU – José Pedro Fontes: jpfontes@sportsandyou.pt | + 351 91 762 55 88

GOOD NEWS – Tito Morão: tmorao@goodnews.pt | + 351 91 840 00 01

José Pinheiro: jpinheiro@goodnews.pt | + 351 91 565 32 73

[1] Nota: Horas referenciais para o primeiro carro na estrada; horas espanholas, menos 1 hora em Portugal Continental

PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 | VITÓRIA DE ÁLVARO MUÑIZ E JAVIER MARTINEZ EM JORNADA DE ELEVADA INTENSIDADE

PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 – Rally de Ourense (Final)

 

VITÓRIA DE ÁLVARO MUÑIZ E JAVIER MARTINEZ EM JORNADA DE ELEVADA INTENSIDADE

 

Correu-se, entre ontem e hoje, na região da Galiza, o Rally de Ourense, prova em que Álvaro Muñiz e Javier Martínez somaram a primeira vitória da presente época da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA. Imprimindo uma fantástica dinâmica, a dupla do PEUGEOT 208 Rally4 #25 começou por dominar os acontecimentos na 1º Etapa, vencendo todos os seus quatro troços, acumulando uma vantagem que, no segundo dia lhes permitiu controlar o ímpeto dos adversários, garantindo, pelo caminho, melhores tempos em três das seis especiais de asfalto deste segundo e último dia de rali.

Para além do 1º lugar nesta que foi a primeira incursão do ano por terras de Espanha, um resultado já de si excelente, garantiram uma excelente 4ª posição à Geral do evento do Supercampeonato de Espanha de Ralis 2021, somando-lhe ainda o troféu reservado aos veículos de duas rodas motrizes. A PEUGEOT deixou, aliás, uma marca substancial no top-10 do rali, com cinco unidades do competitivo 208 Rally4, para além de ter colocado nove exemplares nos 10 mais da categoria 2WD.

Neste que foi o terceiro confronto da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, o primeiro em troços de alcatrão, o 2º lugar ficou para Alejandro Cachón / Alejandro ‘Jandrin’ Lopez, deixando para Alberto Monarri / Ángel Vela o mais baixo do pódio. Pedro Almeida e Hugo Magalhaes foram os melhores portugueses, terminando na 6ª posição.

Finda a primeira metade desta Temporada 4 da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA, uma coorganização da PEUGEOT Portugal e da PEUGEOT Espanha, Alberto Monarri (Pilotos) e Ángel Vela (Navegadores) mantêm as suas posições de líderes, frente a uma comitiva que voltará a encontrar-se no Rally Princesa de Asturias, jornada também em pisos de asfalto a ter lugar nos dias 10 e 11 de setembro próximo.

 

 

Dividido pelo final da tarde e início de noite de ontem (sexta-feira) e pela manhã e tarde de hoje, o Rally de Ourense dividiu-se, competitivamente, em dois grupos distintos de concorrentes, os quatro que discutiram entre si uma potencial vitória no rali e os restantes onze, apenas entregues a lutas por posições à geral e pelas respetivas pontuações, esperando que os homens da frente tivessem algum contratempo.

 

Os lugares da frente foram sempre discutidos pelas mesmas quatro duplas espanholas, dividindo entre si os melhores tempos nos 10 troços que compunham (XX km cronometrados), compondo-se de Álvaro Muñiz / Javier Martínez, Óscar Palomo / José Pintor, Alberto Monarri / Ángel Vela e ainda Alejandro Cachón / Alejandro ‘Jandrin’ Lopez, eles que à partida deste rali lideravam os rankings de Pilotos e Navegadores da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, posições de que não pretendiam abdicar.

 

No final do Rally de Ourense, o escalonamento acima – decorrente das posições alcançadas na ES 1 – alterava-se só um pouco, embora não ao nível da (praticamente) incontestada vitória de Muñiz / Martinez, eles que foram líderes da prova de fio a pavio e os melhores em 7 dos 10 troços disputados, acrescendo, com isso 3,5 pontos adicionais ao pecúlio de 25 pontos que lhes foi atribuído pela vitória. Logo atrás do seu PEUGEOT 208 Rally4, a batalha pelo 2º lugar mostrou-se bastante aguerrida, posição que viria a ser conquistada por Cachón / ‘Jandrin’, ficando o 3º posto para Monarri / Vela, que num último esforço conseguiu relegar, para fora do pódio, uns desconsolados adversários Palomo / Pintor.

 

Noutro contexto evoluíram os restantes 11 concorrentes da copa, com os demais conterrâneos, mais o grupo de cinco equipas portuguesas que se deslocaram à Galiza, para esta primeira prova de asfalto da copa 2021, coorganizada pela PEUGEOT Portugal e PEUGEOT Espanha e cuja logística no terreno é assegurada pela Sports & You. Foram aqui duas as equipas em destaque – Carlos Fernandes / Valter Cardoso e Pedro Almeida / Hugo Magalhães – ainda que com resultados finais diametralmente opostos, já que o então líder destacado desse grupo luso foi obrigado a desistir no final do primeiro dia, entregando o testemunho aos adversários.

 

A consagração dos vencedores fez-se ao final da tarde no Jardín del Posío, em pleno centro da cidade de Ourense, sendo naturalmente de festa a disposição dos vencedores: “Foi um rali muito bom, muito disputado por quatro equipas, pois que para além da minha vitória, quem também ganhou foi a própria copa. Foram lutas ao segundo entre todos, sem que se verificasse qualquer problema técnico com nenhum de nós, pelo que foi só andar e assegurar o espetáculo”, referiu Álvaro Muñiz, da equipa Race Seven. Quanto aos objetivos para a próxima prova, agora que o piloto ascendeu ao 2º lugar na tabela de pontos da copa, “o rali das Astúrias será bem mais difícil, pois os troços de asfalto são muito específicos e alguns como o Cachón são muito fortes lá, sendo prova a sua vitória no ano passado, pelo que vamos tentar adotar um bom ritmo, pelo menos igualar o 3º lugar que conseguimos há um ano”.

 

Por seu turno, Alejandro Cachón sublinhou: “Foi um rali muito disputado ao longo dos dois dias, em que seria melhor ter sido primeiro, objectivo que não consegui, pelo que este 2º lugar também é um bom resultado. Segue-se, em setembro, o Rali Princesa das Asturias, o nosso rali de casa, pelo que nada pode falhar aí, para  que possa repetir o 1º lugar de há um ano”.

 

Por fim, o 3º classificado Alberto Monarri “foi uma luta muito bonita, num rali em que se imprimiu um ritmo altíssimo, numa luta entre quatro pilotos. Embora pense que o 2º lugar era possível, estou contente com o resultado, que nos permitiu somar importantes pontos, numa copa que vai ser discutida em cada troço de cada rali que falta até final do ano.”

 

Aos quatro primeiros, todos espanhóis, seguiu-se um quinto, posição que Josep M Reyes / Carlos Cancela garantiu à frente de uma tripla de portugueses, composta por Pedro Almeida / Hugo Magalhães (6ºs), Miguel Campos / José Janela (7ºs) e Ricardo Sousa / Luis Marques (8ºs), separados entre si por várias mãos cheias de segundos. Kevin Guerra / Daniel Sosa e Delbin García / Hugo Varella fechavam o top-10, deixando de fora três equipas, incluindo a dupla Hugo Lopes / Tiago Neves, que regressou segundo as regras de Rally2, sem que nunca saísse da última posição, fruto do atraso e penalizações entretanto acumuladas.

 

Em complemento ao 2º lugar na copa, Alejandre Cachón conquistou a vitória na Junior Cup da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA, troféu reservado a pilotos com menos de 25 anos (nascidos em ou após 1 de janeiro de 1995), impondo-se a Óscar Palomo e a Pedro Almeida.

 

Alberto Monarri e Ángel Vela mantêm liderança da copa

Tendo em conta os resultados alcançados neste Rally de Ourense, acumulados com as duas anteriores pontuações, completa-se a primeira metade da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, situação que, em termos de pontuações, não sofra alterações face ao que se registava antes da prova, mantendo-se no comando Alberto Monarri nos Pilotos e Ángel Vela nos Navegadores, ambos somando agora 55,63 pontos, embora seja naturalmente menor o diferencial face aos restantes pretendentes aos títulos.

 

Em termos de Pilotos, esse ranking tem agora Álvaro Muñiz como vice-líder (47,5 pontos), vindo depois Alejandro Cachón (47,46) e Óscar Palomo (41,76), tripla que ultrapassou Miguel Campos (33,34 pontos), ainda que se mantenha na posição de melhor representante português. Já a copa de segundos condutores tem Alejandro ‘Jandrin’ Lopes como o 2º mais pontuado (47,46 pontos) e Javier Martinez em 3º (45,5). São, presentemente, 18 os Pilotos e 22 os Navegadores classificados, diferencial que decorre das alterações em algumas duplas, face às anteriores duas provas da copa.

 

 

 

Resumo da Etapa 1: Quatro troços, quatro vitórias para Álvaro Muñiz / Javier Martínez

Dispostos a deixar a sua marca logo desde os primeiros quilómetros, Álvaro Muñiz / Javier Martínez não fizeram por menos e conquistaram o melhor tempo em todas as 4 Especiais do primeiro dia, corrido entre o final da tarde e o início da noite. Nesses quase 70 km cronometrados (69,16 km), a dupla da Corunha esteve inatingível, pelo que os restantes lugares do pódio foram discutidos por três outras duplas espanholas: Óscar Palomo / José Pintor, Alejandro Cachón / ‘Jandrín’ e Alberto Monarri / Ángel Vela, eles que eram os líderes da copa no arranque para esta prova.

 

A tripla perfilou-se, por esta ordem, atrás do líder Muñiz quer nos 15,08 km da ES1 Amoeiro, quer nos 19,5 km da ES2 Carballiño, para depois na segunda passagem por Amoeiro ser Monarri o 2º mais rápido à frente de Cachón, ele que, por sua vez, garantiu o segundo melhor tempo em Carballiño 2, à frente de Palomo. Atrás deles registavam-se as restantes lutas entre os 208 Rally4 que dão corpo à copa, tentando não deixar fugir o póquer de ases espanhol.

 

Entre eles a dupla Carlos Fernandes / Valter Cardoso, a mais rápida entre as formações portuguesas, batendo os conterrâneos Pedro Almeida / Hugo Magalhães e Miguel Campos / José Janela. Mas o esforço da equipa #30 ruiu na ES4, na sequência de uma saída de estrada. O mesmo aconteceu a Hugo Lopes / Tiago Neves, mas logo nos primeiros quilómetros da ES1, enquanto Roberto Blach – o “Campeão” de 2018 da copa – aqui acompanhado por José Vieitez, sofria com problemas com a bomba de gasolina, ficando-se, também eles, fora de prova.

 

Findo esse primeiro dia, Álvaro Muñiz / Javier Martinez liderava entre os concorrentes da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA, com 23,8 segundos sobre Óscar Palomo / José Pintor e 27,7 segundos sobre Alejandro Cachón / ‘Jandrín’. A 5,6 segundos de um lugar desse pódio provisório estavam Alberto Monarri / Ángel Vela, que tinham atrás de si Pedro Almeida / Hugo Magalhães, os melhores portugueses, estes já com um atraso superior a 2 minutos para os líderes. Estavam, então, classificadas 14 duplas, incluindo Lopes, que regressava em Rally2, e Blach, que levou o seu 208 Rally4 até ao Parque Fechado, mas sem certeza de poder regressar no sábado. Só Carlos Fernandes estava fora do rali.

 

Resumo da Etapa 2: Líderes a controlar, adversários a atacar

Fruto da confortável margem que trazia de véspera, não foi Álvaro Muñiz / Javier Martínez a garantir o melhor tempo nos 15,35 km da ES5 – Peroxa 1, resultado garantido por Alejandro Cachón / ‘Jandrín’, à frente de Óscar Palomo / José Pintor e Alberto Monarri / Ángel Vela. Já o 5º tempo de José María Reyes / Carlos Cancela permitiu-lhes ultrapassar Miguel Campos / José Janela na classificação da copa.

 

Mas, de modo a não dar a ideia que estava a facilitar muito a tarefa aos adversários, Muñiz impôs-se nos 15,13 km do troço de Toén 1 (ES6), batendo Monarri e Cachón, conseguindo, este último, ultrapassar Palomo no acumulado de tempos. Também Reyes subiria, de novo, um lugar, ao ultrapassar Pedro Almeida / Hugo Magalhães, que se mantinha como a melhor dupla portuguesa, fazendo com que o top-5 provisório fosse exclusivamente espanhol.

 

A fechar a ronda da manhã correu-se a ES7 – Allariz (10 km), onde o melhor crono voltou a ser de Álvaro Muñiz / Javier Martínez, crescendo, de novo, para 27,6 segundos a sua vantagem para Alejandro Cachón / ‘Jandrín’. Óscar Palomo / José Pintor, que terminava a secção a 5,4 segundos do 2º lugar, ficando Alberto Monarri / Ángel Vela a apenas 3,3 segundos de uma desejada subida ao pódio.

 

Repetidas de tarde após um Reagrupamento e passagem pelo Parque de Assistência, as 3 especiais viriam a decidir o a composição final dos lugares de um pódio que parecia ter um ocupante do 1º lugar minimamente seguro, mas que era completamente indefinido em termos dos restantes arrendatários.

 

Na repetição de Peroxa, Muñiz decidiu levantar um pouco o pé e fez o 4º tempo, pelo que o melhor tempo ficou para o líder da copa, Alberto Monarri, enquanto Cachón e Palomo faziam os tempos pela ordem que ocupavam na geral de uma copa que, neste troço, não sofreu qualquer alteração de estrutura. Quanto ao troço seguinte – Toén 2 – tudo voltaria ao normal, com Muñiz a assegurar o melhor crono – o seu 7º no rali, até esta altura – à frente de um aguerrido Monarri que, com isso, ultrapassava Palomo no acumulado de tempos, roubando-lhe o 3º lugar.

 

A fechar a contenda, chegou a 10ª e última especial do Rally de Ourense, os 10 km de Allariz 2, palco onde Monarri voltou a registar o seu nome como a referência a bater, seguido de Cachón, Palomo e Almeida, a fazer aqui o melhor resultado do rali, enquanto o líder e futuro vencedor Muñiz levantou o pé, acabando com a 5ª melhor marca. Bem pior seria o final do rali para Santiago Garcia, abandonando neste último troço.

 

PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021

Rally de Ourense 2021 – Classificação Geral*

1º Álvaro Muñiz / Javier Martinez, 1h29m47,7s

2º Alejandro Cachón (1º Junior Cup) / ‘Jandrín’, a 24,8ss

3º Alberto Monarri / Ángel Vela, a 27,5s

4º Óscar Palomo (2º Junior Cup) / José Pintor, a 33,4s

5º Josep M Reyes / Carlos Cancela, a 3m33,1s;

6º Pedro Almeida (3º Junior Cup) / Hugo Magalhães, a 3m38,0s; 7º Miguel Campos / José Janela, a 4m14,2s; 8º Ricardo Sousa / Luis Marques, a 4m34,4s; 9º Delbín García (4º Junior Cup) / Hugo Varella, a 6m04,8s; 10º Santiago García (5º Junior Cup) / Nestor Casal, a 8m35,8s; 11º Kevin Guerra / Daniel Sosa, a 10m18,3s; 12º César Cid / Francisco Garcia, a 14m55,0s; 13º Hugo Lopes / Tiago Neves, a 33m51,7s (6º Junior Cup; Rally2).

 

Notas:

Todos em PEUGEOT 208 Rally4

Rally2: Não pontua nesta jornada da copa (ver Artº 3 e Artº 7 do Regulamento Desportivo da copa)

Abandonos: Carlos Fernandes / Valter Cardoso (ES4); Roberto Blach / Jose Vieitez (não saiu para a Etapa 2)

* Classificação provisória, dependente da publicação dos resultados oficiais pela organização da prova.

 

Findos os primeiros três ralis do ano – Terras d’Aboboreira, Portugal e Ourense – segue-se a segunda metade da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, a iniciar a 10 e 11 de setembro, nos troços de asfalto do Rally Princesa de Asturias. Os detalhes desta segunda jornada espanhola serão apresentados mais perto da data da sua realização.

 

Coorganizada pela PEUGEOT Portugal e pela PEUGEOT Espanha e com a gestão logística a cargo da Sports & You, a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 mantém a parceria com a Pirelli, no domínio dos pneus, entre outros apoios: Vodafone, RACC e ACP. A PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 associou-se, uma vez mais, ao ISAG – Instituto Superior de Administração e Gestão, entidade que visa ser reconhecida como a melhor escola de negócios e de turismo de Portugal e uma referência de ensino de excelência a nível internacional. Deu-se, também, continuidade à parceria com a iniciativa Race for Good, movimento dinamizado pelo treinador de futebol André Villas-Boas e que recorre ao desporto motorizado como plataforma de comunicação e promoção de ações de cariz social e humanitário.

 

INFORMAÇÕES E FOTOS:

– em http://www.peugeotrallycupiberica.com/

– no Facebook https://www.facebook.com/peugeotrallycupiberica/

– Imagens da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA para imprensa (livres de direitos editoriais) em https://aifa.smugmug.com/Motorsport/Peugeot-Rally-Cup

 

CONTACTOS:

PEUGEOT PORTUGAL – Jorge Magalhães: jorge.magalhaes@stellantis.com | + 351 96 986 16 80

SPORTS & YOU – José Pedro Fontes: jpfontes@sportsandyou.pt | + 351 91 762 55 88

GOOD NEWS – Tito Morão: tmorao@goodnews.pt | + 351 91 840 00 01

José Pinheiro: jpinheiro@goodnews.pt | + 351 91 565 32 73

PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 | 1ª ETAPA DO RALLY DE OURENSE

ÁLVARO MUÑIZ / JAVIER MARTINEZ COM TOTAL DOMÍNIO DA 1ª ETAPA

 

Finda a primeira secção competitiva do Rally de Ourense, é em espanhol que se fala em todos os lugares do pódio da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA, num escalonamento para já encimado por Álvaro Muñiz / Javier Martinez, posição conquistada depois de a dupla galega ter sido a mais rápida em todos os seus 4 troços (69,16 km cronometrados). A equipa do PEUGEOT 208 Rally4 #25 deixou os seus conterrâneos Óscar Palomo / José Pintor a uns confortáveis 23,8 segundos, surgindo depois Alejandro Cachón / ‘Jandrín’, a apenas 3,9 segundos.

 

Líderes da copa à entrada para esta prova, Alberto Monarri / Ángel Vela são 4ºs classificados, estando a 5,6 segundos da 3ª posição, à frente dos melhores portugueses, Pedro Almeida / Hugo Magalhães, estes já com um delay superior a 2 minutos para os líderes e uma vantagem de 12,7 segundos sobre Miguel Campos / José Janela.

 

Destaque-se o facto de serem nada menos do que cinco os 208 Rally4 da copa ibérica que, nesta fase, integram o top-10 da Classificação Geral desta prova também pontuável para o Supercampeonato de Espanha de Ralis 2021, o melhor dos quais – o de Muñiz / Martinez – num excelente 3º lugar, comprovativo não só do andamento imposto pela dupla, como da elevada competitividade da viatura base desta iniciativa coorganizada pelas filiais da PEUGEOT de Portugal e de Espanha, tendo no terreno a logística da estrutura da Sports & You.

 

A batalha pela vitória será retomada amanhã (sábado), a partir das 9h30, numa 2ª Etapa composta por 3 troços cumpridos por duas vezes – Peroxa (15,35 km), Toén (15,13 km) e Allariz (10 km) – de manhã (10h27, 11h25 e 12h33) e de tarde (14h58, 15h56 e 17h04), dupla ronda dividida por um Reagrupamento (12h48). O Pódio Final estará montado no Jardín del Posío, onde se fará a consagração dos vencedores, a partir das 18h00, desta que é a terceira de seis provas da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021.

 

Nota: Horas locais (menos 1h00 em Portugal Continental); Horas referenciais para o primeiro carro na estrada.

 

PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021

Rally de Ourense – Classificação após 1ª Etapa*

 

1º Álvaro Muñiz / Javier Martinez, 40m48,9s

2º Óscar Palomo / José Pintor, a 23,8s

3º Alejandro Cachón / ‘Jandrín’, a 27,7s

4º Alberto Monarri / Ángel Vela, a 33,4s

5º Pedro Almeida / Hugo Magalhães, a 2m04,9s;

6º Miguel Campos / José Janela, a 2m17,6s; 7º Josep M Reyes / Carlos Cancela, a 2m20,2s; 8º Ricardo Sousa / Luis Marques, a 2m36,2s; 9º Delbin García / Hugo Varella, a 3m26,5s; 10º Santiago García / Nestor Casal, a 5m39,0s; 11º Kevin Guerra / Daniel Sosa, a 2m53,8s; 12º César Cid / Francisco Garcia, a 7m58,9s.

 

Notas:

Todos em PEUGEOT 208 Rally4;

Abandonos: Hugo Lopes / Tiago Neves (ES1); Carlos Fernandes / Valter Cardoso (ES4); Roberto Blach / Jose Vieitez (na ligação, após ES4): Pendente o seu potencial regresso amanhã (sábado), segundo as regras de “Rally2”, o que a acontecer fará com que não possam pontuar para esta jornada da copa (ver Artº 3 e Artº 7 do Regulamento Desportivo da copa).

* Classificação provisória, dependente da publicação dos resultados oficiais pela organização da prova.

PEUGEOT 208 RALLY4 ESTREIAM-SE NOS PISOS DE ASFALTO DE OURENSE

PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 – RALLY OURENSE

 

PEUGEOT 208 RALLY4 ESTREIAM-SE NOS PISOS DE ASFALTO DE OURENSE

Corre-se neste fim de semana o Rally Ourense, terceira prova da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, evento que se estreia na competição coorganizada pela PEUGEOT Portugal e PEUGEOT Espanha, com a logística da Sports & You.

Para lá da fronteira norte de Portugal Continental, serão 15 os PEUGEOT 208 Rally4, conduzidos por 5 equipas portuguesas e 10 espanholas, num duelo que terá como palco um total de 10 especiais de classificação (150,12 km cronometrados). Será, não só a estreia da copa em Espanha nesta época, como também o primeiro rali em pisos de asfalto, após os anteriores dois ralis de terra corridos por cá (Terras d’Aboboreira e Vodafone Rally de Portugal), de um total de seis provas do calendário de 2021.

No acumulado desses dois primeiros ralis da Temporada 4, os líderes provisórios da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 são os espanhóis Alberto Monarri (Pilotos) e Ángel Vela (Navegadores), dupla que pretende alcançar uma vitória caseira para manter à distância os respetivos adversários.

No acumulado dos resultados alcançados nas duas primeiras provas desta Temporada 4 da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA (Rally Terras d’Aboboreira e Vodafone Rally de Portugal), as tabelas de pontuações apresentam Alberto Monarri (37,63 pontos), Miguel Campos (29,34 pontos) e Óscar Palomo (27,76 pontos) no ranking de Pilotos, e os respetivos co-pilotos Ángel Vela, Paulo Lopes e José Pintor no alinhamento de Navegadores. São os componentes destes dois top-3 que não só irão tentar manter-se no pódio provisório, como fazer evoluir as suas pontuações, de modo a poderem abordar, com menos pressão, a segunda metade da época 2021.

 

Desta feita serão 15 os PEUGEOT 208 Rally4 que irão alinhar no Rally Ourense, terceira prova da iniciativa coorganizada pela PEUGEOT Portugal e PEUGEOT Espanha, e explorar, nos pisos locais de asfalto, todas as potencialidades do modelo com assinatura PEUGEOT Sport, que registou elevados índices de competitividade e de fiabilidade nos troços de terra dos dois ralis já corridos este ano.

PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 – LISTA DE INSCRITOS
Rally Ourense

 

Piloto Navegador
14 Óscar Palomo (ESP) Jose Pintor (ESP)
15 Roberto Blach (ESP) José Viéitez (ESP)
16 Santiago Garcia (ESP) Nestor Casal (ESP)
18 Delbín García (ESP) Coral Barroso (ESP)
22 Alberto Monarri (ESP) Ángel Vela (ESP)
23 Miguel Campos (POR) José Janela (POR)
24 Alejandro Cachón (ESP) Alejandro Lopez (ESP)
25 Álvaro Muñiz (ESP) Diego Vasquez (ESP)
26 Hugo Lopes (POR) José Neves (POR)
27 Jose María Reyes (ESP) Carlos Cancela (ESP)
28 Pedro Almeida (POR) Hugo Magalhães (POR)
29 Ricardo Sousa (POR) Luis Marques (POR)
30 Carlos Fernandes (POR) Valter Cardoso (POR)
31 Kevin Guerra (ESP) Daniel Sosa (ESP)
32 Cesar Cid (ESP) Francisco Garcia (ESP)

 

Os detalhes do Rally Ourense em resumo

Terceira jornada da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, primeira corrida do ano em Espanha e também primeira de 2021 em pisos de asfalto, esta 54ª edição do Rally Ourense divide-se em dois dias (16 e 17 de julho), integrando um total de 10 Especiais de Classificação (150,12 km cronometrados), quatro corridas na tarde de sexta-feira e as restantes divididas pelo dia de sábado, para um percurso total de 547,74 km.

 

Após o Shakedown, que terá lugar na manhã de sexta-feira, um palco onde todas as equipas poderão confirmar e/ou fazer as derradeiras afinações aos seus PEUGEOT 208 Rally4, segue-se a secção competitiva da prova, numa 1ª Etapa cujo arranque está agendado para as 17h00, a partir do Jardin del Posío. Os concorrentes irão disputar os melhores tempos em 4 classificativas, duas corridas ao final da tarde e as restantes já noite dentro, numa dupla passagem pelas especiais de Amoeiro (15,08 km; às 18h09 e 21h30) e Carballiño (19,50 km; às 18h52 e 22h14), intervaladas por um Reagrupamento (19h42). Finda esta primeira fase do Rally Ourense, as viaturas entram em Parque Fechado, pelas 23h59.

 

Será pelas 9h30 de sábado que a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA regressa à estrada, para uma 2ª Etapa composta por mais 3 troçosPeroxa (15,35 km), Toén (15,13 km) e Allariz (10 km), repetidos de manhã e de tarde. O primeiro embate faz-se a partir das 10h27, o segundo às 11h25 e o terceiro às 12h33, a que se segue um Reagrupamento (12h48). Pela mesma ordem, os concorrentes enfrentam a última ronda de troços do rali, disputando-os a partir das 14h58, 15h56 e 17h04. O Pódio Final estará montado no Jardín del Posío, onde se fará a consagração dos vencedores, a partir das 18h00.

 

Será, assim, a terceira das seis jornadas da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, num total de três ralis em solo português, todos em terra e do Campeonato de Portugal de Ralis (CPR), e outros tantos do lado oposto da fronteira, todos em asfalto e integrantes do novo Supercampeonato de Espanha de Ralis (SCER).

 

Coorganizada pela PEUGEOT Portugal e pela PEUGEOT Espanha e com a gestão logística a cargo da Sports & You, a PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021 mantém a parceria com a Pirelli, no domínio dos pneus, entre outros apoios: Vodafone, RACC e ACP.

 

Acrescente-se que, à semelhança do que sucedeu nas anteriores duas jornadas da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2021, dar-se-á aqui em Ourense continuidade à parceria com a iniciativa Race for Good, movimento dinamizado pelo treinador de futebol André Villas-Boas e que recorre ao desporto motorizado como plataforma de comunicação e promoção de ações de cariz social e humanitário.

 

 

INFORMAÇÕES E FOTOS:

– em http://www.peugeotrallycupiberica.com/

– no Facebook https://www.facebook.com/peugeotrallycupiberica/

– Imagens da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA para imprensa (livres de direitos editoriais) em https://aifa.smugmug.com/Motorsport/PEUGEOT-Rally-Cup

 

CONTACTOS:

PEUGEOT PORTUGAL – Jorge Magalhães: jorge.magalhaes@stellantis.com | + 351 96 986 16 80

SPORTS & YOU – José Pedro Fontes: jpfontes@sportsandyou.pt | + 351 91 762 55 88

GOOD NEWS – Tito Morão: tmorao@goodnews.pt | + 351 91 840 00 01

José Pinheiro: jpinheiro@goodnews.pt | + 351 91 565 32 73

 

 

 

ANEXO: FICHA TÉCNICA – NOVO PEUGEOT 208 RALLY4

 

CHASSIS

Estrutura: Coque PEUGEOT 208, reforçada com um arco de proteção multiponto soldado

Carroçaria: Aço e plástico

MOTOR

Tipo: EB2 Turbo

Diâmetro x Curso: 75 x 90,48 mm

Cilindrada: 1.199 cm3

Potência máxima / Binário máximo: 208 cv às 5.450 rpm / 290 Nm às 3.000 rpm

Potência por litro: 175 cv/l

Distribuição: Dupla árvore de cames à cabeça acionada por um eixo, 4 válvulas por cilindro

Alimentação: Injeção direta pilotada por caixa Magnetti Marelli

TRANSMISSÂO

Tipo: Tração às rodas da frente

Embraiagem: Duplo disco de cerâmica / metálico, com diâmetro de 183 mm

Caixa de velocidades: Sequencial SADEV de 5 velocidades

Diferenciais: Mecânico com autoblocante

TRAVÕES

À frente: Discos ventilados de 330 mm (asfalto) e 290 (terra); pinças de 3 pistões

Atrás: Discos de 290 mm; pinças de 2 pistões

Travão de mão: De comando hidráulico

SUSPENSÕES

Tipo: McPherson

Amortecedores: Ohlins reguláveis, 3 vias (compressão a baixa e alta velocidade, batente)

RODAS

Jantes /Pneus: Speedline 7×17 / 19/63-17 e Speedline 6×15 / 16/64-15

DIMENSÕES, PESOS E CAPACIDADES

Comprimento x Largura x Altura: 4.052 mm x 1.738 mm x 2.553 mm

Pesos: 1.080 km (mínimo) / 1.240 kg (incluindo pilotos)

Depósito de combustível: 60 lts

[1] Nota: Horas referenciais para o primeiro carro na estrada; horas espanholas, menos 1 hora em Portugal Continental